Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Chinho sepultado hoje no Santa Ana

Paulo Caculo - 11 de Julho, 2019

Desportistas e sociedade em geral rendem esta manh a ltima homenagem ao campeo africano de Sub-20 de 2001

Fotografia: Edies Novembro

Os restos mortais do ex-futebolista João dos Santos Almeida "Chinho", assassinado na passada segunda-feira, no Distrito Urbano da Sapu, no município do Kilamba Kiaxi, serão sepultados hoje, às 10h00, no Cemitério de Santa Ana. O enterro do antigo futebolista será antecedido de uma cerimónia de homenagem, na Casa Velório do Governo de Luanda, sita no perímetro do referido cemitério, segundo fontes familiar.
O antigo craque do Petro de Luanda, Sagrada Esperança, Santos FC e Recreativo do Libolo morreu, na última segunda-feira, vítima de assassinato, quando, segundo fontes afectas aos Serviço de Investigação Criminal (SIC), após sair de casa, em Viana, teria sido perseguido por dois supostos marginais que se faziam acompanhar em uma motorizada, que dispararam contra o ex-internacional angolano, originando morte imediata, no interior da sua viatura, um Range Rover, de cor cinza.
Por esclarecer continua, ainda, o principal móbil do crime, protagonizado às 11h00 de segunda-feira, em plena via pública, na Sapu. No seio da família, gera surpresa e curiosidade, pelo facto de os meliantes terem deixado todos os pertences de Chinho, incluindo a própria viatura, intactos.
Deolinda Almeida, prima do falecido, diz que a morte prematura de Chinho deixou um enorme vazio no seio da família. Confessa não estar a acreditar que tenha sido assassinado, porque garante que \"era uma pessoa que falava muito pouco e não era de arranjar problemas com ninguém\". Implora aos órgãos competentes da Polícia Nacional que encontrem, rapidamente, os autores deste crime.\"A família está totalmente para baixo. Não há quem consiga nos consolar. Ninguém esperava por uma notícia destas. O Chinho sempre foi uma pessoa do bem, nunca fez mal a ninguém. A gente só pergunta, porquê?", questionou-se a prima do antigo campeão africano de Sub-20.De acordo com o director do Gabinete de Comunicação Institucional e Imprensa de Luanda do Ministério do Interior, Mateus de Lemos Rodrigues, em declarações proferidas à RNA, especialistas trabalham no caso para encontrarem os mentores do assassinato e as reais motivações."Toda e qualquer informação passada agora é preliminar. Tomámos conhecimento do facto poucas horas depois da ocorrência. Temos os técnicos a trabalhar no local do crime, com o propósito de colherem o maior número de dados possíveis. Tão logo haja outros desenvolvimentos, viremos a público prestar esclarecimentos\", disse Mateus Rodrigues.
Várias mensagens de solidariedade à família, proveniente de distintas organizações desportiva e singulares chegam à redacção do Jornal dos Desportos. O Atlético Petróleos de Luanda, clube onde se notabilizou o jogador, refere em nota, que lamenta profundamente o falecimento do seu ex-atleta e endereça condolências à família e deseja eterno descanso a Chinho.

MORTE DE ANTIGO ATLETA
FAF e Sagrada confortam família


A direcção da Federação Angolana de Futebol (FAF) e o colectivo de trabalhadores expressaram os sentimentos de pesar, pelo passamento físico do ex-futebolista João dos Santos de Almeida "Chinho",na  segunda-feira, vítima de assassinato, em Luanda.
Uma nota da instituição indica, que “nesta hora de luto, expressamos os mais sinceros pêsames à família enlutada, desejando força e conforto divino, neste momento de dor".   
O antigo futebolista representou, em diversas ocasiões, as Selecções Nacionais. Em 2001, foi campeão africano, em Sub-20, prova que se disputou na Etiópia. No mesmo ano, fez parte da selecção que disputou o campeonato do mundo da categoria, na Argentina.Por seu lado, o Grupo Desportivo Sagrada Esperança da Lunda - Norte, um dos clubes em que evoluiu o antigo médio esquerdo, manifestou-se consternado pelo ocorrido.De acordo com uma nota de condolências enviada à Angop, "Chinho" deu um grande contributo na evolução do clube em 2005, época em que a equipa de futebol conquistou o Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão (Girabola).
“Nesta hora de dor e luto, nos inclinamos perante à sua memória, endereçando à família sentimentos de pesar”, sublinha o comunicado.
O assassinato do antigo capitão do extinto Santos FC, 37 anos de idade, ocorreu às 10h00 de segunda-feira, na Sapu, município do Kilamba Kiaxi, quando conduzia uma viatura Range Rover, foi perseguido por uma motorizada em que seguiam dois indivíduos, um deles disparou e provocou morte imediata.