Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Direco esclarece punio a capita

Paulo Caculo - 21 de Setembro, 2019

Camisola 7 da seleco de sub-17 cumpre um processo disciplinar no 1de Agosto

Fotografia: Jos Soares | Edies Novembro

O afastamento do jovem avançado Osvaldo Capemba "Capita" dos jogos do 1º de Agosto e da Selecção Nacional de sub-17, que disputa em Outubro próximo o Mundial, no Brasil, deveu-se a actos de indisciplina, revelou o vice-presidente para o futebol do 1º de Agosto de Paulo Magueijo.O jovem avançado, segundo ainda o responsável do clube militar, tem apresentado nos últimos tempos comportamentos alheios aos exigidos aos atletas da Academia do clube, razão pela qual a direcção foi forçada a afastá-lo das convocatórias para os jogos e coarctar a possibilidade de integrar os convocados do seleccionador Pedro Gonçalves, tendo em vista o "assalto" ao Mundial do Brasil.

"O Capita entrou para Academia da nossa formação muito cedo. É um jogador, que o 1º de Agosto tem prestado muito cuidado, como todos os outros. Os nossos jogadores não recebem apenas formação para serem grandes atletas, mas também para serem homens e emprestarem o seu saber a esta sociedade no futuro, sobretudo mais do que aquilo que é jogar futebol ", disse Paulo Magueijo. De acordo com o vice-presidente do clube militar, o jogador pode estar a ser influenciado pelo seu agente e pessoas próximas da família, a apostar numa carreira profissional na Europa, em virtude de acreditarem ter chegado o momento do avançado "dar outro salto na carreira".

"Nós acautelámos no início e demos conta do que se estava a passar. O jogador estava a ser aliciado directamente por familiares e sem o conhecimento do 1º de Agosto. O clube acha que pode continuar a formar e cuidar do atleta", acrescentou, deixando expresso o desejo de darem sequência ao processo de formação do atacante. 

Capita vive no internato 4 de Abril e, segundo Paulo Magueijo, algumas situações menos boa começaram a acontecer, tendo a direcção do clube instaurado um processo disciplinar ao jogador, para ver se corrigisse a sua conduta."Constatámos que foi se agravando. Ele (Capita) por fora estava a ser influenciado por outras pessoas, que a gente sabe o que pretendiam realmente. Quando querem internacionalizar as carreiras dos jogadores, nós, mais do que ninguém, nos preocupamos com isso", destacou. 

O dirigente advertiu, que "queremos, naturalmente, que eles não vão para a Europa perdidos, porque temos vários exemplos de jogadores que foram para a Europa e perderam-se, justamente porque quem os levou não continuam a acompanhá-los ", esclareceu Paulo Magueijo. Recorde-se que Capita esteve em destaque no último Campeonato Africano das Nações de sub-17, disputado na Tanzânia, ao marcar quatro (4) golos, prova em que Angola ficou na terceira posição, mas acabou repescado para o segundo lugar, na sequência da desqualificação da Guiné Conacry.