Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Herv Ndonga promete trabalhar arduamente

Jos Cola - 09 de Fevereiro, 2015

Herv Ndonga foi das grandes referncias da equipa do TP Mazembe e da seleo congolesa no ltimo CAN

Fotografia: Santos Barroso

O médio Hervé Ndonga, um dos reforços proveniente do TP Mazembe do Congo Democrático para a equipa do Progresso da Lunda Sul, que regressa ao Girabola da presente época, assinou um contrato de 160 mil dólares norte-americanos.

O jogador vai representar o clube da Lunda Sul, por uma época, com a possibilidade de renovação desde que as partes envolvidas o entendam.  O médio vai receber uma residência mobilada, viatura e salário acima 110 mil dólares norte-americanos por doze meses.  Hervé Ndonga, de 22 anos, uma das grandes referências da equipa do TP Mazembe na época anterior, disse ao Jornal dos Desportos “fui bem recebido pelos meus companheiros. Sinto-me muito bem tanto com a direcção, como com os colegas. Isso,  encorajou-me e eis a razão da minha presença em Angola para representar o Progresso da Lunda Sul”.  Quanto ao enquadramento tardio no grupo de trabalho, devido a contribuição na selecção do seu país durante o CAN 2015 na Guiné Equatorial, Hervé Ndonga justificou que isso não vai complicar em nada.

“Sei que haverá alguma dificuldade, mas dentro de 24 ou 48 horas estarei  a trabalhar com grupo. O atraso não vai afectar em nada, apesar de me juntar a eles com um ligeiro atraso. Acredito que a minha capacidade técnica será um factor determinante no meu enquadramento na equipa”, revelou o médio contratado pelo Progresso da Lunda Sul.  Sobre Angola disse haver uma grande diferença entre RDC e Angola, sobretudo no desenvolvimento da cidade e no ambiente em si. “Tudo está bem, nota-se que a cidade de Luanda está em franco crescimento. Mas acho que Luanda é uma cidade muito quente, o que difere de Kinhasa ou de Lubumbashi, que são ligeiramente mais frias. De qualquer das formas, vim para trabalhar e se Deus quiser o povo da Lunda Sul vai sentir-se feliz com a minha prestação”, confessou.

PROMESSA
"Vou trabalhar para ganhar a titularidade"


A titularidade é o maior desejo de qualquer jogador famoso e Hervé Ndonga não é uma excepção. O jogador contratado pelo Progresso da Lunda Sul promete trabalhar arduamente, a fim de ser um titular indiscutível na nova equipa. 

“Estou aqui para isso. Então, tudo depende de mim, pois tenho de ser eu a adaptar-me. Para tal, tenho de trabalhar muito, pois foi por isso que me chamaram para jogar na condição de titular”, afirmou.

Hervé Ndonga agradeceu à direcção do clube que o contratou, assim como ao patrono do Progresso da Lunda Sul, prometeu ao povo de Saurimo uma grande época no Girabola de 2015. “Agradeço o presidente António Jamba, mas sobretudo ao patrono Santos Bikuku e a outros membros da direcção do Progresso da Lunda Sul. O Girabola vai começar e eu prometo ao povo de Saurimo que estou em Angola para os alegrar”, revelou Hervé Ndonga.
O patrono do Progresso da Lunda Sul, Santos Bikuku, confessou que a sua equipa entra no Girabola para lutar pelos primeiros cinco lugares da classificação, razão pela qual investiu seriamente nas contratações.

“É do vosso conhecimento que o Progresso da Lunda Sul subiu à Primeira Divisão. O treinador e a direcção pediram-me que fizesse boas contratações e aí está o resultado. Vieram como reforços o Tchibuabua,  Chileshe, Luciano e o Hervé Ndonga. Em função do investimento que fizemos, queremos lutar para os cinco primeiros lugares da classificação final do Girabola de 2015”, perspectivou Santos Bikuku.
JC

REVELAÇÃO
“Conheço pouco
sobre o Girabola”


Hervé Ndonga revelou saber pouca coisa acerca do campeonato angolano de futebol da Primeira Divisão, porque as principais informações a respeito da competição  chegam-lhe  através dos seus compatriotas que militam nos clubes angolanos.

O jogador já esteve em Angola por duas vezes, para defrontar o FC Bravos do Maquis, no torneio internacional organizado pela formação do Moxico, e o Petro de Luanda numa das edições das Afrotaças. 

“Tenho pouco conhecimento sobre o futebol angolano, mas já joguei com três equipas angolanas, dentre elas o FC Bravos do Maquis e o Petro de Luanda. Sei que o futebol angolano é muito físico, táctico e técnico, com muita velocidade. Vou ter de adaptar-me a esse sistema. Vou fazer alguma coisa lá em Saurimo, para que consiga enquadrar-me  nesse sistema”, afirmou.

À uma pergunta sobre a hipótese de não corresponder às expectativas que a si são esperadas, tal como tem acontecido com outros jogadores procedentes dos clubes congoleses, Hervé Ndonga alertou que da sua parte as coisas vão ser diferentes.

“Não sei muito, porque de onde venho é muito diferente. Vim do TP Mazembe, que é muito diferente do Vita Club e do Daring Club Motema Pembe. A questão da adaptação depende da cabeça e da mentalidade de cada um. Acho que vou ter de me adaptar muito rápido, para que possa jogar muito aqui em Angola”, evocou.
JC