Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

CAF indica Prata como comissário

Jorge Neto - 18 de Fevereiro, 2017

O ex-presidente do Conselho Central de Árbitros da Federação Angolana, Muluta Prata

Fotografia: José Cola

O ex-presidente do Conselho Central de Árbitros da Federação Angolana, Muluta Prata, (CCAFA) vai ser o comissário do jogo desta noite, às 19H00, entre as formações do Mamelodi Sundows da África do Sul e o TP Mazembé do Congo Democrático, para Supertaça Africana.

A partida vai opor o campeão da Liga dos Clubes Campeões Africanos, e o vencedor da Taça da Confederação em 2016.   É a segunda vez que Muluta Prata actua na condição de comissário numa Supertaça Africana, depois de no ano passado ter feito o mesmo trabalho na partida realizada em Lubumbashi,  entre o TP Mazembé e o Etoile du Sahel da Tunísia, ganha pelos congoleses, por 2-1.

O dirigente angolano vai ter como árbitro principal, o egípcio Ghead Grisha, primeiro assistente, o marroquino Redouane Achik, e o sudanês Waleed Ahmed Ali como segundo assistente. O coordenador geral vai ser o nigeriano Paul Ekong Bassey.

Em declarações ao Jornal dos Desportos, o comissário angolano manifestou a sua satisfação por ser nomeado pela Confederação Africana de Futebol. "Sinto-me muito feliz por merecer a confiança da CAF para comissário deste jogo", sublinhou.

"Como sabe, a confederação tem mais de 100 comissários, e para ser escolhido no meio destes, onde tem grandes figuras em África não é obra do acaso. Um jogo desta natureza, envolve para além das tarefas durante o jogo, um nível organizacional muito forte, antes do jogo, como o trabalho com os medias, segurança, saúde, bilheteiras, adeptos, entrada e saída do estádio, VIP, etc", esclareceu.

O ex-homem forte da arbitragem nacional afirmou que vão estar presentes neste jogo, todo o executivo da CAF e outras individualidades.

“Não é a primeira vez, em 5 anos, que sou comissário da CAF, esta  é a segunda Supertaça. O ano passado, também fui o comissário no jogo realizado em Lumbubashi, entre o TP Mazembe e a equipa Argelina que foi ganho pela equipa congolesa. Acho que ficaram satisfeitos com o meu trabalho naquela final. Além disso, costumo estar nas principais competições como semi-finais da liga, jogos da fase de grupos da liga, e de apuramento ao mundial de 2018", apontou.

Muluta Prata destacou a responsabilidade que tem, constar da nomeação para este importante desafio, como referiu "o grau de responsabilidade é de facto maior, não nos esqueçamos que se trata de uma final. À competição mais importante a nível de clubes, em África", avançou.

Acrescentou que "não há dúvidas que dignifica a arbitragem nacional, já que também é fruto do trabalho interno que se tem feito, e agora  continuado pelo presidente Jorge Mário, pois, o bom trabalho interno reflecte-se no exterior, e temos o exemplo do Gerson que foi o 1º assistente na final do CAN", avançou.

"Neste momento é o melhor árbitro assistente de África, com o passaporte já assegurado para o mundial de 2018, de acordo informações que detenho”