Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Coprat ergue trofu

27 de Agosto, 2018

Comandados de Rui Sampaio na partida com a lio estudada

Fotografia: Aro Martins|Hula |Edies Novembro

A equipa da Coprat Futsal Clube derrotou na final a  Marinha de Guerra de Luanda, por tangencial 5-4 e sagrou-se no sábado, no pavilhão Multiuso de Nossa Senhora do Monte, campeã nacional de futebol de salão, em sénior masculino, prova que decorreu de 15 a 25 do corrente na cidade do Lubango.
Os comandados de Rui Sampaio entraram na partida com a lição estudada e determinados a contraporem todos os intentos do adversário, pelo que criaram muitas dificuldades ao opositor, desde o primeiro momento.
Fruto disso, ao intervalo levavam uma vantagem de 4 bolas a 2, numa final escaldante e bem disputada do primeiro ao último minuto da contenda.
No reatamento, registou-se um equilíbrio devido à mudança do sistema técnico táctico da equipa da Marinha de Guerra de Luanda, orientada por Franklin Inácio.
Os golos da nova equipa campeã que destrona do título a formação da RNT (terceira classificada), foram apontados por Caluanda duas vezes, Chiquito, Nonó e um auto- golo de Di Maria, enquanto para Bucho, Zipa e Di Maria por duas vezes fizeram os golos para a equipa vencida.
O técnico -adjunto da equipa da Coprat, Machossy Mota, na final era um homem feliz, pela conquista do título que foge do clube, há alguns anos e felicitou a sua rapaziada.
Machossy Mota disse, que foi um jogo de final muito difícil, mas os seus atletas foram autênticos bravos e guerreiros. “Foi um jogo muito difícil. Mas os meus rapazes foram bravos e guerreiros. Acima de tudo devo felicitar a Marinha de Guerra de Luanda, por ser uma equipa muito guerreira. Desde o primeiro momento, criou-nos muitas dificuldades. Mas nós conseguimos transmitir o que trabalhamos aos nossos jogadores, para  virmos aqui alcançar os nossos objectivos”, disse.
Franklim Inácio, técnico da Marinha de Guerra de Luanda, considerou  uma derrota inesperada, porque os nossos níveis de confianças estavam muito altos.
“Nós viemos de uma meia-final espectacular, mas entramos muito mal na primeira parte. O adversário fez três golos, logo nos minutos iniciais. E, para recuperar esses três golos a zero, é muito difícil. Mas a minha equipa teve uma atitude super. Fez a recuperação na segunda parte. Porém, a Coprat é uma equipa muito experiente e aguentou bem”, justificou.
 Frankim Inácio reconheceu a superioridade da equipa adversária, felicitou a Coprat pela conquista do troféu do título nacional época 2018.
 O treinador da Marinha de Guerra de Luanda afirmou que como já perderam o nacional, o provincial de Luanda, “ não podemos mais perder a taça de Angola”.
Para o terceiro lugar masculino, a formação do PC de Benguela perdeu diante da RNT de Luanda. por 3-5.
A organização atribuiu o troféu de melhor guarda-redes ao atleta Stelvio Pedro, do Grupo desportivo da RNT, com 8 golos sofridos, enquanto Hélder Domingos, da equipa do PC de Benguela, foi o melhor marcador com 13 golos apontados. O atleta, Leandro Muhongo, da Coprat Futsal Clube,  recebeu o troféu de melhor jogador da competição.