Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Calado aplaude regresso a Toulon

Paulo Caculo - 31 de Março, 2017

Técnico afirma que não basta a selecção participar mas manter uma presença regular

Fotografia: José Cola

De acordo com o antigo treinador do 1º de Agosto, Sagrada Esperança, Santos FC e Progresso Sambizanga, apesar de se enaltecer o convite formulado pela federação francesa à FAF, é fundamental que esta participação dos Sub-20 seja regular, objectiva e sólida.

\"Não tenho dúvidas de que com estas competições o crescimento competitivo dos nossos jovens estaria assegurado, com firmeza e com base sólida.
Aprende-se a jogar jogando, por isso, os jogos e as competições internacionais são fundamentais para o desenvolvimento desta juventude\", disse.

Mário Calado considera, por outro lado, que não basta uma participação. Assegura que é necessário várias presenças de Angola nestes torneios, incluindo torneios internacionais com selecções referenciadas em África e no Mundo. \"Se formos capazes de marcar presença em provas do género, tenho a certeza de que o futuro será radiante para o nosso futebol. Também devemos ter estruturas como as da escola da AFA, para ganharmos outra dimensão e contribuirmos, efectivamente, no crescimento competitivo destes jovens. A participação é de extrema importância, mas precisamos estar presentes com regularidade, desde a tenra idade. Vamos fazer as coisas direitas e com objectividade\", acrescenta o experiente treinador.

O treinador sublinha, a finalizar, ser imperioso aumentar a base para as selecções, começando por criar em Luanda os campeonatos municipais e uma selecção, que jogará com a selecção de outros municípios. Depois disso, - acrescenta - criava-se a selecção provincial, que jogaria com as várias selecções provinciais até se encontrar o campeão nacional.

\"Nestas competições aproveitaríamos para observar vários atletas que estariam a jogar sempre. Depois organizávamos a selecção nacional, que jogaria com todos os países limítrofes. Teríamos de institucionalizar estes torneios municipais e provinciais, para anualmente e de uma forma rotativa, passarmos depois para um torneio intercontinental anual com o mesmo figurino. Neste caso, sim, estaríamos abertos e preparados para novas competições\".

Para a 45ª edição do tradicional torneio de selecções de base, agora denominada \"Taça Maurice Revello\", agendada para o período de 29 de Maio a 10 de Junho, na cidade de Toulon, encontram-se já inscritas dez das 12 selecções previstas, incluindo os representantes africanos (Angola e Costa do Marfim), esta última campeã da prova em 2010.

A última participação de Angola no torneio remonta ao ano de 1996, na altura orientada pelos técnicos José Kilamba e Oliveira Gonçalves, a jovem selecção de Sub-20 acabou eliminada na primeira fase. A primeira presença de Angola na competição aconteceu em 1995.


CONSTATAÇÃO
\"Competir é importante\"


Mário Calado concorda que a participação da Selecção de Sub-20 no “Torneio de Toulon” será uma mais-valia para os objectivos que se pretende de tornar a equipa muito mais competitiva. O técnico garante que com estas provas os jovens futebolistas ganham maior endurece e experiência.

“Faço votos de que a selecção continue a participar, já que esteve em edições anteriores e não pode ficar muitos anos sem competir nestes torneios. A federação deve continuar a fazer este esforço, no sentido de proporcionar aos jovens talentos este tipo de competições”, disse o treinador, para em seguida acrescentar haver inúmeras vantagens com a presença de Angola na competição internacional de selecções de base.

“O torneio tem o seu grau de importância, razão pela qual desperta o interesse de muitos países e Angola deve aproveitar para continuar a potenciar o seu futebol ao nível das camadas de formação”, refere.

De acordo ainda com o experiente treinador, o facto do torneio ser disputado na Europa e congregar as melhores selecções de África e do Mundo, pode ajudar a selecção de sub-20 a crescer competitivamente, mas, sobretudo, a ganhar maior experiência internacional.

“Os jogos ajudam as equipas a crescerem e tenho a certeza de que este torneio vai contribuir para que a jovem selecção ganhe os níveis que estamos a procura e que são exigidos”.
PC