Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Direco do Desportivo procura solues para preparao

BENIGNO NARCISO, NO LUBANGO - 15 de Julho, 2019

A equipa cumpriu na ltima sexta-feira, duas semanas do perodo preparatrio na cidade do Lubango, que segundo Mrio Soares

Fotografia: Dr

A direcção do Clube Desportivo da Huíla (CDH) está a trabalhar na supressão das limitações financeiras, com vista a encontrar soluções que permitam assegurar, o quanto antes, condições para o plantel efectuar, a partir desta semana, um estágio pré-competitivo fora da província, exigência imposta pela equipa técnica, que considera necessário e urgente.
A urgência da “imposição”, para o estágio pré-competitivo, é justificada pelo técnico da equipa, Mário Soares, com a necessidade que o plantel tem de efectuar entre seis a oito jogos de controlo, até ao dia 7 de Agosto, data do desafio da primeira mão da Supertaça, diante do 1º de Agosto, no estádio do Ferroviário, no Lubango.
Argumentou que a ida para um local com disponibilidade de estádios e adversários, permitirá conferir e consolidar automatismos necessários à equipa, de modos a que a formação huilana dispute a Supertaça dotada de níveis que permitam lutar, melhor preparada, pela conquista do troféu da prova que abre a época.
“No nosso período pré competitivo, nesta segunda quinzena de Julho, já queria ir para uma paragem, onde tivesse campos e equipas para realizarmos jogos. A minha intenção é fazer entre seis a oito jogos de controlo até ao dia 7 de Agosto, data do nosso primeiro jogo oficial, para que tenhamos a equipa já com os automatismos consolidados”, implorou.O técnico que revelou limitações financeiras do clube, disse que foi planificado a realização do estágio, que provavelmente deverá decorrer em Benguela, mas isso se financeiramente for possível.
Disse ser do seu conhecimento, que a direcção do clube não dispõe de grandes possibilidades e que face a essa limitação, o elenco directivo está a lutar para que o estágio se concretize. Expressou esperança numa solução, pois entende que a realização do estágio em Benguela não é muito oneroso, contudo a direcção revela incapacidade financeira para o efeito.
“Foi planificado e vamos ver se conseguimos ir para outras paragens, que pode ser Benguela. Sabemos que a direcção está a lutar, pois não tem grandes possibilidades financeiras. Mas vamos esperar, que alguma mão caridosa nos ajude a fazer esse estágio em Benguela, que não é muito oneroso, mas a direcção não tem”, manifestou.
A equipa cumpriu na última sexta-feira, duas semanas do período preparatório na cidade do Lubango, que segundo Mário Soares, serviu para a adaptação dos atletas ao clima de altitude, para além do foco principal que foi a recuperar e potenciar a condição física dos atletas.