Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Clima tenso no Petro

Juscelino da Silva - 05 de Setembro, 2019

Empate em Benguela e derrota no Lubango provocam mal-estar no seio da

Fotografia: Aro Martins (Hula)/Edies Novembro

O Conselho Geral do Petro de Luanda reúne-se hoje, às 16h00, na sede social do clube, para analisar o mau arranque da época futebolística 2019/2020 e a vida interna da agremiação. A reunião é de carácter urgente, segundo apurou o Jornal dos Desportos de uma fonte do grémio tricolor, conta com o "núcleo duro" consubstanciado nas presenças de Manuel Domingos Vicente, Hermínio Escórcio, Joaquim David, Silva Neto, Sebastião Pai Querido, António Mangueira e Armando Machado.
A não realização de uma Assembleia Extraordinário há mais de quatro anos, o mau início de época dos vice-campeões nacionais, associado ao "jejum" de título (a equipa  de futebol sénior  não ganha o campeonato há dez anos), leva o Conselho Geral do Petro de Luanda a convocar a reunião de "carácter urgente", para analisar e tomar medidas sobre o estado da equipa e o futuro da direcção liderada por Tomás Faria, que está no último ano de mandato.O clube tem uma boa saúde financeira e não se compreendem as razões que impedem a conquista do Girabola Zap, segundo uma fonte próximo ao Conselho Geral do Petro de Luanda. O clube é o mais titulado da competição: 15 troféus.
"Aqui, não está em causa a saúde financeira do clube. É bem verdade que no passado houve limitações financeiras, mas fez-se o reajuste financeiro para o clube; entrou algum valor extra, via Afrotaças. Portanto, vamos reunir, avaliar e tomar as decisões de forma a contornar o mau momento do nosso clube", rematou a fonte.
As constantes mudanças na área do futebol, a promoção de António Cosano para a equipa de futebol sénior, vindo da formação, bem como as contratações feitas para a presente época de futebol e as dispensas de atletas, como Carlinhos, Mira e Hélio deixam a massa associativa do Petro de Luanda agastada com a direcção do clube do eixo-viário. A reacção tomada pelos adeptos, no final da partida com o Desportivo da Huíla e o Petro de Luanda, no Lubango, em que perdeu por 1-0, justifica o estado de espírito.
Os adeptos insurgiram-se contra o autocarro que levou os jogadores e com a viatura disponibilizada para o presidente do clube, Tomás Faria. A massa associativa está descrente que Toni Cosano tenha argumentos para levar a equipa à conquista do Girabola Zap.
O presidente Tomás Faria, os adjuntos e os funcionários do clube tricolor estão todos expectantes com o resultado da reunião de hoje, que pode originar mudanças urgentes na direcção.
Fazem parte da reunião do Conselho Geral do Petro de Luanda, os antigos presidentes de direcção do clube, presidentes honorários e ex-presidentes da Mesa da Assembleia Geral.