Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Cervejeira Cuca pode patrocinar o Progresso

Avelino Umba - 23 de Maio, 2019

Sambilas podem ter a partir da prxima temporada o apoio uma empresa cervejeira

Fotografia: Jornal dos Desportos

A equipa principal de futebol do Progresso Sambizanga, cuja prestação no campeonato deste ano, não foi melhor, devido as dificuldades financeiras que atravessou (os atletas estão sem salários há oito meses), poderá usar a marca Cuca a partir da temporada 2019/2020, com inicio previsto para o mês de Agosto próximo, soube o Jornal dos Desportos de uma fonte do grémio sambila.
De acordo com a mesma fonte,  a empresa Cervejeira Cuca de Luanda poderá, nos próximos dias, formalizar o patrocínio ao Progresso Associação Sambizanga, sem , contudo, avançar o tempo de duração do referido auxílio a ser dado à agremiação liderada por Paixão Júnior.
A consumar-se o acordo entre as duas instituições, a marca Cuca passará a estar presente nas camisolas do clube, em substituição do Kero e outras empresas, que desistiram de apoiar os sambilas, em face a crise que o país atravessa no capítulo financeiro.A empresa Cuca,  Companhia União de Cervejas de Angola, é uma sociedade de direito privado, com sede em Luanda, e no âmbito do seu objecto social, patrocinou grandes eventos desportivos, como foi o caso do Torneio Popular Cuca.
A sua principal fábrica está localizada no município do Cazenga e foi fundada a 26 de Abril de 1952, pelo Dr Manuel Vinhas.
O plantel sambila, oitavo classificado do campeonato, depois do jogo diante do Petro de Luanda, que culminou com empate a uma bola, entrou de férias, devendo os jogadores e técnicos regressarem ao trabalho, após o pronunciamento da direcção do clube.Apesar de ter feito um campeonato razoável, senão mesmo airoso, a julgar pela falta de condições financeiras que culminaram em greves, por parte dos atletas, em várias ocasiões, Hélder Teixeira mostra-se insatisfeito e, de acordo com o pronunciamento feito, pondera seriamente em continuar no clube sambila, onde trabalha há duas épocas, exigindo melhor organização da direcção do clube.
As declarações de Hélder Teixeira, proferidas aos Órgãos de Comunicação Social, tiveram grande impacto e não agradaram a direcção do clube.
Por falta de salários e prémios de jogos, em Novembro do ano passado, depois do jogo diante do Recreativo da Caála, em que venceram por 3-1, quando estavam disputadas três jornadas e na terceira posição, Hélder Teixeira rescindiu o contrato com a direcção do clube, tendo regressado ao comando técnico dois meses depois, ou seja, em Janeiro deste ano, após a direcção do clube ter recuado da sua decisão.AVELINO UMBA