Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Huilanos enfrentam lees s cegas

Benigno Narciso-Lubango - 28 de Setembro, 2019

Quanto disponibilidade fsica dos militares da Regio Sul, Paulo Campo Caricoco assegurou que a equipa tcnica tem o grupo completo, pelo que cabe aos atletas darem o mximo de si, em prol da meta traada.

Fotografia: Aro Martins | Edies Novembro

O desconhecimento em relação ao adversário, resultante da falta de dados, faz a equipa técnica do Desportivo da Huíla perspectivar enormes dificuldades no desafio desta tarde, a partir das 15h30, no Estádio Municipal do Tafe, em Cabinda, com o Sporting local, a contar para a sexta jornada do Girabola Zap 2019/2020.
Em função da ausência de conhecimento, sobre a forma de actuar do adversário, o Desportivo vai adoptar uma postura cautelosa em relação ao conjunto leonino, para permitir efectuar, primeiro, o estudo sobre o oponente e depois procurar encontrar a melhor estratégia que possibilite lutar pelo resultado favorável, que não seja a derrota.
O facto foi assumido por Paulo Campos “Caricoco”, da equipa técnica da formação afecta à Região Militar Sul, em conferência de imprensa de antevisão que se realizou no Lubango, horas antes da viagem da equipa.
“Vamos à Cabinda às escuras. Eles partem em vantagem, porque observaram os nossos jogos. Nós ainda não observamos  nenhum jogo do Sporting de Cabinda. Têm mais dados sobre a nossa equipa. Por isso é que vamos entrar mais cautelosos em relação ao Sporting. Antevemos um jogo difícil”, perspectivou.
Paulo Campos “Caricoco” relatou que a representante da província mais a Norte do país no Girabola Zap, ainda não perdeu em casa e o Desportivo não triunfou fora do seu reduto, o que torna a missão de triunfar em Cabinda num desafio ainda mais difícil, pois, o oponente não vai querer desperdiçar pontos e a equipa huilana procura pelo seu primeiro resultado positivo, em terreno alheio.
“Estamos a trabalha nisso. Durante a preparação atacamos os pontos positivos para que a gente possa fazer um bom resultado lá (em Cabinda), ou seja, conseguirmos pontuar fora, diante de um Sporting que ainda não perdeu em casa. Vamos à procura de um resultado que não seja a derrota, é o que nós pretendemos alcançar”, definiu.
O membro da equipa técnica do conjunto das terras altas da Chela, realçou que “apesar do grau de dificuldades que esperamos, trabalhámos, psicologicamente, o grupo e por isso é que a volto a dizer, que partimos para Cabinda com o grupo ainda mais motivado”.
Quanto à disponibilidade física dos militares da Região Sul, Paulo Campo “Caricoco” assegurou que a equipa técnica tem o grupo completo, pelo que cabe aos atletas darem o máximo de si, em prol da meta traçada.