Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Brasileiros dominam no Petro

26 de Novembro, 2013

Petro de Luanda tem uma forte aposta na escolha de tcnicos brasileiros

Fotografia: Jornal dos Desportos



A direcção do Petro de Luanda tem uma forte aposta na escolha de técnicos brasileiros ao longo do seu historial. Ao que parece, já vai em número de sete, aliás, já se cogita em Joel Santana como o próximo timoneiro petrolífero para 2014.Caso “Papá Joel” seja confirmado como o novo líder da equipa técnica da formação do Catetão deve ser o oitavo, de uma parceria que se espera muito eficaz na conquista do 16º título do Girabola, após levantar pela última vez o troféu em 2009.

Dos sete brasileiros que já passaram pelo banco tricolor destacam-se três nomes, António Clemente, Djalma Alves Cavalcanti e Jorge Ferreira conquistaram o Girabola no cômputo geral em seis ocasiões. António Clemente foi o primeiro técnico estrangeiro petrolífero, e também o que mais anos estiveram a frente dos destinos da equipa técnica. Orientou em 1980 à 1983, regressou em 87 e 88. Depois disso, foi contratado ainda por duas vezes, em 1990 e 2004, por isso, o mais titulado com três Girabolas (82, 87 e 88) e Taças de Angola.

O segundo é o baiano Djalma Alves Cavalcanti, que abraçou o projecto de liderar a formação do Catetão desde 1999 à 2001, com regresso em 2006.Foi campeão duas vezes consecutivas em 2000 e 2001, conquistou também a Taça e a Supertaça.Outro técnico que entra no restrito leque dos campeões tricolores foi Jorge Ferreira, que esteve dois anos à frente dos destinos do Petro de Luanda, em 1997 e 1998, conquistou o Girabola neste último ano.

Pode-se ainda destacar como vencedores de Taças de Angola os técnicos José Roberto Ávila (2002) e José Dinis (2013), os dois orientaram a equipa em apenas uma temporada, pelos resultados no Girabola ficaram aquém das expectativas. Na lista dos brasileiros que não conseguiram levar o “petroleiro” a bom porto estão os técnicos Pavão (1984), Alfredo Abraão (1985) e Artur Bernardes (2005). Os três timoneiros sem sucesso na formação do Catetão orientaram apenas uma época. JORGE NETO

Outros
Portugueses surgem
como segunda opção


Os técnicos portugueses estão em segundo plano, nas opções da direcção do Petro de Luanda para orientar o seu conjunto. No histórico surgem três timoneiros, que renderam dois títulos no Girabola.Bernardino Pedroto é o mais titulado com dois Campeonatos Nacionais da Primeira Divisão conquistados em 2008 e 2009, durante os quatro anos que liderou os petrolíferos desde 2007 à 2010. O técnico ficou em branco apenas na Taça de Angola e na Supertaça.O malogrado técnico luso cabo-verdiano, Carlos Alhinho orientou a equipa numa curta passagem em 2006, não terminou a época devido aos maus resultados, que o conjunto apresentava.