Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

FAF gere dossier

Paulo Caculo - 18 de Janeiro, 2017

Artur Almeida deve falar nas próximas horas sobre a polémica levantada pelo seu vice-presidente

Fotografia: José Cola

O presidente da Federação Angolana de Futebol (FAF), Artur de Almeida e Silva, deve pronunciar-se hoje sobre a carta de demissão apresentada pelo seu vice-presidente Norberto de Castro, alegadamente por estar a ser "afastado" dos lugares para os quais fora inicialmente apontado.

Contactado pelo nosso jornal, o presidente da federação mostrou-se incapaz de reagir ao sucedido, em virtude de apenas ontem ter regressado do Gabão, onde esteve a assistir à cerimónia de abertura do Campeonato Africano das Nações (CAN). Ainda assim, Artur Almeida deixou transparecer a intenção de apresentar uma posição face ao sucedido, na medida em que numa breve resposta por mensagem justificou estar "completamente por fora do conteúdo da carta enviada por Norberto de Castro, porque acabei de chegar ao país e vou me informar sobre o assunto".

A polémica instalada na nova direcção da federação deve-se ao facto de uma carta produzida por Norberto de Castro, actual vice-presidente para o futebol nas províncias, comunas e municípios, em protesto a situações que acha não serem normais e que acredita serem "uma forma subtil de forçar o meu afastamento e responder de  forma satisfatória aos interesses dos que durante a campanha e enquanto candidato a presidente da FAF, o estavam a pressionar para que eu fosse excluído da sua lista, como pontualmente me confidenciou".

Segundo ainda a carta de Norberto de Castro, distribuída aos órgãos de comunicação social, "nos poucos dias de funcionamento da direcção actual da FAF, já me foi demonstrado que as minhas opiniões e conselhos serviram apenas a fase de campanha eleitoral. Não haverá espaço a crítica construtiva e será pisoteado o principio da direcção colectiva e responsabilização individual, bem como a preocupação permanente em honrar os compromissos assumidos com o eleitorado para reestruturar a FAF, apoiar os clubes, grandes e pequenos e as APF'S e apresentar a médio prazo ou num eventual segundo mandato uma selecção que nos orgulhe a todos".

No centro da alegada polémica estará o facto de, segundo o vice-presidente demissionário, "no dia 27 de Dezembro, após ter constatado que os processos individuais dos atletas de todo o país estavam empilhados no chão, no Conselho Técnico da FAF, chamei a atenção para a urgência de se organizarem os arquivos e a mudança de todos os processos para um espaço mais condigno, dada a importância da sua conservação para o futebol nacional", acrescentando no mesmo documento que, em resposta a sua preocupação, "o actual secretário-geral afirmou na presença de todos que havia outras prioridades, o que me sugeriu que não se dá importância a conservação dos processos dos clubes e dos atletas, tendo exprimido a minha discordância.

De resto, Norberto de Castro encerra o documento afirmando que face a todas estas situações "demito-me da sua equipa de direcção da FAF, com efeito a partir de hoje e não me arrependo do contributo que dei para que o triunfo da lista fosse possível".

ÉPOCA 2017
Rui Costa apela ao fair- play


O Secretário-geral da Federação Angolana de Futebol, Rui Costa, recomendou mais transparência, união, e fair- play durante a época desportiva  que se inicia a 4 de Fevereiro, com a disputa da Supertaça entre o 1º de Agosto (campeão) e o Recreativo do Libolo do Cuanza Sul (vencedor da Taça).

O dirigente fez o pronunciamento durante a primeira reunião da nova direcção da FAF com os clubes, destinada à programação e calendarização da época futebolística de 2017.

De acordo com Rui Costa, todos os intervenientes devem durante as competições da próxima temporada pautar pelo desportivismo e respeito aos adversários, assim como aos árbitros, para transformá-las  numa festa nacional.No encontro com os dirigentes das agremiações e treinadores das equipas envolvidas no campeonato nacional de futebol da I divisão, Girabola2017, promoveram-se algumas alterações na programação em função dos compromissos do 1º de Agosto e do Recreativo do Libolo, nas Afrotaças (apuramento a Liga dos Clubes Campeões e da Taça da Confederação Africana).

Assim, na primeira jornada marcada para os dias 10, 11 e 12 de Fevereiro, o jogo do 1º de Agosto com o JGM do Huambo foi transferido para o 15 do mesmo mês, no Estádio 11 de Novembro, em Luanda, porque a equipa militar vai deslocar-se entre 10 e 12 de Fevereiro ao Uganda para defrontar o Kampala City, para a primeira ‘’mão’’ das preliminares de acesso à fase de grupos da liga dos campeões africanos.