Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Caxala reabilitado para o 1º de Agosto

Betumelano Ferr?o - 07 de Março, 2017

António Caxala no polémico jogo, mereceu reacção enérgica do 1º de Agosto

Fotografia: Jornal dos Desportos

O árbitro António  Caxala voltou a apitar no domingo, no jogo entre a Académica do Lobito e o 1º de Agosto, quase três anos depois de apitar um desafio dos militares. O internacional fez uma travessia no deserto e deixou de ser nomeado para os embates do campeão, depois da polémica actuação nos quartos-de- final da Taça de Angola, em que os militares foram eliminados pelo Kabuscorp do Palanca.

A ausência de António Caxala, nos jogos do 1º de Agosto, é sem precedentes na história da arbitragem nacional, mas nunca foi justificada pela direcção do Conselho Central de Árbitros de Futebol de Angola (CCAFA). Nas entrelinhas, deu para ler que o internacional angolano foi punido por anular uma jogada, que na gíria diz-se, anular um golo, aos militares.

O desacerto de António Caxala aconteceu, por indicação do árbitro assistente Júlio Lemos, também internacional, só Caxala desapareceu em todos os jogos que o 1º de Agosto disputou nas provas internas, no campeonato, na taça e na Supertaça, até à quarta jornada do Girabola ZAP 2017.

A má decisão de António Caxala criou rebuliço dentro e fora da Cidadela. O  técnico Dragan Jovic perdeu a postura,  calma e serena a sua imagem de marca, e acabou expulso por suplicar ao assistente Júlio Lemos que reconsiderasse a sinalética, mas em vão, no tempo regulamentar o jogo terminou com um nulo, e na chamada lotaria dos penáltis, o Kabuscorp ganhou por 4-2.

A actuação de António Caxala no polémico jogo, mereceu reacção enérgica do 1º de Agosto, pois poucos dias antes também  se sentiu prejudicado no empate 1-1, no jogo com os palanquinos para a 20ª jornada do campeonato.

Além de orientar o gabinete jurídico a enviar uma carta de protesto à FAF, o 1º de Agosto através do seu porta-voz para o futebol, Carlos Alves, lamentou-se na altura  ao Jornal dos Desportos, a má sina nos jogos ajuizados por António Caxala.

\"Até agora, estamos com dificuldades de nos lembrar de um jogo apitado por Caxala,  que ganhássemos. Não nos parece mera coincidência\", acusou.Sem baixar o tom, Carlos Alves questionou, naquele ano, a nomeação de Júlio Lemos \"poucos dias depois\" da má actuação no jogo do campeonato com o Kabuscorp, e reforçou a suspeita contra Caxala.

\"António Caxala já apitou, este ano, quantos jogos do Kabuscorp? Há um núcleo restrito que foi criado para certas coisas, as coisas aqui não acontecem por mero acaso, como nos querem fazer crer. Felizmente, nós estamos em condições de dizer que não enveredamos por este tipo de práticas, a nossa direcção prefere investir na formação. É melhor gastar o dinheiro com os nossos miúdos do que pagar árbitros\", garantiu.