Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Conselho Central de Árbitros acaba com tabus do passado

Betumelano Ferr?o - 28 de Março, 2017

Dérbi1º de Maio - Académica para a quinta jornada do campeonato foi dirigido por um quarteto benguelense

Fotografia: José Soares

O Conselho Central de Árbitros de Futebol de Angola (CCAFA), agora liderado por Jorge Mário Fernandes, dá indícios, nas sete jornadas do Girabola ZAP, de adoptar novos critérios de nomeação de árbitros para os jogos do campeonato.

De entre os ventos de mudança, trazidos pelo CCAFA, o Jornal dos Desportos destaca dois relevantes, um deles, ocorrido na 5ª jornada, ao indicar o quarteto Paulo Talaia, Ricardo Daniel, Joaquim Chiyo, Benjamin mais o comissário Carlos Lopes, todos de Benguela, para o dérbi local 1º de Maio - Académica do Lobito.

A nomeação de quatro árbitros, e 1 comissário, benguelenses, parece não ter precedentes nos anais do campeonato nacional, mas mesmo que não seja uma medida inédita, acabou por terminar com o que há anos parecia ser norma, ver  árbitros e comissários de Luanda nos jogos de clubes de Luanda, ou contra adversários do interior.

O ano passado, o CCAFA liderado por Muluta Prata, chegou a indicar Paulo Talaia para um jogo do 1º de Maio. Ao que consta, o facto dos proletários e da Académica do Lobito, outro representante de Benguela no Girabola Zap, terem estado envolvidos na luta contra a despromoção, pode ter condicionado a presença dos árbitros benguelenses nos desafios dos clubes locais. 

O CCAFA é capaz de fazer história, se estender os benefícios aos árbitros da Huíla, de ajuizar os jogos do Desportivo. A província do Cristo Rei tem nos seus quadros o consagrado Jerson Emiliano, melhor árbitro assistente do CAN 2017, assim como outros nomes conhecidos do apito nacional, como Romualdo Baltazar, e o comissário João Gonçalves, um dos mais antigos do país.

A outra nota de realce, no mandato de Jorge Mário Fernandes, tem a ver com a reabilitação do internacional António Caxala, para os jogos do 1º de Agosto. A meio da época 2014, o categorizado juiz foi proscrito de todos os jogos dos militares, logo depois da polémica eliminação do campeão da Taça de Angola, diante do Kabuscorp do Palanca.

Os motivos da longa ausência de António Caxala, dos jogos do 1º de Agosto, nunca foram tornados públicos, mas a atitude do CCAFA ao nomear o árbitro para o embate da 4ª jornada entre o 1º de Agosto e a Académica do Lobito, mostra que Jorge Mário Fernandes e colaboradores não se deixam influenciar por questões, que acontecem nos bastidores.