Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Colossos abrem a época

Betumeleano Ferr?o - 04 de Fevereiro, 2017

Militares e libolenses disputam nos Coqueiros primeiro troféu do ano

Fotografia: Jornal dos Desportos

Alegria ou tristeza, são dois sentimentos diferentes, que podem reinar nos balneários do 1º de Agosto, campeão nacional, e no do Libolo que é o vencedor da Taça de Angola, no final do jogo da Supertaça 2017.

As duas formações podem protagonizar a partir das 15h30m, no Estádio dos Coqueiros, um duelo inédito entre os dois contendores, nestas circunstâncias. O encontro do vencedor está a ser aguardado com grandes expectativas.

O jogo tem todos os ingredientes para ser interessante. O facto de a decisão ser num só dia, vai forçar, até certo ponto, que os dois contendores entrem no jogo inclinados para frente. Adoptar uma postura ofensiva é a maneira mais segura, que o 1º de Agosto e o Libolo têm, para no final erguer o primeiro troféu da temporada.

As duas equipas vão para o relvado dos Coqueiros, em igualdade de circunstâncias, e seria falta de bom senso, por tratar-se do primeiro jogo da época,  atribuir doses de favoritismos aos militares ou aos libolenses. Os dois contendores são equivalentes, pelo que o triunfo no tempo regulamentar, ou na lotaria das grandes penalidades, apenas pode deixar boquiabertos se o resultado for dilatado.

O 1º de Agosto preferiu preparar a Supertaça em Benguela, enquanto o Libolo abriu os cordões à bolsa, e foi estagiar a Portugal. A escolha das duas equipas pode trazer mais benefícios climáticos aos campeões nacionais, já que o vencedor da taça, submetido a temperaturas baixas e muito frio, tem menos probabilidades de driblar o forte calor de Luanda.

Até ao momento, Dragan Jovic e Vaz Pinto, não têm muita certezas, se os testes que efectuaram foram positivos ou não, apenas no decorrer do jogo vai se ver, se fizeram bem os trabalhos de casa.

Se a época estivesse a decorrer há meses, os dois treinador tinham como medir a forma desportiva das equipas, pelo que a Supertaça vai ser uma oportunidade de ouro, para os dois corpos técnicos tirar ilações do que ainda precisam de fazer, para ter uma equipa competitiva.

A janela de transferência fragilizou as duas equipas, mas é ponto assente, que o 1º de Agosto perdeu três influentes peças da equipa titular, dos últimos três anos. Se a saída do centro -campista Jumisse aparenta ser fácil de colmatar, o mesmo não pode dizer-se de Papel e Gelson, craques e melhores mercadores da equipa nas últimas épocas.

O Recreativo do Libolo trocou de treinador, o português João Paulo Costa deixou o lugar para o seu compatriota Vaz Pinto, que regressa, pela porta grande, ao futebol angolano. Pela primeira vez, o novo técnico libolense orienta uma equipa ganhadora, talvez o maior desafio da sua carreira. A conquista da Supertaça é a grande oportunidade a agarrar para justificar a contratação.

O único senão, da Supertaça, é o local onde vai ser disputada, no Estádio dos Coqueiros. A grandeza competitiva do 1º de Agosto e do Libolo justifica(va) um relvado de maior dimensão, para estender o futebol à vontade. As dimensões do relvado vão ser as mesmas, para militares e libolenses, mas se perguntassem aos contendores, seguramente preferiam estar mais bem acomodados.

João Goma inicia
com apito na boca

O Conselho Central de Árbitros de Futebol de Angola "CCAFA" decidiu caprichar nas nomeações, para a Supertaça. Com efeito, indigitou um quarteto de internacionais, chefiado por João Goma, árbitro principal, Júlio Lemos e Rosário Cassinda, juízes assistentes, e António Caxala, 4º. árbitro.

A escolha do CCAFA recaiu sobre o melhor árbitro do ano passado. O juiz mereceu a confiança do Conselho, terminou a época no topo da classificação com 277 pontos, média de 4.61 por jogo.

A decisão do elenco de Jorge Mário Fernandes é consensual, pelo facto da escolha beneficiar o árbitro, que mais se destacou durante a temporada passada.

Para coadjuvar o João Goma, foram indicados os também internacionais Júlio Lemos e Rosário Cassinda, cujos desempenhos o ano passado foi quase semelhantes. A época do segundo assistente, acabou por ser mais regular, conseguiu mais três pontos do que Júlio Lemos, 278 - 275.

O novo elenco da CCAFA quer ventos novos na arbitragem nacional, motivo que levou o presidente Jorge Mário em não esconder a ambição, de ver uma época sem muitos dedos apontados na direcção dos juízes.

O grande desejo do líder do Conselho, é que os árbitros evitem  motivos de queixa, desde a Supertaça, os erros podem acontecer, mas o dirigente não quer no final dos jogos, que os árbitros continuem a ser considerados responsáveis pelos insucessos dos derrotados.


RECREATIVO DO LIBOLO
Vaz Pinto fala em vitória


Olhos nos olhos. É desta forma que o técnico do Recreativo do Libolo, Vaz Pinto, encara o jogo da Supertaça, diante do 1º de Agosto, agendado para hoje, às 15h30, no Estádio dos Coqueiros.

O novo timoneiro dos libolenses fez questão de afirmar, durante a conferência de imprensa de antevisão ao jogo desta tarde, que o objectivo da equipa que orienta, é conquistar o primeiro troféu da época, para repetir o feito alcançado em 2016.

"Esperamos, naturalmente, vencer o jogo, mas respeitando o 1º de Agosto. Vamos estar virados, obviamente, para aquilo que é a nossa forma de jogar, porque o Libolo tem de estar focado nos objectivos traçados para a época. O nosso objectivo é vencer todas as provas, em que estaremos engajados, sobretudo, conquistar o maior numero de troféus", adiantou-se a esclarecer o novo treinador libolense.

"Estamos prontos a competir e cumprir, inicialmente, com o objectivo de vencer a Supertaça, para depois reformular os objectivos para o resto da época", acrescentou Vaz Pinto.

Durante o período de preparação para este jogo, os libolenses dedicaram especial atenção aos ensaios de circulação, troca e posse de bola, com particular realce para os exercícios de jogadas combinadas.

Diante de um adversário, que é simplesmente o actual campeão nacional, a equipa de Calulo não espera facilidades, razão pela qual o seu treinador encara o jogo com cautela, contudo, sem descartar o propósito da conquista do troféu. Revela enorme optimismo e manifesta total confiança no grupo que orienta.

Recorde-se, que o Recreativo do Libolo venceu a segunda Supertaça, o ano passado, ao vencer o FC Bravos do Maquis, por 6-0, desafio que foi disputado no Estádio dos Coqueiros, palco do jogo de hoje. Em caso de vitória, os libolenses alcançam a terceira conquista.
PAULO CACULO


1º DE AGOSTO
Jovic aposta na
força colectiva 


A força do colectivo é a receita, que a equipa do 1º de Agosto aposta esta época, para alcançar os objectivos traçadas nas três frentes.
O primeiro teste à capacidade dos militares, de sobrepor às adversidades, acontece hoje, no primeiro jogo sem as maiores referências do plantel do ano passado.

A afirmação foi feita, na quinta-feira, pelo técnico militar, Dragan Jovic, na sede da Federação Angolana de Futebol (FAF), sita na Urbanização Nova Vida, no lançamento do embate de mais logo, deixa antever um conjunto centrado mais na colectividade.

"Vamos jogar de modo mais colectivo. Naturalmente, perdemos alguns jogadores influentes na manobra da equipa, que tinham fortes características individuais, agora vamos jogar de outra forma, apostar mais no colectivo", afirmou.

O técnico bósnio ao serviço dos rubro - negros mostrou o seu compromisso, com a qualidade do futebol que pretende apresentar, para justificar o estágio de pré-época de 19 dias realizado na província de Benguela.

"A minha expectativa é de fazer uma boa apresentação. Para nós, não é só importante ganhar, mas confirmar tudo aquilo que fizemos em Benguela. Sabemos também que vamos encontrar um adversário difícil, e com os seus objectivos", destacou.

Em relação aos sete reforços, contratados esta época, Dragan Jovic depositou a confiança em todos os atletas e prevê que tenham um bom desempenho, para ajudar a equipa a alcançar os seus objectivos.

"Temos uma equipa para fazer boa temporada. Contratamos jogadores com qualidades, capazes de proporcionar bons espectáculos e resultados satisfatórios, apesar de faltar ainda um ponta de lança fixo, que a curto prazo será encontrado",  concluiu.
Jorge Neto


ONZE INICIAL
Massunguna entra nas opções  


O defesa central e capitão da equipa do 1º de Agosto, Dany Massunguna, entra nas opções do técnico Dragan Jovic para fazer parte do onze inicial, no desafio decisivo da Supertaça, diante da formação libolense.

O experiente defesa treinou com limitação, durante a semana, queixa-se de dores musculares e foi poupado por precaução, mas nada que afecte a participação neste desafio, conforme referiu um membro da equipa técnica militar.

O avançado Diogo Rosado está igualmente recuperado, depois de  trabalho de ginásio ao longo da semana, enquanto a única incerteza está ligada ao avançado Guelor.

Até ontem, não havia nenhuma indicação no sentido do jogador estar totalmente recuperado das dores que apresentava na zona da virilha, ainda assim, Dragan Jovic conta com o plantel para esta primeira grande empreitada da época, pode alinhar o seguinte onze:
Dominique - Isaac, Dany Massunguna, Bobó, Natael - Gogoró, Buá, Ibukun, Paiz -; Geraldo e Vado.
JN


BALNEÁRIO
Carlitos reparte favoritismo 


O vice -capitão do Recreativo do Libolo, Carlitos, considera a possibilidade de 50 por cento de favoritismo para cada uma das equipas. O jogador justifica o discurso com o facto do confronto colocar frente-a-frente, duas das melhores equipas do futebol angolano. O lateral -direito e internacional dos Palancas Negras acredita, que vai ser um jogo difícil para as duas equipas, e recusa qualquer favoritismo para a equipa militar, por ser o campeão do Girabola, e muito menos para os libolenses, em virtude de ser campeão da última edição da Supertaça.

"Penso que o favoritismo está repartido, entre as duas equipas, e acho que será mais um jogo que vai abrir a época, em que as equipas encaram com alguma ansiedade, sobretudo, o desejo de voltar a competir. Em relação as vantagens que uma possa ter em relação à outra, penso que não há vantagens, e a questão de jogar em Luanda é relativo, porque trata-se de uma Supertaça e ninguém joga em casa", assegurou Carlitos.

O experiente jogador mostra-se optimista, em termos pessoais, e assegurou estar preparado para cumprir uma carreira, sem sobressaltos, ao nível das exigências do clube de Calulo, com quem se sagrou campeão em duas ocasiões.
PC


PALMARÉS
Datada de 1988, a Supertaça de Angola em futebol, é a competição que envolve os vencedores do campeonato nacional e da taça, organizada para ser  disputada  a 4 de Fevereiro, este ano é  a sua 28ª edição, opõe  pela primeira vez no seu historial,  as formações do 1º de Agosto e Recreativo do Libolo do Cuanza Sul.

A prova cujo primeiro vencedor foi o Petro de Luanda, conheceu um interregno de dois anos (1989 e 1990) e é dominada pela equipa “militar” com sete títulos, quatro dos quais de forma consecutiva.

Segue-se o Petro e o Atlético Sport Aviação (ASA), ambos com seis troféus,  Interclube (3), Libolo (2), enquanto o Independente do Tômbwa, Benfica de Luanda, Santos FC e Kabuscorp do Palanca, têm um título cada.

Lista dos vencedores
e datas da Supertaça

ANO  VENCEDOR


1988 Petro de Luanda
1989 Troféu não disputado
1990 Troféu não disputado
1991 1º de Agosto
1992 1º de Agosto
1993 Petro de Luanda
1994 Petro de Luanda
1995 Indep. do Tômbwa
1996 Atlético Sport Aviação
1997 1º de Agosto
1998 1º de Agosto
1999 1º de Agosto
2000 1º de Agosto
2001 Interclube
2002 Petro de Luanda
2003 Atlético Sport Aviação
2004 Atlético Sport Aviação
2005 Atlético Sport Aviação
2006 Atlético Sport Aviação
2007 Benfica de Luanda
2008 Interclube
2009 Santos FC
2010 1º de Agosto
2011 Atlético Sport Aviação
2012 Interclube
2013 Petro de Luanda
2014 Kabuscorp
2015 Recreativo do Libolo

2016 Recreativo do Libolo
2017    ?