Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Goleada deixa Petro mais perto da outra fase

Paulo Caculo - 12 de Fevereiro, 2018

Representante na Taa da Confederao obtm vantagem tranquila e confortvel

Fotografia: Kindala Manuel | Edies Novembro

Se houvesse qualquer dúvida em relação ao favoritismo do Petro de Luanda no jogo com o Master Security de Malawi na fase inicial da eliminatória de acesso à fase de grupos da Taça da Confederação, então, foi completamente dissipada com a goleada expressiva (5-0) que o conjunto angolano aplicou no sábado, no Estádio 11 de Novembro.
Diga-se, sem margem de erro, que os números da vitória dos \"embaixadores\" angolanos na Taça CAF acabam por garantir, seguramente, a  condição privilegiada de carimbar o passaporte para a segunda fase da eliminatória, ainda que tenha de optar por um futebol de contenção no embate da segunda mão, dentro de 14 dias, no Malawi.
Mais do que corresponder à expectativa dos angolanos e dos adeptos em particular, ao Petro deve atribuir-se o mérito de ter sido capaz de superar as habituais condicionantes de princípio de época. Ou seja, ao contrário do que se esperava, o conjunto às ordens de Beto Bianchi manteve em alta os elos primários de ligação ao jogo.
Ao contrário do adversário, que devia espelhar melhores níveis competitivos, fruto do número de jogos nas pernas que ostentam os seus jogadores, já que o campeonato no Malawi está em curso mais cedo, a formação angolana não deixou transparecer a imagem de uma equipa que só agora se confronta com jogos a doer. Ainda assim o Petro protagonizou um festival de falhanços.

ÉPOCA NOVA...
MAKAS ANTIGAS

Nota-se, à primeira vista, na equipa do Petro de Luanda, um conjunto com futebol positivo, oleada nos processos de construção de trás para frente, com várias unidades em destaque, com muito à vontade e criatividade, sobretudo, na zona intermédia da equipa.
Não é propriamente um conjunto novo, o que vimos evoluir frente ao Master Security, todavia, é de deplorar o facto dos tricolores não se livrarem (pelo menos até ao jogo de sábado) da mania dos desperdícios.
Fruto disso, é que apenas ao minuto 40 a equipa chegou ao golo por Tiago Azulão, depois de minutos a fio espreitar a baliza do conjunto Malawi. Na altura, o Petro abusava de tempo com a posse de bola e das oportunidades de marcar.
Fica a dúvida, se o ataque volta a estar sob inspiração dos avançados brasileiros, com particular realce para Tiago Azulão, simplesmente o melhor marcador da equipa nas últimas três épocas.
Ao \"matador\" brasileiro juntaram-se, na ambição aos golos, os seus compatriotas Tony e Diney, duas unidades igualmente fundamentais na manobra ofensiva da equipa, que  ajudaram na goleada e que proporcionam ao Petro confortável vantagem, com chances de qualificação para a fase seguinte.
Beto Bianchi utilizou o seguinte \"onze\": Gerson, Mira, Elio, Wilson, Diogenes, Carlinhos (Manguxi 56 min), Herenilson, Job, Diney  Mateus (Tony 68 min),Tiago Azulão (Dennis 80 min).