Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Hlder Martins apita amanh

13 de Janeiro, 2018

O rbitro internacional angolano Hlder Martins

Fotografia: Edies Novembro

O árbitro internacional angolano Hélder Martins apita amanhã domingo, às 14h30 (15h30 em Angola), no Estádio Mohammed, em Casablanca, o segundo jogo do grupo A, entre as selecções da Guiné Conacry e do Sudão a contar para a jornada inaugural da V - edição do Campeonato Africano das Nações (CHAN2018).
A competição, reservada a jogadores que actuem nos respectivos países, realiza-se de 13 de Janeiro a 4 de Fevereiro, no Reino de Marrocos.A Angop apurou junto de fonte oficial, que o juiz angolano vai ser auxiliado por Elvis Npoue (Camarões) e Gilbert Mpassi (Quénia).A Confederação Africana de Futebol (CAF) nomeou o namibiano Jackson Pavaza para quarto árbitro.
O zambiano Janny Sikazue  vai ajuizar o jogo inaugural (Grupo A) entre as selecções de Marrocos e da Mauritânia, agendado para sábado às 19 horas (20h00 em Angola), também no Estádio Mohammed.
O árbitro zambiano, vai apitar no Campeonato do Mundo da Rússia\'2018, vai ser auxiliado por Marwa Adem (Quénia) e Arsénio Marengula (Moçambique). O senegalês Maguette Ndiae é o quarto juiz.
Além do profissional do apito, o angolano Hélder Martins, a competição africana para jogadores domésticos conta ainda com outro angolano, o assistente Gelson Emiliano.Emiliano é também quadro da FIFA e vai exercer a função de Árbitro Assistente de Vídeo (VAR). O angolano é licenciado em matemática,  conta com um prestigiante currículo internacional em que se destaca o mundial de clubes do ano passado, além da presença nos CAN de 2013 e 2015, bem como em jogos da Liga dos Campeões de África.
Angola estreia-se no dia 16 em Agadir, diante da similar do Burkina Faso, para a primeira jornada do grupo D, em que também fazem parte os Camarões e o Congo Brazzaville.


AGADIR
O palco dos Palancas


Com uma população estimada em 421 mil e 844 habitantes (dados de 2014), a cidade de Agadir, sul de Marrocos, será a sede do grupo de Angola (D) no CHAN\'2018 que inicia sábado, uma região onde os portugueses edificaram a Fortaleza de Santa Cruz, por ocasião da sua ocupação em 1505.
Construída em zona de alta atitude, frente ao mar, os portugueses encontraram grandes dificuldades com as tribos da região, sofrendo longas lutas, até que em 1541 o xerife Mohammed ech-Cheikh toma a fortaleza. Seiscentos sobreviventes lusos foram feitos prisioneiros, entre eles o governador D. Guterre de Monroy e seus filhos.
Localizado a norte da foz do rio Suz, na costa do Oceano Atlântico, a cidade de Agadir, antigamente designada por Santa Cruz do Cabo de Gué, é a capital da região de Souss-Massa-Drâa.
Agadir, que significa \"muralha\", \"fortaleza\" ou \"cidade\", tornou-se uma baía de certa importância, desenvolvendo o comércio com a Europa. De Agadir saiam produtos como açúcar, cera, cobre, couros e peles, enquanto os europeus traziam armas e tecidos.