Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Drbi na Taa

12 de Junho, 2016

Embora a passarem por momentos opostos, ou seja, os militares a afirmarem-se como os potenciais candidatos ao título da presente época, e o encarnados de Luanda a fazerem uma caminhada de altos e baixos, ainda assim é de se esperar por um bom jogo face o carácter eliminatória da prova.

O Benfica - 1º de Agosto ou vice-versa tem se tornado nos últimos anos num dos dérbis da capital de grande interesse para os amantes do rei-futebol, tal qual outros que envolvem os maiores emblemas de Luanda.

Este ano as duas equipas defrontaram-se já para o Girabola, em jogo referente à primeira jornada, e o resultado foi favorável aos militares do Rio Seco, com vitória convincente de 2-0. Mas os jogos entre ambos têm sido marcados por um grande equilíbrio nas quatro linhas, independentemente de haver no final, na maior parte das vezes, um vencedor.

 O dérbi vai assim voltar a movimentar multidões e despertar acesos debates, já que uma das equipas pode sonhar com a dobradinha, em caso de passar à fase seguinte, enquanto a outra terminar a prova mais cedo do que esperava. Quer uma, quer outra, tem condições de levar a disputa do título do Girabola até ao limite, não obstante o cenário actual.

O 1º de Agosto está na liderança do Girabola desde a segunda jornada e concluída que está a primeira volta justifica o lugar que ocupa. Está a cumprir o seu papel e o facto de terminar a primeira volta à frente diz bem da sua grande ambição, sobretudo por estar há nove penosos anos a ver o título a passar bem pertinho.

O seu adversário, não obstante um desempenho titubeante que pode colocar em risco a pretensão de continuar na luta pelo título, é ainda assim uma equipa a ter conta. A equipa de Zeca Amaral está a quem daquilo que mostrou nos últimos anos e ainda está por se saber o que se passa de concreto.
Mesmo com este cenário que mostra na presente época um desequilíbrio em termos estatísticos, a incógnita do resultado continua a ser uma certeza no jogo entre militares e encarnados.
Nesta altura é normal que os prognósticos favoreçam os rubro-negros a julgar pelo momento e a alta motivação que vive a equipa, mas é nas quatro linhas onde as coisas se resolvem. E nos dérbis as equipas têm tendência de se transformarem.

Repartem-se, pois as duas equipas estão galvanizadas e a passar por um momento alto. Com o Girabola a meio do percurso, parece que a partida vai acontecer num bom momento, ou seja, numa altura em que as equipas já estão com uma boa rodagem competitiva, exigindo-se, assim, mais e melhor delas.