Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Em ritmo lento

16 de Dezembro, 2017

Seleco Nacional

Fotografia: Paulo Mulaza| Edies Novembro

A Selecção Nacional “AA” realiza hoje duas sessões de treinos, às 8 e 16 horas, no Estádio 11 de Novembro, enquadrada na abertura do ciclo de preparação visando a disputa do CHAN de 2018, a decorrer entre 13 de Janeiro a 4 de Fevereiro, no Reino de Marrocos.
Algumas ausências devem marcar o primeiro contacto do seleccionador Srdjan Vasiljevic com os jogadores no relvado, em virtude de parte dos atletas encontrar-se em gozo de férias no exterior do país, na sequência do defeso que observa a época futebolística nacional.
Ensaios de movimentação colectiva e individual dos pré-seleccionados deverão estar em evidência na sessão bi-diária agendada para hoje, sábado. O grupo, nesta primeira fase de trabalhos, deverá enfrentar uma fase de observação e avaliação a sua condição física, dado o período de paragem a que estiveram submetidos, em virtude das férias.
O facto de se tratar de uma preparação com um seleccionador novo, coloca qualquer um dos jogadores pré-seleccionados na condição de indefinição em relação aos prováveis candidatos a seguirem viagem ao palco do CHAN, facto que deverá contribuir, seguramente, para elevar o nível de concorrência. Todos esperam constar dos eleitos finais, mas apenas 23 jogadores poderão integrar a lista definitiva para o CHAN do Marrocos.

AUSÊNCIAS

No entanto, as duas sessões de treinos de hoje deve registar algumas ausências. O médio Geraldo (1º de Agosto) está no Brasil, o guarda-redes Gerson Barros e defesa Wilson Pinto (Petro de Luanda) encontram-se, ainda, em Portugal. Qualquer um destes jogadores deve surgir na preparação apenas no domingo ou, na pior das hipóteses, segunda-feira.
Durante a preparação no país não se vislumbra a possibilidade do combinado nacional efectuar qualquer jogo amistoso, que deveria servir de ensaio dos níveis competitivos da selecção. Em face disso, prevê-se que o combinado nacional venha a fazer desafios amigáveis já no local da competição, dado o objectivo da direcção da FAF em colocar a equipa nacional mais cedo no palco da competição.
O começo dos trabalhos no relvado foram antecedidos dos habituais exames médicos. Foram submetidos a avaliação médico-desportiva os atletas Nari (Kabuscorp do Palanca), Vá, Almeida e Lunguinha (Progresso Sambizanga), Bugos e Adó Pena (Sagrada Esperança), Herenilson (Petro de Luanda), Landu e Celson Barros (Recreativo do Libolo), Rui (1º de Maio de Benguela), Tó Carneiro, Mano Calesso, Neblú e Paty (Interclube), Nelson da Luz (1º de Agosto), Manguxi e Job (Petro de Luanda). Vão igualmente à exame Paizo, Dany Massunguna, Natael, Show, Macaia e Buá (1º de Agosto), Mira (Petro de Luanda), Kaporal (1º de Maio) e Moco (Interclube).

PALANCAS NEGRAS
Atleta solidário com colegas


A menos de um mês para o início da fase final do CHAN, Jaime mostra-se solidário com a Selecção Nacional pelo conhecido tardio da equipa técnica, ainda assim, acredita em bom desempenho. 
A seu ver, o tempo de trabalho é curto, por tratar-se de uma competição em que figuram boas equipas, mas dados  os momentos menos bom que atravessa a Federação Angolana de Futebol (FAF), como tem dito o seu presidente, defende ser urgente recuperar o tempo perdido.
“Mais vale tarde do que nunca. Agora, é a altura de arregaçar as mangas com o sentimento de fazer melhor, de formas a dar resposta positiva na prova”, aconselha.
O atleta congratula-se com a equipa técnica, pelo facto de manter o grupo  seleccionado pelo anterior técnico, Beto Bianchi, e deseja o melhor sucesso com uma prestação que dignifique a nação angolana.
“Foi uma atitude positiva, demonstra dar sinais de humildade, porque a meu ver com o tempo curto que tem pela frente, não tinha muitas hipóteses de formar um grupo novo e coeso. Por isso, foi corajoso e agora  resta trabalhar mais e mais, por que só desta maneira os resultados aparecem”, disse.
Em função disso, Jaime pede a todos os angolanos e em especial aos que gostam deste desporto , para darem o contributo à equipa técnica e aos atletas, para uma melhor representação do país nesta prova. “Para mim, é uma montra que pode valer bastante na promoção de futebolistas angolanos”, precisou.