Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Campeo procura corrigir deslize da jornada passada

Betumeleano Ferro - 31 de Agosto, 2019

Diamantferos e militares aquecem estdio do Sagrada Esperana no Dundo

Fotografia: Vigas da Purificao | EDIES NOVEMBRO

O campeonato mal começou mas a terceira jornada está toda cheia de aliciantes, todos os jogos da ronda são tão atractivos para os protagonistas e os seus adeptos. É verdade que o foco vai estar nas reacções, que se esperam competitivas, dos colossos 1º de Agosto e Petro de Luanda, mas quem olhar para o cartaz da ronda vai concluir que há alta tensão no Girabola Zap, antes da primeira paragem, por causa do compromisso da selecção nacional nos primeiros dias do próximo mês.
A \"inesperada\" derrota com o estreante Progresso Sambizanga mexeu em demasia com o ego do 1º de Agosto, perder nas primeiras jornada parecia coisa do passado, assim há todos os motivos para ver se o Sagrada Esperança vai aumentar o pesadelo dos militares ou pagar a factura do atrevimento alheio. O jogo está marcado para as 15h00, no estádio do Dundo, mas a expectativa em torno dele é incontrolável no seio dos dois contendores, ainda mais porque ambos vêm de derrotas, então, estão sob obrigação de reagir para corrigir o passo em falso.
Via de regra, os diamantíferos costumam causar muitas dificuldades aos militares no Dundo, tem sido assim nas últimas temporadas, contudo, o cenário agora é outro, o campeão está revoltado e ansioso em mandar um competente recado aos concorrentes. A procura pelo golo e pelos 3 pontos é capaz de forçar o 1º de Agosto a pegar de imediato no jogo, para evitar o filme do desaire com o Progresso.
A previsível postura inclinada do 1º de Agosto deixa o Sagrada Esperança diante dum dilema, entrar forte ou ficar na expectativa. Não importa a escolha final, a equipa lunda está apercebida de que tem mesmo de ser dura como diamante, para evitar passar vergonha perante os seus adeptos, o jogo é de redenção e quem estiver na bancada vai cobrar todo o empenho possível.
O apito no Ferrovia só vai soar às 15h30, mas mesmo que o horário fosse outro a expectativa para ver o Desportivo da Huíla - Petro de Luanda seria sempre a mesma. Os militares da Região Sul aos poucos constroem o mito da invencibilidade caseira contra os tricolores, esse detalhe é fama para acender o rastilho de pólvora e aumentar em demasia o interesse no jogo.
As boas e más lembranças do passado vão ter efeito diferentes nos contendores, fica claro que o Desportivo da Huíla está à espera do tudo ou nada do Petro de Luanda, é por isso que vai tentar colocar desde o início um freio na vontade tricolor de acabar com a malapata no Ferrovia.
Mesmo que negue, é fácil olhar para os dados e concluir que os militares da Região Sul entram como favoritos e têm de dar o passo em frente, com ou sem vontade. A ambição de matar o borrego é unânime entre os tricolores, claro que isso vai aumentar a ansiedade, sobretudo se a equipa for obrigada a reagir, a desvantagem no marcador. O plantel e o treinador são os mesmos de antes, isso diminui todas as hipóteses de desculpas para um novo desaire, agora que comece o jogo para todos verem se esse Petro foi mesmo construído com materiais a prova de fogo.
Para fechar o cartaz de sábado, vamos ter às 15h00, no Ombaka, o 1º de Maio de Benguela - Sporting de Cabinda, um jogo em que as tuas equipas têm os mesmos motivos, para mostrar empenho na colheita dos pontos. Os proletários ainda não pontuaram no campeonato, começam a ficar atrasados na corrida da manutenção, por sua vez os leões anseiam corrigir a má imagem da semana passada com o rival do Maio na província, a Académica do Lobito, seguramente os leões não querem levar dose dupla para casa.
DOMINGO AGITADO
O Clube Recreativo da Caála (CRC) - Cuando Cubango FC é às 15h00, amanhã, no estádio Mártires da Kanhala, as duas equipas estão com desempenhos diferentes nesse início de campeonato. Enquanto o CRC anda aos pulos com a bonança do pleno, o Cuando Cubango já começa a fazer contas, ainda não perdeu, é verdade, mas o desperdício da ronda passada não admite uma derrota com o CRC, o empate chega para as encomendas.
Com carreiras semelhantes, o Santa Rita e o Interclube já provaram que estão talhados para reagir as adversidades. Ainda bem que é assim, porque o 4 de Janeiro vai testemunhar amanhã, a partir das 15h00, um embate entre duas equipas pressionadas de todos os lados. Os católicos rezam pela primeira vitória, ao passo que os polícias anseiam provar que o seu campeonato iniciou desde a jornada passada.
O Ferrovia do Huambo demora a provar o que veio fazer no campeonato, ainda é cedo para concluir que está com a corda no pescoço, mas a recepção ao FC Bravos do Maquis, 15h00, nos Kuricutelas, é mais uma oportunidade para as locomotivas tentarem levar qualquer tipo de carga pontual, até o pontito serve para carregar todas as carruagens de esperança, mas é preciso que João Pintar e pupilos tenham muito cuidado na hora de arriscar tudo, porque os maquisardes vão tentar tirar o máximo proveito possível do estado de agitação mental, que já começa a incomodar o Ferrovia.
O Progresso está na moda, o atraso em entrar no campeonato afinal serviu para agitar as águas e colocar em sentido o Recreativo do Libolo, adversário da jornada, com início às 16h00, nos Coqueiros. Os sambilas estão na boca do povo, mas agora têm de continuar a tirar dividendos dos 15 segundos de fama, bater os libolenses seria uma boa maneira de Kito Ribeiro sair de cabeça erguida no reencontro com o Libolo, mas quer o treinador, quer o plantel já sabem que os libolenses estão atentos e com disposição para impedir que se volte a enaltecer o Progresso.
A repescagem do Wiliete está a dar lucros a Benguela, agora o campeonato está todas as semanas na província. O primodivisionário vai ao dérbi com a Académica do Lobito, 16h00, no Ombaka, com a intenção de fazer uma pequena graça a um dos líderes do campeonato. Realmente os estudantes têm o pleno e vão tentar dar sequência a boa fase, é verdade que o Wiliete empatou com o Petro logo no jogo de estreia, mas esse sucesso só serviu para acordar as faculdades competitivas da Académica, cujo lema é não facilitar.

1º DE AGOSTO PROCURA  SEGUNDA VITÓRIA

Campeão sem quatro
 “ases” no Dundo

As deslocações ao Dundo nunca foram fáceis para o conjunto militar, apesar disso, os pupilos de Dragan Jovic apostam numa vitória para mudar o quadro negativo registado na jornada anterior e tudo vão fazer para trazer os três pontos no jogo de hoje, às 15h00, com o Sagrada Esperança, no Estádio com o mesmo nome.
Quatro jogadores influentes na manobra da equipa do 1º de Agosto falham o jogo desta tarde, por não terem recuperado a tempo das suas mazelas. Trata-se dos médios Ary Papel, Ibukun, Buá e Nelson da Luz.
Não obstante isso e em função do desaire com o Progresso do Sambizanga, por 1-0, os agostinos não pensam  em outro resultado diferente da vitória, de acordo com o técnico -adjunto Ivo Traça, por isso, chegaram ao Dundo, ontem, para se ambientarem  melhor ao clima da província. 
\"Não temos alternativa. A equipa vem de uma derrota inesperada com o Progresso. Agora, temos de levantar a cabeça para o jogo de amanhã (hoje) com o Sagrada. Sabemos que não são favas contadas\", disse o técnico à imprensa.
Nas sessões de treino que antecederam o jogo desta tarde, a equipa técnica trabalhou para melhorar a postura dos tetra -campeões, aliando a exibição a um bom resultado.
\"A equipa vai fazer tudo para regressar do Dundo com um desfecho positivo na bagagem. Estamos a trabalhar com esse propósito. Penso que a equipa deve outra postura neste jogo\", disse Ivo Traça.
Os militares reconhecem que estão pressionados, devem regressar aos triunfos e vão ter de fazer das fraquezas forças, para derrotar a difícil formação diamantífera, agora, orientada pelo português Paulo Torres.
\"Temos de esquecer o Progresso, agora é o Sagrada, também é uma equipa forte e nós vamos lá,  fazer o jogo pelo jogo, para ganhar. Essa é a missão do 1º de Agosto. Este ano vamos defender o título e isso quer dizer, que temos de ganhar todos os jogos. O nosso pensamento é único, ganharmos o jogo\", garantiu Ivo Traça. 
Nas últimas quatro épocas, os agostinos apresentam inúmeras dificuldades nos jogos com os diamantíferos, desde 2016 nos oito jogos disputados, a formação do sérvio Dragan Jovic somou duas vitórias, perdeu um jogo e empatou em cinco ocasiões, um registo a ter em conta pelos rubro-negros.
Ambas as equipas vêm de uma derrota, o que torna mais aliciante o desafio em que a vitória apresenta-se como o principal objectivo dos dois conjuntos, que conhecem bem o doce sabor de conquistar o campeonato nacional. 
O técnico Dragan Jovic pode alinhar o seguinte onze: Tony Cabaça - Isaac, Dany Massunguna, Bobó, Paizo - Macaia, Catraio, Kila - Zito, Lionel e Mabululu.  
JORGE NETO