Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Lees com nova chance de encurtar manuteno

Betumeleano Fero - 23 de Junho, 2018

Ser eficaz pode dar o lucro que os lees precisam, para impedir que os caalenses saiam do Tafe com a corda desapertada.

Fotografia: Jornal dos Desportos

A época está boa demais para o Sporting de Cabinda, assim como no doce passado o leão é motivo de orgulho para os seus adeptos, motivo por que os adversários como o Clube Recreativo da Caála (CRC), o visitante desta tarde, às 15h00, no Tafe, tem de repetir a mesma actuação da jornada transacta, para impedir que o reino leonino exulte com mais um passo rumo a manutenção.
O forte rugido do leão é a melhor prova de que está a crescer e aos poucos está a ficar jubado com os resultados aceitáveis que tem feito, há todos os motivos para acreditar num bom desempenho contra o CRC, um triunfo está ao alcance do Sporting, que tão boa conta de si tem dado no campeonato.
Embora esteja competitivo, há algumas melhorias que o leão precisa de fazer, sobretudo quando consegue vantagem no marcador.
A tentar fazer pela vida para escapar da sentença da despromoção, o CRC tem a motivação correcta para ir pontuar no enclave, é importante, nem que seja com o pontito, que o regresso a casa seja feito com alguma coisa na bagagem, melhor assim do que perder. Os caalenses estão imprevisíveis, hoje até podem estar em dia sim, mas nada melhor do que aguardar até os 90 para ver com exactidão, se mostram o mesmo desperdício de sempre ou se voltam a dar a ser competitivos, como no jogo passado.
 Os leões sabem que têm de ir à caça, até ao momento têm pegado boas presas no seu reduto, um novo triunfo caseiro vai confirmar que o Tafe voltou a ser um lugar atormentador para os adversários, mas também é verdade que a ânsia de se esticar tem de ser bem medida, caso contrário a história da manta curta pode provocar choro e ranger de dentes, se os caalenses forem eficazes no contra golpe.
O Sporting é uma equipa generosa, mas a idade juvenil dos seus atletas faz com que ainda falte a maturidade suficiente para distinguir o certo do errado em campo quando há pontos em jogo. O mais importante nem sempre é jogar bonito, é ser eficaz para estar a altura de resolver com competência todas as incidências do jogo. Ser eficaz pode dar o lucro que os leões precisam, para impedir que os caalenses saiam do Tafe com a corda desapertada.                  
BF