Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Desabou o imprio

Paulo Caculo - 09 de Maio, 2019

Ex-internacional brasileiro jogou pelos palanquinos em 2012 tendo marcado onze golos em vinte e um jogos

Fotografia: Jose Cola | Edies Novembro

O secretário-geral da Federação Angolana de Futebol (FAF), Rui Costa, confirmou ontem, em declarações ao Jornal dos Desportos, a despromoção do Kabuscorp do Palanca à segunda divisão nacional, em cumprimento à orientação da FIFA, em missiva enviada ao órgão reitor da modalidade em Angola, no passado dia 30 de Abril último.De acordo ainda com o responsável federativo, a medida tem efeitos imediatos apenas a partir da próxima época, pelo que o conjunto palanquino deve efectuar as duas últimas jornadas, que restam para o desfecho do presente Girabola Zap, bem como as eliminatórias da Taça de Angola.

“A federação vai cumprir com a decisão da FIFA, que é rebaixar o Kabuscorp, na próxima época. Caberá, agora, ao clube tentar inverter a situação. À federação aguarda apenas que o clube informe sobre os pagamentos que efectuou e nos mande a documentação comprovativa para informarmos à FIFA”, esclareceu o dirigente.

Rui Costa afirmou, também, ter conhecimento de um comprovativo bancário que circula nas redes sociais, sobre uma alegada transferência efectuada pela direcção do Kabuscorp ao ex-futebolista brasileiro Rivaldo sem, no entanto, confirmar a recepção da referida factura.

INTERESSE NACIONAL
Decisão da Federação evita graves sanções 


O cumprimento por parte da Federação de Futebol (FAF) em rebaixar, na próxima época, o Kabuscorp do Palanca ao escalão inferior visa, segundo deixou perceber o secretário-geral do órgão reitor da modalidade, evitar que a FIFA aplique várias sanções a Angola.

Entre as graves punições que o futebol angolano viria a sofrer, destaca-se o afastamento das selecções e os clubes de todas as competições organizadas pela CAF e FIFA, por um período não inferior a cinco anos, bem como avultadas multas.

De formas a não sofrer riscos desnecessários, a federação optou por acatar pela despromoção do Kabuscorp do Palanca, tal como fez questão de esclarecer o secretário-geral da FAF.

O grande objectivo visar proteger o excelente período de bonança que atravessa o futebol angolano, justificado com a recente qualificação da selecção de sub-17 ao Mundial do Brasil, agendado para Outubro e o apuramento dos Palancas Negras ao CAN do Egipto, a disputar entre Junho e Julho deste ano.

“Na próxima época, o Kabuscorp tem a obrigação de tentar rectificar este caso, já que este ano a FIFA não parece disposta a inverter a situação, sobretudo enquanto não haver provas confirmadas pelas partes envolvidas neste litígio”, disse.