Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Corrigir as falhas

Paulo Caculo - 27 de Março, 2017

Selecção Nacional treina hoje no palco do jogo amigável com a congénere da África do Sul

Fotografia: SANTOS PEDRO | Edições Novembro

A Selecção Nacional de honras realiza hoje, às 19 horas, na cidade de East London, uma sessão de treino de adaptação ao relvado e ambiente do Búfalo City Stadium, palco do jogo de amanhã, frente à África do Sul, enquadrado no ciclo de preparação que visa as eliminatórias de acesso ao CAN de 2019, nos Camarões.

Depois da derrota (2-0) averbada no desafio diante de Moçambique, disputado no sábado passado, o conjunto nacional às ordens do seleccionador Beto Bianchi espera corrigir a estratégia de formas a melhor a exibição e o resultado, embora diante de um adversário muito mais complicado.

Embalando nesta visão, a sessão de treinos desta tarde deve incidir-se nos exercícios de acerto do posicionamento táctico, mas também nos ensaios de circulação, passe e posse de bola e jogadas combinadas. Beto Bianchi pode aproveitar, igualmente, o curto treino para ensaiar novas opções em alguns sectores da equipa.

Durante a sessão de treino, que não deverá exceder as duas horas, o seleccionador nacional pode deixar ainda claro o naipe de prováveis titulares para o jogo de amanhã. Nessa altura, Beto Bianchi deve ainda proceder aos habituais acertos do modelo de futebol pretendido para anular os intentos dos Bafana Bafana.
  
Prevê-se que o seleccionador nacional venha a efectuar muitas mexidas ao "onze" que perdeu com os Mambas, sobretudo na defesa e meio-campo. Com tais alterações, Beto Bianchi espera criar condições para que a selecção produza jogadas de transições rápidas, mas sobretudo tenha maior posse de bola e melhor finalização.  

Integram a selecção, na África do Sul, os guarda-redes Gerson e Neblu, os defesas Bastos, Buatu, Natael, Mira e Lunguinha, os médios Eddie Afonso, Fredy, Nari, Paty, Manguxi, Ary Papel, Herenilson, Dudu Leite, Buá, Vá, Nandinho e os avançados Fredy , Ary Papel, Vá, Buá, Nandinho, Yano e Manucho Gonçalves.

PRONTIDÃO
Bafana em “peso” trabalham para os Palancas

Os Bafana Bafana da África do Sul, que amanhã defrontam os Palancas Negras,  no quadro da sua preparação para as eliminatórias do "Mundial" da Rússia, em 2018 e CAN dos Camarões, em 2019, têm vindo a trabalhar com o grosso dos seus melhores jogadores do momento, que actuam na Liga local, e na Europa,

O técnico adjunto dos Barafa Bafana, Owen Da Gama, tem às suas mãos vinte e cinco (25) jogadores, alguns dos quais actuaram já, sábado, na vitória (3-1) sobre a Guiné Bissau.

Sob as rédeas do referido técnico dos Bafana Bafana, que até a 9 deste mês ainda não tinham um treinador principal, começaram a trabalhar desde o dia 19 para os dois jogos - com a Guiné Bissau e Angola.

Trata-se dos guarda-rédes Itumeleng Khune (do Kaizer Chiefs), Darren Keet  (do Bidvest Wits) e Walters (do Cape Town City); os defesas Ramahlwe Mphahlele, Eric Mathoho, Lorenzo Gordinho (todos do Kaizer Chiefs), Rivaldo Coetzee ( do Ajax Cape Town), Diamond Thopola (do Chippa United), Thulani Hlatshwayo ( do Bidvest Wits) and Tebogo Langerman (e Mamelodi Sundowns) Médios Hlompho Kekana, Tiyani Mabunda, Themba Zwane (todos do Mamelodi Sundowns), Thabo Mnyamane (da SuperSport United), Andile Jali ( do KV Oostende), Kamohelo Mokotjo ( do FC Twente), Dean Furman (da SuperSport United), Keagan Dolly ( do Montpellier de França) e Thulani Serero (do Ajax  de Amsterdão da Holanda).

Médios Phakamani Mahlambi (do Bidvest Wits), Kermit Erasmus ( do Lens de França), Lebogang Manyama ( do Cape Town City), Luther Singh ( do SC Braga de Portugal ), Percy Tau (do Mamelodi Sundowns) e  Lars Veldwijk (KV Kortrjik)

Todos estes jogadores procuram marcar posição para constarem do grupo que vai abordar a corrida para a fase final do CAN de 2019, a disputar-se nos Camarões. A corrida para esta rota abre com a Nigéria, em Junho próximo.

Só foram os jogadores que actuam no estrangeiros que mais deram nas vistas frente à Guiné Bissau no sábado os Bafana Bafana, diante da Guiné Bissão, em Durban,  no Moses Mabhida Stadium,  onde perdiam, por 0-1, até ao intervalo, para depois, no reatamento, darem a volta ao resultado, marcando três golos, primeiro, através de Kermit Erasmus, aos 36 minutos.

Este avançado, que joga em França, não voltava à selecção desde 2014 depois do jogo com a Nigéria. Brilhou no sábado para demonstrar ao técnico Mashaba que afinal estava sempre em forma. Ele comanda o ataque, com auxilio do médio Keagan Dolly, que também joga em França e Thulani Serero, na Holanda.

Young Percy Tau dos Mamelodi Sundowns ( campeões africanos) marcou o segundo golo, aos 69 minutos. Depois, o médio Hlompho Kekana sofreu um penálti, convertido por Andile Jali, que rendeu Themba Zwane.

Os Cães Selvagens da Guiné, conforme é designada esta selecção da África do Leste, abriram o marcador através de Aldair Baldé aos 10 minutos.Havia ainda  a dúvida, nos Bafana Bafana, se os bafana Bafana contariam com o médios Thulani Serero e Kamohelo Mokotjo, que jogam na Holanda. Em relação ao primeiro especulava-se que trocou de nacionalidade o ano passado, mas presidente da Federação Sul-Africana de Futebol, Dr Danny Jordaan, dizia até domingo que ambos estariam de facto disponíveis para o amistoso.                   
A.FÉLIX

DIANTE DE MOÇAMBIQUE
Bianchi justifica
primeira derrota


O técnico principal dos Palancas Negras, hispano-brasileiro Beto Bianchi, justificou no domingo que faltou um pouco mais de profundidade e de definição de jogo, diante dos Mambas de Moçambique que, em casa (Maputo), venceram o amistoso, por 2-0.

"Ma s com o tempo vamos dar a volta a situação", referiu o também seleccionador, que se estreou à frente dos Palancas Negras.Na sua visão e leitura, o que se passou foi mais teoria do que prática, em função do pouco tempo de preparação da equipa, mas, ainda assim, considera os jogadores tiveram um bom ritmo e controlo de jogo.

"Com o tempo e paciência vamos conseguir dar a volta a esta situação, para darmos boa imagem dentro do jogo e jogarmos sempre para ganhar”acrescentou.Na véspera do desafio, apesar de conhecer praticamente os jogadores que actuam no Girabola, Beto Bianchi já dizia que seria muito difícil ver já alteração táctica na selecção no jogo contra Moçambique.

No ranking da Federação Internacional de Futebol, actualizado este mês de Março, Angola ocupa a 147ª posição, enquanto Moçambique aparece no posto 105. Com tal afirmação o treinador pretendeu atenuar a expectativa dos angolanos em ver já resultados positivos, ansiedade que o mesmo diz aceitar, mas acha que é ainda necessário algumas melhorias.

Neste primeiro jogo, Beto Bianchi apostou, de início, em Gerson, Natael, Buatu, Bastos, Edy Afonso, Herenilson, Paty, Ary Papel, Fredy, Bua e Manucho Gonçalves e depois entraram Nary, Manguxi, Vá, Mira e Nandinho.