Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Equipa técnica potencia plantel

Júlio Gaiano, no Loboto - 18 de Janeiro, 2018

Formação diamantífera projecta um plantel que possa lutar pela conquista do título

Fotografia: kindala Manuel | Edições Novembro

A equipa técnica do Sagrada Esperança da Lunda -Norte está focada em potenciar o plantel, com vista à época 2018. José Ramos, vice-presidente do clube, afirmou que o objectivo da direcção passa por melhorar o terceiro lugar alcançado na temporada passada.
“Foi uma classificação ingrata e vai exigir da nossa parte a redefinição da estratégia de actuação, isto é, incutir no seio do grupo de trabalho a cultura de responsabilidade, disciplina e o espírito de conquista”, defendeu.
Admitiu que a tarefa é árdua, “porém, não temos alternativa. É um sério desafio que deve ser encarado com todo o sentido de profissionalismo”, reconheceu.
O dirigente lamentou a forma como alguns atletas abandonaram o clube, embora, admita que fizeram-no dentro dos trâmites legais.
“Entenderam assim, por isso, nada podíamos fazer para os deter. Afinal, estavam livres e só tínhamos de respeitar a decisão que tomaram”, reconheceu. O Sagrada Esperança foi o 3º classificado da temporada transacta, dispensou os serviços de Kapita, Joka Palana, Lela, Búgus Semedo e Tresor Sousa. Estes dois últimos transferiram-se para o Petro de Luanda.
Para colmatar a brecha, contratou os defesas Abdul (ex - Petro Luanda) e Muenho (ex – Clube Desportivo da Huíla), os médios Yuri (ex - Santa Rita FC Uíge) e Luís Taty (ex - Kabuscorp do Palanca),  o atacante Ben Traoré (ex – Académica Lobito), aos quais se juntam os juniores, Jota B (guarda-redes), Alibô e Lépua (médios). 
JG - Benguela

REFORÇOS
Médios Akah e Albert
têm bons indicadores


O nigeriano Akah e o belga Albert são os dois estrangeiros  sob observação minuciosa da equipa técnica do Sagrada Esperança da Lunda - Norte,  tudo aponta que possam integrar o plantel para atacar o Girabola Zap e a Taça de Angola de 2018, apurou o Jornal dos Desportos.
O técnico -adjunto do Sagrada Esperança, Roque Sapiri, disse ao nosso jornal que o nigeriano Akah e o belga Albert estão sob observação minuciosa e os próximos dias podem ser decisivos.
“Ainda é cedo para se aferir sobre o futuro deles. Vamos continuar a observá-los, para depois tirar-se as devidas ilações sobre as suas reais capacidades e potencialidades. Eles estão aí, espero que tenham sorte e convençam a equipa técnica”, comentou.
Afirmou que tudo depende do que eles provarem ao longo do estágio. “Se passarem, de certeza que serão integrados no plantel. Repito, por enquanto, nada está definido sobre o futuro dos referidos atletas”, comentou.
Roque Sapiri manifestou-se entusiasmado com a forma como Akah e Albert se entregam nos treinos. Na sua óptica, revelam qualidades técnicas e potencialidades competitivas.
“Podem preencher o sector do meio -campo e mais do que isso. Têm qualidades e revelam maturidade competitiva, pelo que podem constituir mais-valia para a nossa equipa”, pressagiou.
Durante o estágio, a equipa técnica agendou a realização de 5 a 6 jogos de controlo, um dos quais com o misto de jogadores que militam no Girabairro local. Os restantes com equipas do Girabola Zap e do provincial. A Académica do Lobito (19), Petro de Luanda (24) e 1º de Agosto (26) são algumas das partidas programadas para testar o potencial da turma orientada pelo professor Ekrem Asma.