Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

FAF paga dvidas pela qualificao

Antnio Brito - 11 de Julho, 2019

Fotografia: Paulo Mulaza | Edies Novembro

A direcção da Federação Angolana de Futebol (FAF) depositou terça-feira nas contas bancárias dos jogadores da Selecção Nacional o dinheiro correspondente aos prémios pelo apuramento dos Palancas Negras para a Taça de África das Nações (CAN´2019), que se disputa até 19 do corrente, no Egipto.
O dinheiro para a atribuição dos prémios foi disponibilizado pela Confederação Africana de Futebol (CAF), que depositou a quantia de 500 mil dólares, em duas prestações. Do valor, a Federação, presidida por Artur Almeida e Silva repartiu trezentos mil dólares por 23 atletas, enquanto o corpo técnico liderado por Srdjan Vasiljevic recebeu 200 mil.
Pelos jogadores, o valor disponibilizado pela CAF foi distribuído com base no desempenho de cada um, no decorrer da fase de qualificação para a prova continental.
Em declarações ao Jornal de Angola, José Carlos, presidente do Conselho de Disciplina da FAF, confirmou o pagamento e sublinhou que o atraso é imputado à Confederação Africana.
"Assumimos o compromisso de pagamento com os jogadores, pelo que o atraso verificado é da responsabilidade da CAF. Mal recebemos os valores encaminhámos para as contas dos atletas", disse, acrescentando que o valor não foi igual para todos:
"Os jogadores que participaram em todos os encontros receberam mais. Foi o critério por nós adoptado. Primámos pela transparência", referiu o dirigente desportivo.
Integrada no Grupo I da fase de apuramento, Angola terminou na primeira posição com 12 pontos, os mesmos da Mauritânia, segunda. Burkina Faso foi terceiro com dez pontos, e o Botswana, último com apenas um.
No CAN Angola jogou a fase preliminar no Grupo E, tendo terminado na terceira posição com dois pontos, resultantes de dois empates, frente à Tunísia, 1-1, Mauritânia, 0-0, e no encerramento derrota ante o Mali, 0-1. Com o afastamento de Angola e da Guiné Bissau, o campeonato ficou sem representantes lusófonos.