Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

FAFUSA agenda prova infanto-juvenil

Gaudncio Hamelay | - Lubango - 19 de Novembro, 2018

Campeonato agendado para Benguela

Fotografia: Eduardo Pedro | Edies Novembro

A Federação Angolana de Futebol Salão (FAFUSA) realiza na pausa pedagógica, que vai deste mês a Fevereiro próximo, em Benguela, o primeiro Campeonato Nacional  infanto-juvenil, soube o Jornal dos Desportos do presidente de direcção do órgão reitor da modalidade, Noé Alexandre, à margem da disputa da IV edição do nacional de futsal  para trabalhadores, disputado na cidade do Lubango, ganha pela formação da Polícia Fiscal de Luanda que derrotou na final o BPC do Namibe por 4-3.
Noé Alexandre assegurou que o órgão que dirige está a trabalhar no sentido de organizar a primeira prova nos escalões de formação no período de férias para que não haja constrangimentos com as equipas e petizes.“Estamos a trabalhar no sentido de realizarmos a primeira prova e está a correr tudo bem. Por isso, pensamos realizar na pausa pedagógica o primeiro campeonato de infanto-juvenil. Isto realmente vai acontecer. A província de Benguela é a candidata, daí estarmos a trabalhar neste sentido”, confirmou.
O dirigente federativo reconheceu que a organização de um campeonato nos escalões de formação não é igual ao sénior masculino. Referiu que a exigência para os escalões infanto-juvenis é maior por serem crianças.
 “Mas estamos a trabalhar no sentido de realizarmos uma boa prova”, anunciou. 
Noé Alexandre disse que para a federação não interessa fazer a primeira prova com muitas equipas ainda. Explicou que por ser um primeiro torneio, urge a necessidade de se medir a pulsação, apesar que em termos de massificação, existem muitas equipas no país. 
“Para nós, se tivermos 8 a 10 equipas concentradas em Benguela será muito bom para a federação”, referiu.   


FUTSAL 
Nóe Alexandre defende
criação de órgão  para 
trabalhadores 
   

A criação de uma Associação para o futebol de salão, no país, foi defendida há dias no Lubango, pelo presidente da Federação Angolana da modalidade (FAFUSA), Noé Alexandre. 
O responsável federativo sustentou que a formação desse órgão, vai permitir criar regulamentos e pautar as competições no que estiver regulamentado.
Noé Alexandre considerou, que a IV edição do Campeonato Nacional de futebol de salão para trabalhadores, foi muito bem disputada, a prova realizou-se de 2 a 12 do corrente, na cidade do Lubango, Huíla.  
Para o dirigente desportivo, tudo dá a entender que a cada ano que passa, as equipas de futebol de salão para trabalhadores aparecem mais evoluídas.  
Apesar disso, Noé Alexandre quer ver melhorado o nível de organização das equipas. 
“O que acho, neste momento, é que o futsal para trabalhadores deve melhorar o seu nível de organização, para que as próximas edições sejam melhor que está”, apelou.
Confirmou que a Federação dá o seu apoio técnico, para que o futsal para trabalhadores seja uma realidade no país. 
“O mais importante aqui, é que haja regulamentos das respectivas provas; devem criar uma Associação ou Núcleo, conforme designarem, e criar regulamentos e pautar a prova no que estiver regulamentado. 
Digo isso, porque as equipas que levam mais vantagem em competições, são as de Luanda, principalmente, as instituições bancárias”, observou. 
Noé Alexandre referiu, que ao longo da disputa da final da IV edição do Campeonato Nacional de futebol de salão para trabalhadores, ficou provado que nem a equipa do BIC, nem o BCI, que têm a maior parte de atletas federados, estiveram na final, o que demonstra evolução.
A formação da Polícia Fiscal de Luanda conquistou o título de campeão nacional de futsal para trabalhadores, ao bater na final o BPC do Namibe, por 4-3. 
A equipa do BCI, campeã destronada, terminou a competição na terceira posição, ao derrotar no jogo de classificativa, a equipa do BIC por 4-2. 
A IV edição do Campeonato Nacional de futsal para trabalhadores foi disputada por 21 formações. A próxima edição, segundo a organização, vai ser disputada em 2019,  na província de Malanje. 
GAUDÊNCIO HAMELAY - LUBANGO