Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Dvida pode derrotar Cala

20 de Outubro, 2017

Na primeira volta o ASA recebeu o Cala e pagou os rbitros do jogo

Fotografia: Mota Ambrosio | Edies Novembro

O Recreativo da Caála se até hoje não pagar a dívida que tem com os árbitros corre o risco de não jogar amanhã com o ASA e, desta forma, perder por falta de comparência segundo regulamentos da Federação Angolana de Futebol (FAF).

Segundo uma fonte federativa, os cartões dos jogadores do Caála estão retidos na FAF que só os cederá em caso de cumprimento da equipa orientada por David Dias que já lamentou o facto de a sua equipa, em casa, ter perdido por falta de comparência , para o Interclube.

O jogo com os Polícia deveria contar para à 26ª jornada do Girabola Zap 2017, mas mesmo com a presença dos três intervenientes principais em campo (equipas e árbitros) não se realizou. O Jornal dos Desportos apurou que a equipa da Vila da Caála tem dívida acumulada com a arbitragem, pelo que o jogo, no seu campo, estava condicionada à liquidação das mesmas, o que não aconteceu.

Outro factor que pesou na tomada de decisão dos árbitros em não apitar o jogo, prende-se ainda com o facto de a direcção do Recreativo da Caála ter dívida com a respectiva equipa de arbitragem, composta pelo Benjamim Andrade (principal) e os assistentes  Tito Kapingala, Bernabe Ngulo e Bento Muachissengue.

Os árbitros permaneceram no relvado por mais de 30  minutos,  tal como as respectivas equipas, fim dos quais decidira cancelar o jogo por incumprimento do Recreativo da Caála e vários adeptos da equipa presentes no estádio Mártires da Kanhala mostraram-se irritado com a atitude da direcção de Horácio Mosquito.

\"É muito triste o que aconteceu. A nossa equipa (não queria jogar, pois já sabiam que não tinham  pago os árbitros, o mais triste  é que ainda venderam bilhetes, isso não se faz\", disse o apoiante Alberto Joaquim

\"Isto é brincadeira! Viemos para ver o jogo e agora anulam. A nossa equipa perde por falta de comparência em casa e por um motivo tão absurdo? Isso não é justo!\" disse.

Os membros da direcção  da equipa do CR Caála presentes no estádio mostraram-se surpreso com a decisão da equipa de arbitragem, por isso decidiram não prestar declarações à imprensa.