Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Domingos a mais nova promessa do Interclube

Paulo Caculo - 15 de Junho, 2019

Camisola 4 da seleco de sub-17 augura uma carreira com experincia pelo futebol europeu .

Fotografia: Jos Cola

O jovem Domingos Paulo, médio trinco que capitaneou a selecção nacional, que disputou o CAN de sub-17, em Port Louis, nas Ilhas Maurícias, é apontado como um dos potenciais favoritos a integrar na próxima época, o plantel do português Bruno Ribeiro, no Interclube.
O talentoso futebolista, de 16 anos, tem sido uma das referências na sua equipa, fruto das excelentes exibições protagonizadas ao serviço dos escalões de formação do clube da Polícia, confirmada na recente presença na Selecção Nacional de juniores.
No Rocha Pinto, o atleta é visto como a mais clara jovem promessa no Estádio 22 de Junho, fruto das suas qualidades e margem de progressão. O médio acaba de cumprir uma época de sonho, na equipa orientada pelo professor Abílio Amaral.Ao serviço do Interclube, o jogador cumpre o seu quarto e último ano de contrato, mas tudo aponta para a sua continuidade, dado o facto de, nos últimos anos, ter sido chamado pelo treinador para trabalhar com a equipa principal. Quero dar o meu melhor e não defraudar aposta da equipa técnica, revelou.
O  Jornal dos Desportos sabe de fonte segura, que o jogador, fruto potencial demonstrado, está muito próximo de, nos próximos anos, rumar para a Europa, concretamente na Inglaterra, onde o seu empresário chegou a receber informações de clubes interessados. Não quero queimar etapas\", garantiu, deixando transparecer a ideia de que espera que as coisas aconteçam com a máxima naturalidade e aí provar que tem potencial, para representar equipas de alto nível competitivo e demonstrar que Angola tem talentos, sublinhou.
Domingos Paulo augura uma carreira recheada de êxitos, antes mesmo de transferir-se para o futebol profissional na Europa. Diz não estar ansioso em alcançar altos patamares, pois acredita que"com muito trabalho e humildade" tudo se consegue. Não quero queimar etapas", garantiu, deixando transparecer a ideia de que espera que as coisas aconteçam com a máxima naturalidade.
A exibição na Taça COSAFA em 2018, onde esteve como um dos jogadores fundamentais na manobra do conjunto angolano, pode ter ajudado o jogador a ganhar motivação, tendo em vista a próxima época. Os níveis de disputa dos jogos e a qualidade da competição, servem de uma experiência sublime, seguramente carregadas pelo atleta como fotos guardadas numa memória.
"A experiência na selecção é sempre boa. Vencer a Taça COSAFA foi um sonho, que tornou-se realidade. Acredito que são provas suficientes para acreditarmos no trabalho que se faz nos escalões de jovens. Tenho de agradecer ao professor Pedro Gonçalves pela oportunidade de ter estado na selecção e mostrar as minhas qualidades, recordou o jogador, feliz com a carreira.

CONSTATAÇÃO
Especialista
em descobrir talentos

A trajectória da carreira de Bruno Malamba Camará começou aos 17 anos, no bairro Prenda, arredores do campo do Felício. Muito cedo o jovem técnico ganhou fama de caçador de talentos, em virtude da descoberta de jovens futebolistas com talento.No vasto leque de jogadores que passaram pelas suas mãos" e que hoje servem de prova inequívoca da habilidade do jovem treinador para talhar talentos, destacam-se os médios Vá, Megue e Gui, ao serviço do Petro de Luanda, Dilson, no Libolo, Jó, Adi e Mussumari, este último, no Bravos do Maquis.
 Actualmente, temos 19 jogadores no Girabola que passaram pelas minhas mãos, no Real Sambila. Ajudei a descobrir muitos talentos. A maioria dos jogadores nasceram do Projecto da Escola de Futebol. Foi com estes atletas que conquistamos o título de campeão nacional de sub-20. O Real Sambila tem uma margem de progressão muito boa. É das poucas escolas de formação, sem recursos, mas que contribui muito para a descoberta de futebolistas para o futebol angolano, disse.O técnico refere, por outro lado, que a escola de formação Real Sambila difere das demais, sobretudo, pelo facto de nunca queimar etapas e conservar uma margem muito boa de progressão. No nosso primeiro ano, saímos em sexto lugar e no segundo, já fomos terceiros. Quer dizer, que a nossa margem de progressão nunca foi a baixar reconheceu.Hoje, olho para a escolinha e vejo que ajuda muito ao país, mas o que preocupa são as condições de trabalho. Não estou feliz com as condições, porque o clube atingiu um nível que não justifica treinar em campos pelados. É um desgaste muito grande para os jogadores lamentou o técnico promissor.                  

BRUNO MALAMBA "CAMARÁ"
Técnico deplora fraca atenção aos escalões etários


O ex-treinador adjunto da selecção de sub-20, Bruno Malamba Camará, considera a fraca atenção prestada aos escalões de formação, como a principal ameaça ao processo de descoberta de talentos em Angola. O técnico apontou a escassez de condições de trabalho nos escalões etários,  uma das razões que desmotiva quem trabalha com a formação. É preciso passarmos a olhar para o futebol jovem, como o futuro do país de facto, e não apenas em teoria, realçou.
"Espero que as pessoas não olhem, apenas, para os escalões de formação, quando se trata ds clubes grandes do nosso futebol, olhem, também, para as equipas mais pequenas, que não têm condições nenhumas, que trabalham duramente na descoberta de talentos e inclusive, fornecem jogadores às selecções", disse o treinador, de 33 anos.
 Bruno Malamba diz não ser mais aceitável, a um país com duas presenças em mundiais (Sub-20 e Honras) e uma terceira em Sub-17, em Setembro no Brasil, que muitos dos seus jovens talentos continuem a treinar e jogar em campos pelados, sem as mínimas condições e com riscos de contraírem lesões graves.
"Penso, ser urgente, que olhemos com mais atenção às condições de trabalho dos nossos escalões de formação, para que a nossa ida ao CAN e Mundial sejam constantes. Estamos, em dois anos consecutivos, a garantir o apuramento ao CAN de Sub-17 e acredito, que se deixarmos de jogar em campos pelados, o nosso futebol só vai dar passos gigantes", assegurou.
 O técnico considera, por isso, ser fundamental uma maior associação de  pessoas aos homens do futebol, no sentido de permitir que se preste o maior apoio aos jovens e consequentemente, aos treinadores da formação.
 A disponibilidade de condições para os futebolistas em formação, segundo ainda Bruno Malamba, deve ser proporcional às garantias de melhor prestação de trabalho ao treinador. E, nesse aspecto, o jovem técnico destaca o "grande contributo" prestado pela Associação de Treinadores de Futebol de Angola (ATEFA), através da promoção de cursos de superação e habilitação à carreira.
"Temos de felicitar a ATEFA, pelos cursos que ajuda a munir os técnicos de conhecimentos. É necessário que os cursos sejam frequentes e permanentes, para que possamos adquirir cada vez mais conhecimentos para transmitir aos jogadores. Se não tivermos ferramentas e nem ideias para passar aos atletas, não podemos dar treinos", apelou Bruno Malamba, técnico de nível C da CAF.
"Não temos as melhores condições de trabalho na formação, mas fomos ao Mundial. Imagine, se tivéssemos as condições que qualquer treinador e atleta desejam para desenvolver o seu trabalho sem problemas? Acho, que podíamos ganhar o Mundial ou o CAN", afiançou o jovem timoneiro, responsável pelas descobertas de Vá, Megue e Mussumari.

MÉRITO
Jovem teve
rápida ascensão
na carreira


A história da carreira do médio trinco Domingos Paulo é mais um daqueles casos raro entre os jovens futebolistas no país. O jogador formado na equipa do núcleo do Petro de Luanda, actual Guelson FC, precisou de apenas três anos para ascender dos juvenis aos seniores.Desde a época passada (2018) a trabalhar com o técnico Abílio Amaral nos escalões de formação, o jogador esteve durante toda a época futebolística a ser convocado por Bruno Ribeiro, treinador dos seniores, para trabalhar com a equipa principal.
"Comecei a jogar no núcleo do Petro, no Golfe II, onde fiz duas épocas e depois me transferi para o Interclube, onde estou até hoje. Tenho feito dupla categoria, mas acredito que, na próxima época, jogarei no Girabola e vou trabalhar para isso", vaticinou o médio trinco.O médio é referenciado no clube da Polícia como um talento com futuro muito promissor. Entre as suas qualidades e que estão a despertar o interesse ou cobiça de clubes europeus, destacam-se a capacidade de recuperação de bola e leitura de jogo."Acho que a próxima época será mais difícil, porque vamos enfrentar novos desafios. Há muitos jovens a jogar futebol em bom nível e gostava que acreditassem mais nos futebolistas, porque já provamos que podemos ir longe".                                 
PC