Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Empates preocupam Desportivo

29 de Junho, 2018

O pormenor mesmo a mentalidade dos atletas que temos de trabalhar, embora, esta semana, no tenhamos que preparar o jogo e recuperar para depois jogar", frisou.

Fotografia: Jornal dos Desportos

A ineficácia na finalização, está a inquietar o treinador do  Clube Desportivo da Huíla, Mário Soares, que, ao longo da segunda volta, já consentiu quatro empates consecutivos.
O técnico dos militares da Região Sul, voltou a ver goradas as intenções de pontuar, na passada quarta-feira, ao empatar, no seu reduto, frente a equipa do Progresso do Sambizanga, a zero bolas, em partida referente a 19ª jornada.
Mário Soares lamentou o facto dos seus avançados não estarem a aproveitar as oportunidades que têm tido para concretizar os golos.
\"Mais uma vez aquilo que tem sido, e continuo a dizer, aconteceu no jogo com o Progresso do Sambizanga. Os avançados aparecem em flagrante diante dos guarda-redes, mas não conseguem fazer golos. Não é meu hábito virar contra os atletas e pôr em causa a qualidade deles. Qualidades eles têm, mas alguma coisa terá que melhorar, naquilo que é a concentração da equipa”, referiu.
O técnico assegurou que a equipa trabalha muito na finalização, em jogadas combinadas, pormenores do jogo, porém, durante o jogo, o que tem acontecido é que os jogadores isolam-se frente-a-frente com o guarda redes e não marcam.
\" A equipa não sofre e nem marca golos. Parece ser uma equipa totalmente defensiva. Diante do Progresso do Sambizanga jogámos com a frente de ataque totalmente aberta. Utilizamos dois pontas, mais os extremos a fazerem as diagonais interiores, a criarem grandes dificuldades ao adversário, que veio deste o primeiro minuto a queimar tempo e não saía da sua aérea, porém fomos ineficazes\", lamentou.
Por este facto, o treinador acrescentou que a equipa não soube aproveitar, aquilo que trabalharam na perspectiva do jogo da passada quarta-feira. \"Nós, treinadores, temos que mentalizar que as coisas não podem continuar assim\", tranquilizou. Mário Soares explicou que, para ultrapassar essa situação, não é necessário fazer mexidas. Trata-se apenas de trabalhar a consciência de cada um dos jogadores.
Exemplificou que, no jogo frente ao Progresso do Sambizanga, operou algumas operações, mas foram infelizes. \"Colocámos um ponta-de-lança, que, no jogo passado, já jogou de início. Entrou de início, porque tem dado mostras de capacidade de finalização, mas nada. A solução não é mexer. O pormenor é mesmo a mentalidade dos atletas que temos de trabalhar, embora, esta semana, não tenhamos que preparar o jogo e recuperar para depois jogar\", frisou.
GH, no Lubango