Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Governo recebe no Lubango estdios para o CAN2010

Benigno Narciso, no Lubango - 21 de Dezembro, 2009

Estdio Nacional da Tundava foi entregue s autoridades angolanas

Fotografia: Jornal dos Desportos

Os quatro estádios que vão servir na cidade do Lubango, província da Huíla, a Taça Africana das Nações Orange-Angola 2010, que o país acolhe em Janeiro próximo, foram entregues oficialmente ao governo angolano na passada sexta.
Trata-se do Estádio Nacional da Tundavala, construído de raiz para albergar os jogos oficiais do Grupo D, e dos estádios da Nossa Senhora do Monte, Ferroviário da Huíla e do Benfica do Lubango, remodelados para os treinos das selecções.
Pelo Ministério das Obras Públicas, na qualidade de dono das obras, estiveram o ministro e vice-ministro do sector Higino Carneiro e Joanes André, que receberam da empresa Chinesa Sinoydro Coorporation, o Estádio Nacional da Tundavala.
Da empresa Omatapalo, os responsáveis das obras públicas receberam o estádio da Nossa Senhora do Monte e do Ferroviário da Huíla. Higino Carneiro e Joanes André procederam também a recepção oficial do estádio do Benfica do Lubango, infra-estrutura cujas obras estiveram a cargo da empresa Mega Construções.
Procedeu-se de igual modo a recepção da via de acesso que liga o centro da cidade do Lubango ao Estádio da Tundavala, localizado na zona da Canguinda, arredores da cidade do Lubango. A via de acesso ao estádio tem uma extensão de seis quilómetros.
Orçado em 69 milhões de dólares americanos, a construção do Estádio Nacional da Tundavala teve duração de 24 meses. Tem capacidade total de albergar 20 mil espectadores sentados em assentos individuais. As obras estiveram a cargo da empresa chinesa, Sinoydro Coorporation.
O acto de entrega e recepção oficial dos empreendimentos desportivos teve lugar na sala de conferências do Estádio da Tundavala, numa cerimónia testemunhada pelo governador provincial da Huíla, Isaac dos Anjos, pelo ministro dos transportes, Augusto Tomas e pelos membros do COCAN Huíla e da sociedade civil.

Cidade ganha frota
de táxis personalizados

A cidade do Lubango beneficiou de uma frota de táxis personalizados, posta à disposição para assegurar a transportação e mobilidade dos adeptos, excursionistas e população geral por altura da disputa da Taça Africana das Nações Orange-Angola’2010.
A frota é composta por cinquenta (50) automóveis de marca Jeep 4x4. Falando à imprensa no Lubango, o ministro dos transportes, Augusto Tomás, apontou para os próximos dias a entrega de mais táxis.
O titular do Ministério dos Transportes assegurou que a frota de táxis vai juntar-se aos autocarros já em circulação no Lubango para o asseguramento e reforço do transporte no casco urbano e peri-urbano, como hotéis, aeroportos, hospitais, estádios, praças, pontos turísticos e outros locais de interesse.
Augusto Tomás esclareceu que para melhor gerência e rentabilidade da frota, serão definidos os roteiros de circulação dos táxis, paragens, placas identificativas dos locais de acesso dos táxis que estarão ligados por telefone para a solicitação dos clientes.
O ministro dos Transportes não revelou os preços a serem praticados por deslocação. Nos próximos dias vai ser lançado um concurso público para a identificação das empresas que vão explorar os serviços da frota.                                       

Ministro pede envolvimento
da sociedade para êxito do CAN

O ministro da Juventude e Desportos, Gonçalves Muandumba, afirmou  que o sucesso de organização da Taça de África das Nações em futebol, a disputar-se em Angola entre 10 e 31 de Janeiro de 2010, dependerá do envolvimento de todos, sobretudo da população das cidades-sede do evento continental.
Em entrevista exclusiva à Angop, sobre as actividades do pelouro ao longo deste ano e perspectiva para 2010, o governante reafirmou a necessidade do cumprimento das tarefas previstas para a maior festa do futebol dos africanos.
De acordo com Muandumba, o Estado angolano investiu para que nada falte, mas apontou que o principal factor para o êxito que se pretende na prova será o comportamento do povo em todo território nacional, independentemente dos resultados desportivos dos Palancas Negras.
"Esperamos que a máquina que colocamos ao serviço do desporto funcione. Os autocarros, os guias, horários, voluntários e o envolvimento de todos é que fará com que não haja atraso na realização de jogos", referiu.
Para o governante, o Estado criou as condições necessárias para a realização de "uma verdadeira festa" da juventude africana, reiterando que, por isso, os árbitros serão hospedados em Luanda, apesar de terem desafios para ajuizar nas três cidades, além da capital. Meios aéreos estarão assegurados, garantiu o responsável.
Segundo o ministro, mesmo que a parte organizativa funcione - como tem sido até agora -, o investimento será em vão se não houver a participação de todos os angolanos, desde a forma de recepção dos visitantes, o civismo, o respeito pelo próximo.