Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Kito Ribeiro apela coeso da classe

Avelino Umba - 02 de Dezembro, 2017

"Temos de estar sempre unidos em torno dos nossos interesses, pois, isso faz-nos fazer melhor para aquilo que so as nossas responsabilidades\" concluiu.

Fotografia: Jornal dos Desportos

Kito Ribeiro técnico que orientou o Progresso do Sambiznga na última época, apelou em conversa com o Jornal dos Desportos, à união dos treinadores que actuam no campeonato nacional da primeira divisão, para que o futebol no país continue a crescer.
Realçou que apesar das diferenças e os objectivos que cada um persegue no clube em que estiver vinculado, o sentido patriótico deve falar mais alto, para o bem da modalidade e o seu desenvolvimento.
\"Podemos ou não simpatizarmo-nos com este ou aquele treinador, criticá-los com alguma justiça em algumas das suas atitudes, mas temos de estar coesos para tornar a nossa classe mais forte, para o bem do futebol nacional\" alertou.
O treinador que se encontra em Portugal a fazer uma formação de 15 dias, realçou situações entre colegas de classe, com realce para as chicotadas psicológicas e o mau ambiente entre treinadores e direcções de clubes.
\"Temos de estar sempre unidos em torno dos nossos interesses, pois, isso faz-nos fazer melhor para aquilo que são as nossas responsabilidades\" concluiu.                                       
AU

PRESIDENTE DO CCFA
Jorge Mário aprova vídeo árbitro

O presidente do Conselho Central de Árbitros de Futebol de Angola (CCAFA), Jorge Mário Fernandes, enalteceu em Luanda a decisão da Confederação Africana de Futebol (CAF), de implementar o vídeo árbitro na 5ª edição do Campeonato Africano das Nações (CHAN), que se disputa de 12 de Janeiro a 4 de Fevereiro, uma vez que esta tecnologia ajuda a dirimir eventuais falhas dos árbitros.
Em declarações à Angop, o responsável afirmou que a implementação do instrumento repõe a verdade desportiva, uma vez que colmata algumas falhas de arbitragem.
Quanto à aposta da nova tecnologia, no campeonato nacional, o antigo árbitro internacional reconheceu que exige muitos custos monetários e humanos, que certamente aumenta o grau de dificuldade na implementação do aparelho.
“Penso, que o elevado custo que a tecnologia abarca, é o principal condicionante para a implementação do sistema no nosso campeonato”, frisou.
Ao disputar-se no próximo ano, em Marrocos, o sistema de vídeo árbitro (VAR) vai ser ensaiado a partir dos quartos de final do CHAN, onde Angola marca presença pela terceira vez.
Os Palancas Negras estão no grupo D, juntamente com Camarões, República do Congo e Burkina Faso, com sede em Agadir.
A competição reúne 16 selecções, designadamente, Angola, Camarões, Zâmbia, Congo, Sudão, Nigéria, Uganda, Líbia, Marrocos, Guiné Equatorial, Ghana, Níger, Senegal, Costa do Marfim, Namíbia e Mauritânia.
O CHAN é uma competição africana reservada a jogadores que actuam nos respectivos países. Em 2011, Angola foi finalista derrotada (3-0) pela Tunísia,  prova que decorreu no Sudão, enquanto em 2016 no Rwanda, os Palancas Negras foram afastados da fase de grupos.
Para a próxima edição o combinado nacional, apesar de não ter ainda o seleccionador nacional a intenção é melhorar  a sua classificação.