Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Desportivo em vantagem na Supertaa

Benigno Narciso-Lubango - 03 de Agosto, 2019

As duas equipas voltam a jogar para a decisiva segunda mo em Luanda

Fotografia: Joo Martins| EDIES NOVEMBRO

O Desportivo da Huíla está em vantagem na Supertaça porque venceu ontem o 1º de Agosto, por 1-0, no estádio do Ferroviário, no Lubango, no desafio da primeira mão  e está com perspectivas favoráveis para a desejada conquista do troféu no jogo decisivo, agendado para a próxima segunda-feira, em Luanda. Ligeiramente mais e melhor entrosados durante a primeira parte, e, por isso, com alguma superioridade alicerçada num futebol interligado entre os três sectores, o que resultou numa actuação fluida, os campeões nacionais revelaram-se, apesar disso, impotentes para justificar essa vantagem. Em contrapartida do outro lado estava um adversário que com uma solidez e solidariedade defensiva, apostou na marcação cerrada, cedendo pouco espaço e tempo para o adversário e ,sempre que possível, saia em contra ataques rápidos, para surpreender a defensiva contraria e tirar vantagem. Lionel, ex-avançado do Desportivo, que se transferiu como um dos principais reforços do 1º de Agosto, esteve em dia não, à semelhança da linha intermédia onde os médios, apesar de melhor dotados tecnicamente, se esbarraram no espírito de determinação, garra, luta e vontade de superação dos contrários. Foi diante deste cenário, com os comandados de Jovic Dragan a actuar em toda a dimensão do terreno do jogo, que os pupilos de Mário Soares, mais cautelosos e a jogar no erro dos visitantes, que se definiu a história do jogo.
Assim, apanhados em contra-ataque, e após uma acção ofensiva rápida, saída do seu último reduto, o médio Nandinho, em progressão, desferiu um portentoso remate à entrada da grande área.  O guarda-redes Tony Cabaça, incapaz, esmerou-se com uma defesa incompleta. A bola ficou perdida na grande área e depois de tentativas falhadas dos defesas Bobo e Dani Massunguna para aliviar o esférico, surgiu o avançado Maníco que, mais expedito, com rapidez, e num toque subtil, marcou o único golo do desafio que dá vantagem à formação afecta á Região Militar Sul.
A segunda parte foi a réplica fiel do que se desenrolou na etapa inicial. O 1º de Agosto superiorizava-se ligeiramente diante da vontade e determinação de um oponente que apostou na cautela e marcação cerrada, o que limitou os visitantes a produzirem maior caudal de jogo, sobretudo no meio campo, contudo improdutivo no ataque onde a mais flagrante oportunidade coube ao avançado Lionel, aos 33´, contudo desperdiçada por falta de discernimento e concentração. O juiz do encontro, João Goma, teve uma actuação positiva sem interferência no resultado final. Foi bem auxiliado por José Félix e Dário Gaspar que revelaram sincronia e capacidade física para o acompanhamento dos lances, observação e ajuizamento das ocorrências do desafio.