Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

FAFUSA pode retirar organizao Hula

Gaudncio Hamelay, no Lubango - 06 de Agosto, 2018

Pavilhes da Nossa Senhora do Monte e anexo n 2 com graves problemas para a realizao de jogos

Fotografia: Paulo Mulaza|Edies Novembro

A inexistência de condições básicas, para realização do Campeonato Nacional de Futebol de Salão sénior, em ambos os sexos, a decorrer de 15 a 25 do corrente, na cidade do Lubango, deixou entristecido a delegação da Federação Angolana da modalidade (FAFUSA), encabeçada pelo seu presidente de direcção, Noé Alexandre, que trabalhou no fim-de-semana, naquela circunscrição no âmbito do evento. 
O secretário-geral da Federação Angolana de Futebol de Salão (FAFUSA), Eliseu Major, entristecido com o que constatou “in situ”, disse que era visível, nesta altura, encontrar as condições básicas criadas para a realização do torneio, mas a realidade encontrada é diferente.
Eliseu Major fez questão de lembrar que, há 18 de Maio último, manteve um encontro com o director do Gabinete Provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos da Huíla, Joaquim Barbante Tyova, tendo havido garantias da parte do governo, pelo facto do certame, coincidentemente, acontecer num período em que o Lubango celebra as festas da Nossa Senhora do Monte, padroeira da cidade.
“Primeiro dizer com alguma tristeza que era suposto, nesta altura, encontrar as condições básicas criadas para a realização do torneio. Acontece, porém, que nós tivemos há 18 de Maio aqui no Lubango, onde mantivemos um encontro com o senhor director do Gabinete Provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos e houve algumas garantias da parte do governo na pessoa do director porque inicialmente nos tinha dito que também havia garantias da vice governadora para o sector político e económico, Maria João Chipalavela, no apoio total ao evento, uma vez que a prova vai ser feita precisamente no período em que a cidade do Lubango está em festa”, lamentou.
Eliseu Major acrescentou que “ o que vimos, deixa-nos bastante reticentes e se nos próximos 5 dias a Huíla não criar as condições, pelo menos nos dois campos (multiuso e anexo nº 2), aventamos a hipótese de não realizarmos o campeonato aqui”, realçou.
Apontou que tanto o pavilhão multiuso da Nossa Senhora do Monte, como o anexo nº 2, precisam de uma melhoria urgente no que toca a quadra de jogo, a marcação do piso, principalmente no quesito ligado aos balneários e as casas de banho, uma vez que vai se movimentar muita gente.
“Devemos ter as condições básicas criadas”, salientou.
Apesar disso, Eliseu Major, assegurou que, durante a estadia da delegação da Federação Angolana de Futebol de Salão na Huíla, trabalhou na sexta-feira e sábado, com os seus parceiros, no sentido de encontrarem soluções para a situação actual, quando faltam poucos dias para a realização dos nacionais seniores masculino e feminino. “Vamos trabalhar e tentar interagir com o director do Gabinete Provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos para ver de que forma nós podemos resolver essa situação. Digo isso, porque não foi a FAFUSA que ofereceu a realização dos jogos aqui na cidade do Lubango, foi a associação provincial que solicitou-nos para albergar esse campeonato. Mas, infelizmente, com alguma tristeza, volto a repetir, não encontramos as condições dignas para que possamos realizar a prova na Huíla”, afirmou.


SECRETÁRIO-GERAL   
“Comissão organizadora
não pode ficar  à margem”

O secretário-geral da Federação Angolana de Futebol de Salão (FAFUSA), Eliseu Major, garantiu que, apesar do curto tempo para o arranque dos nacionais, em ambos os sexos, ainda é possível reunirem-se as condições ideias para que a festa do futsal seja uma realidade nas terras altas da Chela, mas para tal, deverá haver um apoio maior da Direcção do Gabinete Provincial da Cultura, Turismo, Juventude e Desportos, assim como dos clubes locais.
 Eliseu Major argumentou, que a realização do campeonato na Huíla também reduz as despesas da participação das formações da província, ao contrário se a competição for realizada num outro sítio.
“A comissão organizadora local não pode ficar à margem. Deve ser a primeira a manifestar o interesse, que a prova aconteça aqui (Huíla) e deverá haver um engajamento ainda maior dos membros da associação, porque pareceu-me também haver alguma inércia da parte deles. Alegaram falta de recursos financeiros, mas isso não pode servir de pretexto. Então, estamos em crer que sairemos daqui com mais ou menos as questões devidamente alinhavadas, de tal forma que a Huíla consiga ainda albergar essa competição. Mas, nós ao sairmos daqui vamos já tentar encontrar o plano alternativo, porque temos até dia 10 do corrente mês, para voltarmos aqui (Lubango) para saber se, efectivamente, as condições foram criadas ou não”, frisou.
Referiu que é pretensão da federação organizar o campeonato nacional na província da Huíla.
O dirigente federativo anunciou, que a organização já tem as quotas definidas e confirmou a participação de 20 equipas masculinas e 12 femininas. “Já temos as quotas definidas. Temos 20 equipas masculinas e 12 femininas. A Huíla, felizmente, vai participar com três equipas e a garantia que temos estado a receber é que todas equipas que manifestaram o interesse em participar garantem estar no palco da competição”, confirmou.  
GH