Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Estudantes na semana derradeira dos testes

Jlio Gaiano, no Lobito - 08 de Julho, 2019

A direco projecta um plantel formado por 26 jogadores, 80 por cento formado no clube. Manter a equipa na primeira diviso o objectivo principal do grmio.

Fotografia: Jornal dos Desportos

A  Académica do Lobito começa a partir de hoje , a semana derradeira dos trabalhos de observação, dos possíveis atletas que podem integrar o plantel para a época 2019/20, cujo arranque está agendado para o mês de Agosto, com a disputa da Supertaça, a primeira mão é no dia 4 e a “segunda”, no dia 11.
A direcção do clube defende, que para o próximo Girabola Zap, face às dificuldades financeiras,  maioritariamente a equipa  deve ser composta  por jogadores que constituem a prata da casa, para evitar  gastos acima das possibilidades do clube. “O clube não tem dinheiro e das poucas doações que recebe das empresas patrocinadoras, não são feitas com a regularidade”, revelou um dirigente que pediu o anonimato
O Jornal dos Desportos apurou, da mesma fonte, que a formação lobitanga cessou o vínculo contratual com os treinadores que dirigiram a equipa no campeonato passado, bem como cederam a maioria dos atletas influentes e não só, que fizeram parte da Académica, por razões óbvias.
“O que nos impossibilita, definir a estratégia e objectivos para determinadas competições, falo do Girabola e da Taça de Angola. Daí, que em cada final da competição, vimo-nos forçados a perder os nossos activos, para os outros clubes, com melhores condições de trabalho”, precisou.
De acordo com o nosso interlocutor, a contratação de Águas Zeca da Silva, para uma temporada, que pode ser renovado, de acordo os resultados, assenta-se no que a direcção projectou para os próximos quatro anos, que passa, necessariamente, pela aposta na prata da casa.
A nossa fonte sublinhou, que a posição da direcção não foi aceite por outros técnicos, que infelizmente pretendiam trazer jogadores da sua preferência, ignorando o produto da casa. “A experiência do campeonato passado ajudou-nos a reflectir e projectar uma Académica do Lobito,  ao nível das suas performances competitivas”, destacou.
Revelou mais adiante, que “somos um clube modesto e com a identidade própria. Por isso, não faz sentido apostar em jogadores viciados e que vêm para desestabilizar o ambiente do balneário, boicotar as acções preconizadas pela direcção e pelos associados. Por sinal, são os que mais sentem pelo sucesso e insucesso do clube”, disse.
Para a empreitada, o professor Águas da Silva conta com a colaboração directa de Ernesto Ketelele “Cotel” (adjunto) e Carlos Sambaka “Pickot” (adjunto para os guarda -redes).  O categorizado professor Luís Borges é o responsável pela preparação e recuperação física dos atletas.
A direcção projecta um plantel formado por 26 jogadores,  80 por cento formado no clube. Manter a equipa na primeira divisão é o objectivo principal do grémio lobitanga, que para além da Esso Exploration-Angola/Sonangol, EP, conta com o suporte financeiro do grupo empresarial Luís Ship Chandler, pertença do actual presidente da Académica Petróleos Clube do Lobito.