Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Estdio Tundavala pode estar operacional

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 29 de Agosto, 2019

Governante quer ver o Estdio apto para servir o futebol e atletismo

Fotografia: Aro Martins (Hula) | Edies Novembro

O Estádio nacional da Tundavala, infra - estrutura construída no âmbito da realização do CAN 2010, pode estar operacional nos próximos dois meses, com a recuperação da relva, cujos trabalhos têm início nos próximos dias, segundo a ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto.
A governante trabalhou na terça-feira, na cidade do Lubango, disse que o processo está  na recta final, para colocar o Estádio nacional da Tundavala ao serviço dos futebolistas e não só.
“Queremos pôr o Estádio a funcionar. Por isso, viemos fazer uma visita pontual ao Estádio nacional da Tundavala, passar em revista também o pavilhão Multiuso de Nossa Senhora do Monte e ver a questão da Casa da Juventude”, disse.
Ana Paula Neto disse que verificou o sistema de água, o mais preocupante, porém, está operacional.
“Verificamos a relva que é possível recuperá-la. Temos o plano A e B, para a recuperação da relva. Em princípio, é fazer que a relva dentro de um ou dois meses se note  uma diferença entre o que é hoje e o que pode vir a ser. Se não surtir efeitos, vamos passar para o plano B. Em princípio, estamos convictos que podemos recuperar a relva rapidamente”, assegurou.
A ministra da Juventude e Desportos explicou que o plano A, passa pela recuperação imediata do que já se tem. Acrescentou, que conseguiu-se pôr o sistema de água a funcional e vai se dar tratamento daquilo que existe.
“Com o desenvolver do próprio relvado, vamos ver se vale a pena continuar ou se ainda assim deveremos utilizar o plano B, que consiste na retirada total da relva existente e partir para um novo tape verde. Vamos tentar pôr um relvado novo, se for o caso, mas em princípio, pela avaliação feita julgamos que é possível andarmos com o plano A”, frisou. Para a recuperação da relva do Estádio Nacional da Tundavala, de acordo com a governante, será necessário apenas água e adubo, acrescentou que esse tipo de material não vá por aí além,  em termos financeiros.
“O que nós tínhamos como grande investimento eram os geradores e o sistema de água. Isso, já foi feito. Penso que para o adubo e o resto não é um orçamento que vá por aí além”, aclarou.O plano B, admitiu a ministra, é realmente oneroso, enquanto o A é o mais barato, mas pode ser eficaz.
“O que precisamos é de trabalhar. Chamar os nossos técnicos que estão formados nessa área. Eles estão aí. Já fizeram uma avaliação. O plano B tem de existir sempre,  porque nós estamos a lidar com relvado. É uma planta e vamos ver se os técnicos conseguem recuperar ou não, porque também vão fazer um viveiro que é para depois  resolver pontualmente aquelas questões que o próprio recinto vai necessitar. Vamos ouvir os nossos técnicos e temos confiança neles”, realçou.

OSVALDO LUNDA
“Recuperação da relva vai obedecer a duas fases”

A recuperação da relva do Estádio nacional da Tundavala vai obedecer  duas fases, para voltar a dar alegria aos aficionados de futebol. A garantia foi dada pelo director do gabinete provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos da Huíla, Osvaldo Lunda, que avançou igualmente que o problema da água, era o mais grave, já não existe naquela infra-estrutura desportiva.  
“Vamos começar a trabalhar agora com o administrador do Estádio 11 de Novembro (Luanda) e também beber um pouco da experiência que foi o Estádio do Chiazi (Cabinda) que conseguiu recuperar a relva. Conforme foi acordado, vamos fazer esse trabalho em duas fases”, disse.
 A primeira fase, assegurou Osvaldo Lunda, consiste na tentativa da recuperação do que  existe.
 “Acreditamos, de acordo com os especialistas, de que em um mês podemos ter algum fruto. Se na primeira fase não for possível, aí sim, deveremos usar o plano B, que seria a mudança da a relva do Estádio da Tundavala”, aclarou.
Manifestou-se feliz com a visita da ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto, por deslumbrar alguma luz no fundo do túnel para a resolução de um programa que se arrasta há algum tempo.
Apontou que o plano B, não vai trazer um relvado irregular, como no passado, porque vão analisar todas as vertentes. Por isso, Osvaldo Lunda garantiu que agora vão  recuperar com os técnicos o que existe.
“Há essa possibilidade, porque o Estádio do Chiazi, o fez. Então, é o exemplo que vamos tentar. Agora, a não conseguir, é que iremos fazer de acordo com os especialistas”, disse.
O director do gabinete provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos da Huíla  fez essas declarações,  por altura da visita da ministra da Juventude e Desportos, Ana Paula do Sacramento Neto, àquela região, assegurou ser possível ter o Estádio operacional no próximo ano, para receber competições nacionais, e recebeu  orientações da titular da pasta para começar a trabalhar já.
A ministra da Juventude e Desportos esteve acompanhada da secretária de Estado para os Assuntos Sociais do Presidente da República, Fátima Viegas, do governador provincial da Huíla, Luís da Fonseca Nunes, entre outros integrantes da delegação, visitaram demoradamente o Estádio nacional da Tundavala, os pavilhões multiusos de Nossa Senhora do Monte e o anexo nº 2, assim como a Casa da Juventude, localizada na comuna da Palanca, no município da Humpata.