Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

FAF exige garantia de participao

Augusto Panzo - 22 de Março, 2018

Conselho Tcnico e Desportivo passa a exigir termo de responsabilidade aos clubes campees provinciais

Fotografia: JOS SOARES| EDIES NOVEMBRO

O Conselho Técnico e Desportivo (CTD) da Federação Angolana de Futebol (FAF) vai exigir às direcções dos clubes que participem no Zonal de apuramento ao Girabola Zap 2019, no caso os campeões provinciais deste ano, um termo de responsabilidade assinado por três dirigentes, nomeadamente, o presidente, o vice - presidente e o director-geral, de acordo com o Comunicado Oficial nº 011/SG/18, de 15 de Março.
O termo de responsabilidade tem como finalidade a certificação de que o clube indicado  vencedor do campeonato provincial, tem a capacidade financeira que garanta participar e disputar as provas de apuramento, sem se endividar com as arbitragens, sem faltas de comparência, nem desistência do referido torneio.
O CTD alerta ao clube que prevaricar a orientação, os seus dirigentes serão severamente punidos nos termos do regulamento de disciplina actualizado.
Outrossim, o órgão solicita que os clubes apresentem uma declaração de confirmação de participação, em que os clubes indiquem as datas e horas em que pretendem realizar os seus jogos na condição de visitados, de modo que CTD calendarize a prova e faça a publicação definitiva.
As vistorias aos campos em que vão decorrer os jogos dos campeonatos são efectuadas até ao dia 15 de Junho de 2018, situação em que cada clube deve coordenar com a respectiva APF acerca da operação.
Nos campos em que os clubes não sejam proprietários, estes devem juntar uma declaração ou declaração emitida pela entidade proprietária do recinto que autorize o uso pelo clube solicitante. Os campos a vistoriar devem obedecer às Leis dos jogos, possuir uma cabine para os órgãos de comunicação social, com condições dignas e operacionais, equipamento sonoro para a entoação do Hino Nacional, assim como possuir um desfibrilador, com respectivo técnico disponível.
O CTD avança aonda, que os clubes devem pagar as despesas de emissão e inscrição de jogadores e oficiais na tesouraria da FAF, sob pena de  ser condicionada a entrega das licenças em caso de não pagamento.