Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Jorge Mário ataca falta de deontologia

Betumeleano Ferr?o - 02 de Fevereiro, 2017

Presidente do Conselho Central de Árbitros de Futebol defende profissionalismo no ajuizamento dos jogos

Fotografia: José Cola

O presidente do Conselho Central de Árbitros de Futebol de Angola (CCAFA), Jorge Mário Fernandes, mostrou-se preocupado, por constatar que há árbitros que violam a ética e a deontologia profissional. Por exemplo, embora omitisse nomes, citou casos em que "um treinador faz anos e o árbitro manda-lhe uma mensagem de felicitações pelo Facebook.

"Esta, é das coisas que não se faz, porque não é ético", garantiu.
Uma relação de amizade entre um juiz e um treinador nada tem de anormal, mas Jorge Mário aconselhou os árbitros a não se exporem de maneira errada.

"Se há uma amizade, é mais correcto que o árbitro mande uma mensagem por telefone, quando duas pessoas são amigas, é normal que cada uma tenha o número da outra", referiu.

O presidente do CCAFA quer que os árbitros ponham de lado alguns hábitos antigos, "há coisas que não se fazem", afirmou. Às vezes, explicou Jorge Mário, alguns  aproveitam-se do mau uso das redes sociais para lançar suspeitas contra os juízes. A direcção do CCAFA vai manter abertas as linhas de comunicação com os seus filiados, mas nenhum deles deve ter como preocupação primária, alegrar aos membros do conselho.

"Estamos disponíveis a  ajudar-vos, mas escolham bem o motivo e a hora em que querem ligar, não precisam de passar por minha casa para eu ver que estão a cuidar da vossa preparação física", afirmou. O CCAFA é composto por várias pessoas, todas com o mesmo grau de importância, sendo este o motivo por que Jorge Mário quer que os árbitros demonstrem ética e deontologia, para evitar causar divisão no seio do conselho.

"Somos muitos, quem tiver uma preocupação que a exponha a qualquer um dos membros da nossa direcção, nós somos muitos, mas devemos trabalhar em conjunto para levar a coisa a bom porto", argumentou. O presidente mostrou-se convicto de que os árbitros que mantêm "a mente ocupada" têm mais chances de seguir a ética e a deontologia profissional. Esta, é a razão por que aconselhou os juízes a estudar mais, e a estender a mão aos colegas, que estão num escalão inferior.

"Ensinem-lhes como se fazem as coisas, como se dominam leis do jogo, eles não estiveram aqui a participar do seminário, mas quem sabe, sabe", afirmou.

ÉPOCA 2017
Árbitros são exortados 
a pautar por boa conduta


A qualidade da arbitragem nacional também vai ser determinante, para os eleitores julgarem o mandato de Artur de Almeida e Silva, revelou o novo presidente do Conselho Central de Árbitros de Futebol de Angola (CCAFA), Jorge Mário Fernandes.

Sem receio de vaticinar, Jorge Mário argumentou que "a Federação vive basicamente de duas coisas, um bom momento da selecção nacional, e um bom momento da arbitragem", assegurou. O mau desempenho dos árbitros, durante a época, "põe em causa a imagem da FAF e do seu CCAFA", sublinhou o presidente. Por isso, aconselhou os juízes a serem imparciais, "se falharem, repetidamente, as coisas vão ficar complicadas", alertou.

A nova direcção do CCAFA traçou várias metas, para que mandato seja um êxito, uma delas, é que os jogos comecem e terminem dentro das quatro linhas, sem que as equipas tenham motivos para fazerem prolongamentos, com a aparente parcialidade dos árbitros.

 " Só queremos que vocês (árbitros) façam bem as coisas, se isto não acontecer, até a direcção da FAF vai ficar sem espaço de manobra, apliquem o que aprenderam no seminário, não inventem nada para evitar dissabores para todos nós", garantiu o presidente Jorge Mário.

O "homem  forte" do CCAFA identificou alguns motivos, por que os árbitros erram, e deu sugestões para ajudar os juízes a melhorar o desempenho em campo.

"Formem equipas coesas, olhem sempre para os vossos colegas, mostrem qualidade", enumerou.
A "falta de humildade", às vezes, acaba por prejudicar a tarefa dos árbitros, é por isso que Jorge Mário exortou os juízes a manterem sempre o foco no seu trabalho,  que a acontecer lhes vai impedir de se distraírem  com coisas de somenos importância.

"Somos uma classe, não precisamos de guerrear entre nós, cada um vai ter a sua vez de chegar à internacional, preocupem-se apenas em fazer bem o vosso trabalho, se têm auriculares e eles não funcionam bem, não os usem só para fazer banga", aconselhou.

A qualidade da arbitragem angolana, tem merecido muitas críticas das equipas, mas Jorge Mário mostra-se convicto, no começo de uma nova era, a partir da Supertaça no próximo sábado.

"Não é bom que os árbitros comecem a falhar, logo no início da época, mostrem muita qualidade mal comece a temporada", pediu.
O CCAFA entrou em funções, há pouco mais de um mês, com a promessa de dar tratamento igual a todos os filiados.

"Os regulamentos são claros, queremos melhorar sem prejudicar ninguém, precisamos de todos, ninguém vai ser excluído porque somos poucos, juntos podemos realizar tudo o que queremos", concluiu.
BF