Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Jogadores esto bem e unidos

Paulo Caculo - 25 de Julho, 2019

Experiente central da seleco nacional elogia grupo s ordens de Silvestre Pel

Fotografia: Agostinho Narcso | Edies Novembro

A selecção nacional viajou ontem, para Manzini, palco do jogo do próximo domingo, diante da sua congénere do e-Swatini (ex-Suazilândia), confiante na obtenção de um bom resultado. O central Fabrício Mafuka é o exemplo claro dos níveis de confiança que domina o ambiente dos Palancas Negras antes do desafio da primeira mão, referente as eliminatórias à fase final do Campeonato Africano das Nações, CHAN, competição reservada a atletas que evoluem nas provas domésticas.
O experiente defesa central, de 28 anos, assegurou ontem ao Jornal dos Desportos, horas antes de embarcar com o grupo para África do Sul, haver crença na conquista de um resultado positivo, que abra boas perspectivas de apuramento à última fase das eliminatórias ao CHAN dos Camarões.
“O melhor resultado, para nós, é a vitória. Não pensamos em empatar. Queremos vencer o jogo e confirmar o apuramento à próxima fase da eliminatória no jogo que faremos em nossa casa”, atirou, sem evasivas, o reforço do FC Bravos do Maquis.
“Não esperava regressar já à selecção. Foi uma surpresa. Tenho de ser realista. Estou feliz por ter sido convocado. Não é a primeira vez que sou chamado para disputar uma eliminatória do CHAN. Conheço perfeitamente a equipa da Suazilândia (actual e-Swatini). Já joguei contra eles umas duas vezes”, acrescentou.
O central garante que o grupo viaja em perfeitas condições psicológicas, pois confessa ter constatado no seio do balneário às ordens de Silvestre Pelé, “jovens atletas com muita vontade de triunfar na carreira”, e sobretudo, “justificarem a aposta” do seleccionador.
“Estou aqui (na selecção) para ajudar o grupo. O grande objectivo é trabalhar para ajudar a selecção a se apurar para a fase seguinte. Conheço bem a Suazilândia. É uma equipa difícil, quer a jogar em casa, quer fora. Acho que vamos conseguir. Aliás, tenho a certeza que vamos vencer este jogo, porque os jogadores estão unidos e com muita vontade de justificarem a aposta do seleccionador”, disse.
Fabrício aplaude, por outro lado, a ideia que se teve em formar um grupo de Sub-23 e juntar alguns jogadores mais experientes. Sublinha haver sintonia entre os atletas e a equipa técnica. Confessa, por isso, estarem criadas todas as condições para a construção de um resultado positivo em Manzini, palco do embate com o conjunto e-Swatini.
“O grupo é formado, maioritariamente, por jogadores mais jovens. Apenas eu, Landu, Chico e o Depaiza somos os mais experientes do grupo. Os restantes atletas são jovens da selecção de Sub-23. Acho que temos conseguido formar um bom grupo, para vencermos a Suazilândia no domingo. Vai ser difícil. Mas vamos trabalhar.
O nosso objectivo é ganhar em casa deles”, afirmou o central, antigo “patrão” da defesa do Kabuscorp, hoje transferido para o FC Bravos do Maquis.
O central revela igualmente muita satisfação pelo facto de ter sido muito bem recebido num grupo em que perfilam jovens com ambição de conquistar um lugar entre os titulares. Diz ter assistido, durante os treinos em Luanda, a uma concorrência salutar, entre os colegas da selecção, sobretudo os da sua posição (defesa).
“Todos os jogadores que estão aqui os conheço muito bem, por isso, tem sido perfeita a minha integração neste grupo de jogadores. Acredito que vamos vencer este jogo e tentar seguir em frente nesta eliminatória”, rematou.