Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Desportivo da Huíla limitado ao Ferroviário

BENINGNO NARCISO- LUBANGO - 08 de Janeiro, 2018

Desportivo vai redobrar este ano as medidas de segurança do estádio de modos a evitar ocorrências que coloquem em causa a vida dos intervenientes numa partida de futebol.

Fotografia: Jornal dos Desportos

Desportivo da Huíla limitado ao FerroviárioO Clube Desportivo da Huíla (CDH) vai contar com o estádio do Ferroviário, no Lubango, como única opção a nível da província, para a realização dos seus jogos oficiais, quando actuar na condição de visitado, no Girabola Zap 2018, que inicia no próximo dia 9 de Fevereiro.
A falta de alternativas decorre do facto de os estádios de Nossa Senhora do Monte e o Nacional da Tundavala não disporem de relva e, o 11 de Novembro, pertença do Benfica do Lubango, com o relvado recém implantado e apto, carecer ainda de intervenção em alguns repartimentos que conformam a infra-estrutura.
“Vamos continuar no estádio do Ferroviário. Primeiro porque o estádio de Nossa Senhora do Monte não está em condições, o do Benfica não acolhe ainda partidas e quanto ao Estádio Nacional da Tundavala, não estamos a ver um horizonte temporal da sua recuperação para fazermos jogos naquele recinto”, lamentou Adriano Lopes, director de Marketing e Imagem do clube.
Alertou que o estádio do Ferroviário carecerá ainda de uma inspecção do Conselho Técnico da Federação Angolana de Futebol, que deverá aprovar ou não o recinto para poder albergar os jogos do clube na época de 2018.
Para o efeito, assegurou que a direcção do CDH trabalha de modos a acautelar e garantir as condições de segurança, acessos, evacuação dos espectadores, balneários e outras garantias a realização de uma partida de futebol dentro dos parâmetros exigidos.
“Nessa altura, vamos acautelar as questões, quer dos acessos, balneários, evacuação do pessoal e outras questões inerentes, tanto dentro como nas cercanias do estádio, susceptíveis de garantia de realização ou não de uma boa partida de futebol”, assegurou.
Indicou que após esse processo e antes da vinda dos especialistas do Conselho Técnico da FAF, uma comissão de inspecção preliminar que integra peritos do Instituto Nacional de Emergências Médicas (INEMA), Associação Provincial de Futebol da Huíla (APFH), Serviços de Protecção Civil e Bombeiros, Polícia Nacional e outros, procede uma avaliação ao recinto. “Na primeira quinzena do mês de Janeiro, vamos realizar uma actividade inspectiva com o Conselho Técnico da APF, Protecção Civil e Bombeiros, INEMA e outros, como antecâmara daquilo que depois o Conselho Técnico da FAF vai fazer para dar ou não o aval para a utilização ou reprovação do estádio do Ferroviário”, informou.
 Optimista quanto a aprovação do recinto, Adriano Lopes assegurou que o Desportivo vai redobrar este ano as medidas de segurança do estádio de modos a evitar ocorrências que coloquem em causa a vida dos intervenientes numa partida de futebol.
BN, NO LUBANGO