Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Kabuscorp sem recurso

Betumeleano Ferro - 01 de Junho, 2019

Campeo nacional de 2013 vai mesmo jogar na diviso inferior na prxima temporada futebolstica

Fotografia: Edies Novembro

O Comité de Disciplina da FIFA (CDF) encerrou em definitivo o "Caso Rivaldo - Kabuscorp", pelo que o clube angolano não tem mais como recorrer ao órgão reitor do desporto-rei mundial. Esta posição consta no comunicado de 22 de Maio, a que o Jornal dos Desportos teve acesso, nele o secretário-adjunto do CDF Diego Flórez Otero escreveu: "gostaríamos de informar as partes que as medidas disciplinares contra o Clube Kabuscorp do Palanca são declaradas encerradas".
Por mais que o clube angolano queira recorrer da decisão, o secretário-adjunto do CDF torna claro, que os palanquinos vão ter de bater uma outra porta fora da sua instituição, "uma vez que considerou que o processo disciplinar foi completamente aprovado, isto é, todas as medidas consagradas nas decisões relevantes foram esgotadas".
O Kabuscorp do Palanca ainda não falou num possível recurso, mas no comunicado que emitiu na quinta-feira, assumiu que "pode garantir aos seus adeptos que já está tudo resolvido com Rivaldo. Aguarda-se, apenas, que seja emitida a declaração conjunta, que os advogados do Rivaldo e do clube farão oportunamente, a dar a conhecer o encerramento deste assunto".
A reacção oficial dos palanquinos choca de frente com a do CDF, pois o secretário-adjunto Diego Otero fez saber que nem ele, nem os seus colaboradores estão mais dispostos a ver qualquer comprovativos de pagamentos.
"O Comité de Disciplina da FIFA não parece estar em posição de obrigar ainda mais o devedor (Kabuscorp) a desculpar os pagamentos, uma vez que considerou que o processo disciplinar foi completamente aprovado".
O Jornal dos Desportos apurou ontem, de uma fonte da FAF, que o comunicado oficial com a homologação do Girabola Zap 2018/2019, só está a espera de ser assinado para ser tornado público, a federação em obediência às orientações da FIFA "acatou a decisão administrativa que está no regulamento de disciplina da FIFA, pelo que o Kabuscorp desceu mesmo de divisão".
A mesma fonte esclareceu que o Kabuscorp deveria ter saído do campeonato antes dele terminar, mas a questão do título fez a federação concluir, que era melhor adoptar uma atitude de espera, para não afectar a luta entre o 1º de Agosto e o Petro.
"Por não se tratar de uma desqualificação, quem estiver atento ao comunicado, com a homologação do campeonato, vai reparar que não se mexeu nos pontos que o Kabuscorp acumulou, retirar a equipa do campeonato com antecedência prejudicaria grandemente um dos envolvidos na corrida pelo título e beneficiária indevidamente o outro", argumentou a fonte.
O Jornal dos Desportos apurou que a FAF analisou todos os cenários, antes da última deliberação do CDF, mas o receio influenciar no desfecho do campeonato, tendo em conta o mano a mano travado entre o 1º de Agosto e o Petro, falou mais alto.
"Antes de terminar o campeonato não era possível fazer nada, a competição estava a decorrer e a verdade desportiva ficaria afectada, isto acabou por pesar na nossa decisão de aguardar pelo fim do campeonato", argumentou a fonte que vimos citando.