Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Jonas vai a enterrar em meio a glrias do passado

18 de Outubro, 2018

Ex-internacional faleceu na tera-feira de ataque cardaco

Fotografia: DR

O ex-médio Jonas, falecido na terça-feira vitima de ataque cardíaco, vai hoje, às 10h00, a enterrar no Cemitério do Benfica.
O nosso jornal apurou que na segunda-feira o antigo jogador estava no Catetão, campo de treinos do Petro de Luanda, a exercer a sua actividade laboral, chefe de departamento de scouting, no começo da tarde passou mal e foi levado ao hospital, onde perdeu a vida.
Natural de Benguela, província em que começou a carreira, o ex-atleta que faleceu aos 46 anos de idade atingiu o apogeu no futebol nacional com a camisola do Petro de Luanda, conquistou títulos, disputou uma final continental (Taça CAF) e as meias-finais da Champions 2001. Tmbém chegou a jogar no 1º de Agosto, mas sem as mesmas glórias que viveu de tricolor ao peito.
A época de estreia de Jonas nos tricolores foi agridoce, aposta inicial do técnico Chiby, que o levou do Independente do Tômbwa ao Catetão, ele fez parte do plantel que em 1996 atingiu os quartos de final da Taça dos Campeões, foi a primeira vez que uma equipa angolana chegou tão distante na competição, mas o fracasso interno no Girabola e Taça de Angola, apagou o brilharete nas Afrotaças.
A chegada do brasileiro Jorge Ferreira mudou para sempre a carreira de Jonas. No começo da época de 1997 o médio não tinha lugar no onze, mas tão logo o treinador decidiu fazer uma ligeira mudança na composição do meio-campo, Zico saiu de centro-campista para médio esquerdo e Jonas entrou na equipa inicial e por lá permaneceu até o fim da temporada de 2002.
Em 1997, o Petr(óleo) queimou em alta combustão dentro e fora de Angola, a dobradinha chegou com naturalidade, mas a cereja no topo do bolo foi a final da Taça CAF, a primeira e única da história do clube. Os tricolores passearam dos 16 até às meias-finais com vitórias dentro e fora de casa, mas na primeira mão das meias-finais a primeira derrota chegou 2-1 com o Jasper United da Nigéria. O jogo da segunda mão, 26 de Outubro de 1997, é talvez o mais memorável de Jonas com a camisola tricolor, com show de bola o Petro de Luanda goleou por 4-1, com bis de Paulo Silva e claro de Jonas, o segundo golo dele foi um remate acrobático na baliza que dá para a igreja de São Domingos.
As exibições de Jonas no Petro serviram de ponte para a selecção nacional, ele foi um dos Palancas Negras que em 1999 conquistou a primeira edição da Taça Cosafa para o país. Com a camisola tricolor ele conquistou o Girabola em 1997, 2000 e 2001, a Taça de Angola em 1997, 1998, 2000 e 2002, e a Supertaça de 2002; antes de chegar aos tricolores ele venceu a Supertaça de 1995 com o Independente do Tômbwa.