Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Herenilson dvida para Madagscar

Paulo Caculo - 11 de Agosto, 2017

O Herenilson sentiu uma dor no tornozelo direito

Fotografia: Jornal dos Desportos

O médio Herenilson representa a única grande contrariedade de Beto Bianchi para o jogo com o Madagáscar. O jogador ressentiu na quarta-feira de uma lesão no tornozelo, facto que o obrigou a estar afastado da sessão de treinos realizada ontem no estádio 22 de Junho.Segundo o doutor Pedro Miguel, médico da selecção, o jogador não chegou a terminar a preparação de quarta-feira, devido a uma queixa apresentada no tornozelo do pé direito.

Apesar da situação ser estável, o responsável do departamento médico dos Palancas acredita na recuperação do jogador, a tempo de entrar nas contas do seleccionador para o jogo frente aos malgaxes.\"O Herenilson sentiu uma dor no tornozelo direito e estamos a ver se o recuperamos para o jogo de domingo. A situação é estável e tirando ele estão todos os jogadores de perfeita saúde. Acreditamos na sua recuperação, porque o que mais queremos é que ele jogue no domingo\", disse Pedro Miguel.

Dada a ausência forçada do médio, Beto Bianchi começou já a estudar alternativas, tendo promovido ontem ao naipe de prováveis titulares Dudu Leite. Herenilson esteve sempre nas contas do seleccionador nacional para esta deslocação a Antananarivo, tendo sido titular na eliminatória anterior, frente às Ilhas Maurícias. No final da sessão de treinos desta manhã saber-se-á das probabilidades do médio defrontar o Madagascar.

APURAMENTO AO CHAN\'2018
Selecção embarca hoje


A Selecção Nacional de honras embarca hoje, às 14 horas, para Antananarivo, em voo fretado da Sonair, tendo em vista o jogo do próximo domingo, frente à congénere do Madagascar, em desafio a contar para a última eliminatória de acesso ao CHAN de 2018, no Quénia.Basta dizer que, na bagagem, o combinado nacional carrega a esperança de centenas de adeptos na construção de um resultado, que abra boas e importantes perspectivas de qualificação no embate da segunda mão, agendado para o próximo dia 19, no estádio 11 de Novembro, em Luanda.

Ao contrário do inicialmente previsto, Beto Bianchi optou por levar para o palco do jogo os 20 jogadores convocados, facto que ajuda a alargar o leque de opções à sua disposição.Contribuiu para tal, a particularidade da federação ter conseguido criar condições para que a selecção efectuasse uma viagem em voo fretado.

PREPARAÇÃO
Durante os quatro dias que esteve a trabalhar em Luanda foi notório a preocupação do seleccionador nacional com o modelo de futebol da equipa, mas sobretudo com a estratégia defensiva montada, cujo objectivo visa evitar sofrer riscos desnecessários.Beto Bianchi esteve, nestes dias, bastante interventivo, tendo se colocado várias vezes no centro do relvado, sobretudo nos mini-jogos ensaiados, umas vezes gesticulando em jeito de protesto, outra vezes interrompendo jogadas, para exemplificar como deve ser feito.

Apesar de hoje, às 9 horas, estar reservada a última sessão de treino, antes do embarque para Antananarivo, depois do que se viu do treino de ontem, chega-se à fácil conclusão de que o seleccionador nacional deve efectuar algumas mexidas ao onze que defrontou às Ilhas Maurícias, na eliminatória passada.

Ou seja, à baliza Gerson deve manter o lugar, mas no eixo defensivo Wilson e Massunga (ou Nari) devem ser os escolhidos.Na lateral, partem em vantagem Mira, à direita, e Natael, à esquerda, sendo que Dudu Leite e Nari devem ser os médios mais recuados. Na função de impulsionadores do caudal ofensivo estarão Manguxi, Job e Nelson Luz, enquanto Yano pode voltar a ser a opção para o ataque. Seguem viagem para Madagascar os seguintes 20 jogadores: Gerson e Neblu (guarda-redes), Danny Massunguna, Wilson, Natael, Mira, Nelson Luz, Paty, Job, Manguxi, Herenilson, Vá, Yano, Nandinho, Beibe, Silva, Tó, Nari, Dudu Leite e Bugos.

EM ANTANANARIVO
Wilson quer Palancas Negras humildes


A humildade e a concentração serão as chaves para a selecção nacional superar a congénere do Madagáscar, no jogo do próximo domingo, em Antananarivo, para a primeira mão da última eliminatória de acesso à fase final da 5ª edição do CHAN, que se disputa no Quénia, em 2018. A garantia foi dada pelo capitão dos Palancas Negras Wilson. O defesa central, que representa o Petro de Lunda, disse conhecer bem o adversário, descrevendo-o como uma equipa muito rápida e forte no contra-ataque.

De acordo com o central dos Palancas Negras, a integração dos colegas está a ser boa, já que todos estão a lutar para um só objectivo: vencer o jogo na casa do adversário.Já o médio extremo Job, igualmente do Petro de Luanda, valorizou o empenho dos colegas da selecção nacional na preparação do jogo com o Madagáscar, no próximo domingo, em Antananarivo.O jogador disse que o grupo está unido e motivado, esperando apenas o dia do desafio da primeira \'mão\' da última eliminatória de acesso à fase de grupos do CHAN do Quénia 2018.

Job, um dos jogadores mais antigo do actual conjunto, orientando pelo hispano-brasileiro, Beto Bianchi, reconheceu as qualidades do adversário, que, no seu entender, vai criar muitas dificuldades, com o agravante deste jogar em casa diante do seu público.“Os malgaxes jogam muito rápido e são muito agressivos, por isto é que estamos a trabalhar duro para não sermos surpreendidos no domingo”, disse. Gerson e Neblu (guarda-redes), Dani Massunguna, Natael, Mira, Wilson e Tó Carneiro (defesas), Beibe, Dudú Leite, Herenilson, Manguxi e Paty (médios), Nandinho, Bugos, Silva, Yano, Job, Nelson da Luz e Vá (avançados).

VITÓRIA
Paulo Torres
está confiante

O técnico do Interclube, Paulo Torres,  mostra-se confiante  na  prestação dos  Palancas  no jogo do  próximo domingo joga em Antananarivo diante  da sua  similar do Madagáscar, em partida da primeira mão,  de acesso à fase final do CHAN2018, no Quénia . Angola tem  bons  jogadores  capazes  de fazerem um bom  jogo diante do Madagáscar.  O técnico  escolheu os jogadores  que lhe dão confiança para este  jogo  e por isso vamos  acreditar que  a selecção de Angola vai fazer um bom jogo\", salientou o técnico dos  policias .

O antigo seleccionador da Guine Bissau, que  conhece bem  o futebol da região austral,  garante  que se  o trabalho  de casa  for bem feito  então não haverá problemas.\"Penso que o treinador tem  consciência daquilo que  vai encontrar\" , acrescentou e depois mostrou satisfação pela chamada de  quatro  jogadores da sua equipa.

\" Estou satisfeito  por ter dado  quatro jogadores à selecção nacional ,  pois, isto mostra  o trabalho que estamos a fazer\", disse.
O técnico garante  ainda  que vai continuar a trabalhar  no sentido de elevar a equipa a novel competitivo .\"Estamos a crescer em todos os níveis mas temos consciência que  ainda temos muito que fazer  para  o melhoramento da nossa equipa  continuar  a dar  jogadores à equipa nacional\", salientou  VALODIA KAMBATA