Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Dinheiro e regulamento tramam Angola

Betumeleano Ferro - 01 de Julho, 2019

1 de Agosto e Petro de Luanda podem ser os nicos representantes angolano nas provas africanas.

Fotografia: Miqueias Machangongo | EDIES NOVEMBRO

A Federação Angolana de Futebol (FAF) pondera abrir mãos das duas vagas a que o país tem direito na Taça da Confederação, referente à época 2019/2020, revelou ao Jornal dos Desportos, uma fonte do órgão que superintende o desporto-rei no país.
O Jornal dos Desportos apurou que o Interclube não parece muito interessado em substituir o desistente Desportivo da Huíla, a FAF, segundo a mesma fonte, contactou igualmente o Sagrada Esperança que também declinou o convite, ao passo que o Kabuscorp do Palanca está preso na interpretação dos regulamentos.
A correr contra o tempo sem encontrar nenhum interessado, a federação deve avançar somente com as inscrições do 1º de Agosto e o Petro de Luanda na Champions.
\"Infelizmente, é este o risco que estamos a correr, se a situação não se alterar vamos ter de nos contentar com dois representantes, porque nesta altura ninguém demonstra interesse em ser repescado para participar nas afrotaças, ao passo que quem está habilitado, Kabuscorp, está a enfrentar dificuldades de poder ser inscrito, porquanto há má -interpretação do regulamento\", lamentou a fonte.
Tão logo o Desportivo da Huíla anunciou a sua desistência, a fonte que citamos assegurou, que a FAF olhou para a classificação e contactou o Interclube, porque era a equipa, que pela sua posição na tabela, vinha logo a seguir ao Desportivo, mas a resposta favorável dos polícias demora a chegar, motivo por que se tentou abordar o Sagrada.
\"O que se tentou fazer, foi dar os passos certos para conseguir resolver a questão, infelizmente até agora ninguém dá uma resposta positiva, todos alegam que os seus orçamentos não podem suportar as despesas da presença nas afrotaças\", sublinhou.
Uma possível mudança de situação é a derradeira esperança da FAF, o ambiente aparente não ser o mais optimista, mas o Jornal dos Desportos soube que a federação está a espera de um novo cenário.
\"Todos alegam questões financeiras, dizem que já têm os seus orçamentos feitos e não podem mais mexer nas suas contas, mas vamos tentar aguardar mais alguns dias, pode ser que nesse espaço de tempo aconteça uma mudança drástica nos acontecimentos e, quem sabe, o Interclube pode mudar de posição\", realçou.
Quanto ao Kabuscorp do Palanca, a fonte esclareceu que os palanquinos estão legais e têm direito de participar na Taça da Confederação, mas há uma corrente dentro da federação, que diz estar a ver nos regulamentos qualquer coisa que impede a equipa do Palanca de ser inscrito nas afrotaças.
\"Há uma espécie de divisão interna, quem domina o dossier está convencido de que o Kabuscorp pode sim jogar a Taça da Confederação, a equipa manifestou a vontade de ser inscrita, mas agora há uma corrente que está a ver as coisas de maneira diferente, está a criar dificuldades ao Kabuscorp\", garantiu.