Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Direco do Progresso contesta desistncia do Esperana do Congo

Paulo Caculo - 24 de Julho, 2009

A direcção do Progresso do Sambizanga repudia veementemente o alegado anúncio de desistência feito pela equipa do Esperança do Congo, na Série A do torneio Segundona de apuramento ao Girabola de 2010, numa altura em que se disputava a 1ª jornada da prova, soube o Jornal dos Desportos de António Gomes, “Tony Estraga”, director-geral do clube.
O dirigente desportivo, que falava no âmbito das consequências que podem provocar o auto-afastamento da formação do Zaire das preliminares de acesso ao próximo campeonato nacional, considera “inesperada” a desistência do Esperança do Congo, por acreditar que a equipa “parecia ter todas as condições criadas” para competir ao seu mais alto nível.
“Naturalmente ninguém esperava. Estamos surpreendidos com a decisão do Esperança, porque até esta altura nenhuma informação oficial nos chegou. Não recebemos nada, nem do próprio clube, nem da FAF”, começou por dizer Tony Estraga, lamentando o facto de terem tido transtornos com a situação.
“Esta desistência do Esperança do Congo cria-nos naturalmente transtornos, na medida em que, já estamos a trabalhar há algum tempo, sem qualquer competição. Depois disso, já começa a haver uma certa indefinição a nível dos grupos”, adiantou.
Para o dirigente desportivo dos sambilas, uma das exigências que a Federação devia implementar, de forma a evitar desistências de equipas a meio das provas, seria a solicitação de apresentação de garantias.
“Pensamos ser esta a altura de a FAF começar a encontrar mecanismos que exijam aos clubes apresentar garantias para competir”.
O director-geral do Progresso do Sambizanga acrescenta, ainda, que embora hajam “outras séries que também podem ter sofrido alterações com a desistência de equipas”, o grupo onde os sambilas se encontram integrados começa a ser o mais penalizado.
“De qualquer forma, Estamos a aguardar para ver qual será a decisão da FAF, mas devo dizer que seria bom que situações do género fossem evitadas”.