Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

"Devemos evitar erros do passado"

Jorge Neto - 07 de Dezembro, 2015

Sarmento Seke colocou a equipa cuanza-nortenha de regresso no Girabola e est confiante numa boa campanha na prxima temporada futebolstica

Fotografia: Jornal dos Desportos

A manutenção da equipa no Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão, Girabola, competição que vai disputar  pela segunda vez no próximo ano, depois de ser relegada para Segundona em 2014, é principal objectivo da direcção e equipa técnica do Porcelana FC do Cazengo. A Garantida foi dada ontem ao Jornal dos Desportos pelo treinador Sarmento Seke.

O treinador angolano, principal peça na ascensão da formação da província do Cuanza Norte à elite do futebol nacional em 2016, disse que para o cumprimento do objectivo não se poderá cometer os mesmos erros do passado. “Depois de colocar a equipa na Primeira Divisão, que não foi fácil, a direcção do clube agora está a fazer todo esforço para não cometer os erros do passado, para ver se neste regresso ao Girabola a equipa permaneça na competição. Aliás, esse foi o objectivo inicial e que vamos procurar cumprir”, revelou.

A antiga estrela do Estrela Clube 1º de Maio de Benguela e Selecção Nacional apontou as grandes dificuldades por que o clube passou nos últimos anos, mas que, felizmente para o grupo, conseguiram ultrapassar e atingir o principal objectivo na última época, o regresso ao Campeonato da Primeira Divisão.

“Tivemos muitas problemas na última época. Não foi fácil cumprirmos o nosso objectivo. Em primeiro lugar foi o problema financeiro, todos conhecemos a realidade que o país está a atravessar, e nós (Porcelana FC) também tivemos este problema sério, mas mesmo assim fiz um esforço e a primeira coisa que consegui foi segurar o balneário, tentei ser amigo dos jogadores, procurei ser o pai, o irmão mais-velho deles, enfim, fiz tudo o que podia fazer para aguentar aquele grupo”, lembrou.

Sarmento Seke, que na próxima época vai se sentar no banco de suplentes do Porcelana FC do Cazengo na qualidade de treinador-adjunto do brasileiro Luís Mariano, referiu que o facto de a maioria dos jogadores da equipa residirem em Luanda, tornou ainda mais complicado as coisas. “Como sabem, não é fácil, porque 99 por cento dos jogadores que representam o Porcelana vivem em Luanda, eles tem as suas famílias, recebiam telefonemas que o filho está doente e não havia dinheiro para tratar essa situação e tudo isso nos trazia muitos problemas no clube, mas graças a Deus, consegui manter o grupo”, recordou.

O treinador que colocou a equipa no Girabola 2016, competição que inicia no mês de Fevereiro, assegurou que o pagamento dos prémios de jogos de forma atempada, contribuiu muito para o sucesso da equipa, servindo de suporte para os problemas financeiros vividos. “Também tivemos a sorte no apuramento, porque em cada jogo que nós fazíamos, no final da partida, recebíamos o prémio. Esse prémio tentou equilibrar os nossos bolsos e assim fomos até conseguirmos o apuramento ao Girabola”, considerou.

NOVA EQUIPA TÉCNICA
Técnico-adjunto descarta problema

A equipa do Porcelana FC do Cazengo vai ser orientada na próxima época futebolística, que tem início em Fevereiro, pelo treinador brasileiro Luís Mariano, em substituição do angolano Sarmento Seke, que fica na condição de adjunto.

Questionado se o facto de ter sido relegado à condição de subordinado, depois de na última época ter colocado a equipa no Girabola, não poderá criar situações nefastas à equipa, Sarmento Seke disse que não. Por este motivo, Sarmento Seke remeteu a questão dos reforços para o novo líder do conjunto do Cuanza Norte, que segundo ele, já começou a mover-se em contratações para a nova época.

“A direcção do clube está a trabalhar para isso. Como devem saber, a direcção  contratou outro treinador para reforçar a equipa. Vou trabalhar com o professor Luís Mariano, na condição de adjunto dele, ele próprio também já contactou alguns jogadores para se juntarem aqueles que não foram dispensados”, disse o técnico que liderava a equipa do Porcelana FC há dois anos.

De acordo com o adjunto de Luís Mariano, já está igualmente traçado o perfil de jogadores que desejam para representar o Porcelana FC.
“Queremos que os jogadores que vêm para o Porcelana não chegam só para jogar, mas para terem também o clube no coração e fazer uma equipa que pode disputar o jogo de igual para igual com qualquer equipa do Girabola”, garantiu.

No que toca ao estágio pré-competitivo da equipa, Sarmento Seke disse estar sob a responsabilidade do novo técnico que está fora do país (no Brasil) e tem o regresso previsto para a primeira semana de Janeiro de 2016. “A direcção está a tratar disso (estágio) com o professor Luís Mariano, que neste momento se encontra no Brasil, e só quando ele voltar é que vamos saber em que condição e onde será feito o estágio”, reagiu.


 MODALIDADE NO CUANZA NORTE
“Subida do Porcelana
pode alterar as coisas”


O regresso do Porcelana FC do Cazenga ao Campeonato Nacional da Primeira Divisão, Girabola, poderá alterar muita coisa na gestão e competição a nível do futebol na província do Cuanza Norte, principalmente nos escalões de formação, segundo o técnico Sarmento Seke. O adjunto de Luís Mariano disse que o futebol no Cuanza Norte não está nem na mó de cima, nem em baixo, mas que muito trabalho deve ser feito para a melhoria da modalidade na região. 

“O futebol no Cuanza Norte não está em baixo, nem em cima. Acho que com a subida do Porcelana muita coisa pode vir acontecer, principalmente nas camadas jovens”, disse.
Sarmento Seke revelou que a direcção do Porcelana FC do Cazengo tem um projecto bastante ambicioso relativo à formação de futebolistas, o que anima o antigo craque do Estrela Clube 1º de Maio de Benguela e da Selecção Nacional, pois acredita que vai revolucionar a modalidade na província.  

“O Porcelana também tem um projecto muito rico na parte da formação, que vai beneficiar muito a província se isso se concretizar, pois o clube vai passar a contar com jogadores formados na sua escola, o que vai ser bom igualmente para o país”, perspectivou.   O Porcelana FC do Cazengo é a única equipa da província do Cuanza Norte que compete ao mais alto nível.

CONFIANÇA
Antigo médio dos Palancas
crê no trabalho de Filemon


O treinador-adjunto do Porcelana FC do Cazengo, Sarmento Seke, pediu que seja dada confiança ao Seleccionador Nacional para ele trabalhar, não esperar resultados imediatos e de qualquer forma.

O técnico que colocou o Porcelana FC na Primeira Divisão, falava à propósito da questão de como deve ser a preparação dos Palancas Negras com vista a participação na quarta edição do CHAN, que se disputa no próximo ano no Rwanda. “Em relação a nossa selecção, vamos dar tempo a tempo e não procurarmos resultados imediatos, de qualquer forma. Vamos confiar no seleccionador, o professor Romeu Filemon, e deixá-lo trabalhar”, disse.

O antigo médio dos Palancas Negras disse que a lista de jogadores que estão a despontar no Girabola é grande e satisfaz, por isso acredita numa boa escolha do seleccionador nacional e que se tudo correr bem, Angola pode chegar à final da competição, tal como aconteceu em 2011, no Sudão, em que perdeu diante da Tunísia, por 3-0, sob comando do angolano Lito Vidigal.  “Acredito que temos bons jogadores que estão aparecer e se tudo correr bem nós podemos ir até à final do CHAN”, referiu.

Sobre a medida aprovada pela Federação Angolana de Futebol (FAF) após proposta apresenta no encontro havido com os clubes, em relação a utilização de cinco jogadores estrangeiros em simultâneo num jogo, ao contrário dos três até este ano, Sarmento Seke apontou duas vertentes diferentes. “É benéfica, por um lado, porque pode ajudar o nosso futebol a ter maior qualidade. Por outro lado, não pode ser benéfica porque vai prejudicar muito os jogadores que são de casa. Mas vamos ver no que isso vai dar, vamos trabalhar e esperar”, concluiu.

PERMANÊNCIA
Experiência obtida em 2013
pode ser determinante


A permanência do Porcelana FC do Cazengo no Girabola, defendida pelo treinador Sarmento Seke, vai ao encontro com o pensamento manifestado pelo  presidente de direcção do clube do Cuanza Norte, Manuel da Silva, por altura do regresso da equipa à Primeira Divisão.

 “A experiência que adquirimos (Porcelana FC) com a presença da equipa na sua primeira participação no Girabola, em 2013, prevemos uma boa prestação do conjunto e com isso a permanência definitiva na competição”, disse na altura Manuel da Silva. O apoio dos adeptos e dos sócios do Porcelana FC, assim como da população do Cuanza Norte, vai ser importante para uma boa prestação da equipa na próxima edição do Campeonato Nacional de Futebol da Primeira Divisão.

 A esse respeito, quer o treinador Sarmento Seke, como o presidente de direcção do clube, pedem que todos, à semelhança do sucedido este ano, se unam mais uma vez em torno do grémio, nos bons e nos maus momento, para o sucesso. O Porcelana FC do Cazengo garantiu a subida ao Girabola 2016, após vencer a série A do Zonal de Apuramento. Para tal, teve que esperar pela última jornada da competição em que empatou (2-2) com o Ismael FC do Uíge, tendo terminado a prova com nove pontos.
 JN