Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Aviadores ganham asas e levam a Taa

Betumeleano Ferro - 12 de Novembro, 2010

ASA festeja de forma efusiva a conquista da terceira Taa para sua galeria

Fotografia: Jornal dos Desportos

Aguardada com grande expectativa, a final da Taça de Angola, prova que encerra a época futebolística nacional, levou as emoções até a marcação de grande penalidade. Com trinta minutos de atraso, a partida entre o Interclube e o ASA era esperada com muita ansiedade. Várias individualidades políticas e desportivas presentes no Estádio, com destaque para o Chefe do Estado, José Eduardo dos Santos, que esteve ladeado pelo presidente da Assembleia Nacional Paulo Cassoma e o vice-presidente da república Fernando da Piedade, viveram com alguma emoção e suspanse a partida.

As duas claques, em número reduzido, marcaram presença na catedral do futebol nacional para testemunharem a grande final. Os adeptos do Interclube eufóricos com a conquista do Girabola estavam ansiosos para levar ao Rocha Pinto o último troféu da época.
Enquanto na relva as duas equipas tudo faziam para levar da melhor sobre o seu opositor, nas bancadas os adeptos da formação da polícia em maior unidade levam da melhor sobre os aviadores.

Vestido de forma social, os dois técnicos por coincidência compatriotas, sofreram até ao último penaltie. Nas respectivas áreas restritivas, cada um orientava os seus pupilos à sua maneira. José Dinis era o mais calmo, trocando apenas o posicionamento das mãos, que passavam ora pela cintura, ora dobradas à frente e às costas, enquanto Álvaro Magalhães no seu gesto peculiar seu homologo não parava num só lugar, percorria a sua área de jurisdição, sempre a gesticular. 

No final da partida, o Chefe do Estado, José Eduardo dos Santos procedeu a entrega do troféu ás mãos de Jamba, o capitão da equipa do ASA, num ambiente emotivo para os aviadores, que fizeram jorrar o champanhe e ergueram o troféu. A desolação foi total para os polícias que tinham praticamente a dobradinha a sua mercê, mas deixaram fugir o troféu para as bandas do aeroporto.

Dirigentes satisfeitos
No final da partida, a satisfação dominou as hostes do clube aviador. Raimundo Fernandes, o director-geral do ASA, não se fez rogado, tendo avançado que a conquista da XXIXª edição da Taça de Angola significa o cumprimento da meta traçada para 2010. “É o troféu que essa direcção se propôs para a época de 2010. Não quero dizer que com esta conquista o ASA tenha salvo a época, não senhor. Ele conquistou-a com todo o mérito, porque foi para lá que havia apontado as baterias no início da temporada, porque a direcção estava consciente que o campeonato seria extremamente difícil”, esclareceu o director-geral dos aviadores.

A satisfação era extensiva a todos os jogadores, aos quais o técnico José Dinis agradece por terem sido eles os obreiros deste grande feito, que vai entrar a partir de hoje no seu currículo. “Sou homem de sorte. No entanto, devo aqui ressalvar que não foi apenas com sorte que o ASA conquistou este troféu, mas também com mérito, porque foram necessárias duas séries de grandes penalidades para lograrmos o êxito. Dedico este feito aos meus jogadores, por terem sido eles que mais trabalharam para isso”.

ASA conquista terceira Taça

Cinco anos depois, o ASA volta a conquistar mais uma Taça de Angola, a terceira para sua galeria, numa final inédita em que o resultado ao cabo do tempo regulamentar e no prolongamento saldou-se num empate a zero bola. Eis o quadro geral dos vencedores da segunda maior competição futebolística nacional. Recorde-se, que, o Petro Atlético de Luanda é a equipa mais titulada da Taça de Angola, com oitos troféus, enquanto o 1º de Agosto vem logo a seguir com cinco títulos conquistados. O ASA com a conquista de ontem juntou-se ao 1º de Maio com três títulos.
Augusto Panzo

Ano       Jogo e resultado da final   Vencedor


1982  1º de Maio 2 – Petro do Huambo  0   1º de Maio             
1983  1º de Maio 9 - 11 de Novembro do KK 1  1º de Maio   
1984  1 º de Agosto 2- Desportivo Benguela 0  1º de Agosto
1985  Ferroviário da Huíla 2 – Inter de Luanda 0  Ferroviário da Huíla                     
1986  Inter de Luanda 1- 1º de Maio de Benguela 0 Inter de Luanda
1987  Petro de Luanda 4 – Ferroviário da Huíla 1  Petro de Luanda
1988  Sagrada Esperança 2 – FC de Cabinda 0  Sagrada Esperança
1989  Ferroviário da Huíla 2 – Inter de Luanda 1  Ferroviário da Huíla
1990  1º de Agosto 1 – Petro de Luanda 0   1º de Agosto
1991  1º de Agosto 2 – Petro de Luanda 1   1º de Agosto
1992  Petro de Luanda 3 – 1º de Agosto 2   Petro de Luanda
1993  Petro de Luanda 2 – ASA 1   Petro de Luanda
1994  Petro Luanda 2 – Independente Tômbua 1  Petro de Luanda
1995  ASA 3 – Independente do Tômbua 1  ASA
1996      Progresso Sambizanga 1 – 1º de Maio 0  Progresso
1997      Petro de Luanda 2 – 1º de Agosto 1                    Petro de Luanda
1998      Petro de Luanda 4 – 1º de Agosto 1                    Petro de  Luanda
1999      Sagrada Esperança 1 – ASA 0                             Sagrada  Esperança
2000      Petro de Luanda 1 – Inter de Luanda 0                Petro de Luanda
2001      Sonangol do Namibe 3 – Sporting Cabinda 2      Sonangol do Namibe
2002      Petro de Luanda 3 – Desportivo da Huíla 0         Petro de Luanda
2003      Interclube 1 – Sagrada Esperança 0                     Interclube
2004      Sonangol do Namibe 2 – 1º de Agosto 0             Sonangol do Namibe
2005      ASA 1 – Interclube de Angola 0                          ASA
2006      1º de Agosto 5 – Benfica de Luanda 4                 1º de Agosto
2007      1º de Maio 2 – Benfica de Luanda 1                    1º de Maio
2008      Santos FC 1 – Recreativo do Libolo 0                 Santos FC
2009      1º de Agosto 2 – Sagrada Esperança 1                1º de Agosto
2010       Interclube – 3 ASA 4                                          ASA