Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Lobitangas descrentes na manuteno

Jlio Gaiano -Lobito - 28 de Agosto, 2016

Estudantes realizam um campeonato intranquilo e ocupam a penltima posio da tabela de classificao com 20 pontos

Fotografia: Jos Soares

A Académica Petróleos Clube do Lobito faz contas à vida no Girabola Zap2016. A massa apoiante e membros da direcção desentendem-se naquilo que constitui a perspectiva da equipa na competição. A situação afigura-se preocupante, originando divergência na responsabilização dos culpados pela eventual “desgraça” que atrapalha os intentos da equipa.

Grande parte de adeptos e associados atiram a culpa à direcção e esta desvia-a aos atletas, rotulando-os de inexperientes do ponto de vista competitivo. Ainda assim, há quem insista em associar o presidente de direcção, Luís Gonçalo Borges, pela forma desestruturada como está o plantel na presente temporada. Por isso, é voz corrente que ao manter-se fiel a um técnico incapaz de elevar os níveis competitivos dos jogadores, o presidente deve ser responsabilizado por tudo que vier a acontecer de mal à equipa no Girabola Zap 2016.

Com vista a melhorar a prestação da equipa no Girabola Zap, sob iniciativa do presidente do clube, a direcção da Académica do Lobito prescindiu os serviços do turco-germânico Ekrem Asma e contratou o português Carlos Vaz Pinto. A aposta redundou num fracasso. Ou seja, num universo de 24 pontos, disputadas que foram 8 jornadas, sob a orientação de Vaz Pinto, a equipa somou apenas quatro.

Para muitos, a direcção cometeu um sacrilégio e que pode pagar caro por essa atitude. E, como senão bastasse, a tardia indicação do professor António da Conceição Lopes “Chiby” para a liderança do comando técnico da equipa sénior, numa altura em que as coisas aparentam irremediáveis.

“A direcção hesitou na substituição de Vaz Pinto e o resultado não pode ser diferente do esperado”, admitiu o associado Ambrósio de Anunciação Kulyiopeka.

A antiga andebolista do clube, Esperança Ukuahamba Gaspar, diz que a prestação da equipa deixa muito a desejar.

 “A continuar assim, não tenho dúvidas que no ano que vem não teremos uma equipa no Girabola. Vai ser pena para o Lobito e para a província sobretudo”, acrescentou.  As declarações proferidas, no passado dia 15 de Maio pelo treinador António Lopes “Chiby”, após o triunfo (2-1) sobre o Desportivo da Huíla, no reduto deste, em que colocava em dúvida a possibilidade de a equipa sobreviver das intempéries por que passava calaram fundo no cônscio dos lobitangas atentos com o evoluir da situação.

Há muito que rapaziada deixou de produzir resultados positivos. A ansiedade e o cansaço tomaram conta do grupo. A equipa, dificilmente, marca golos, e pior do que isto, perde jogos, facilmente, incluindo para adversários do seu nível competitivo. Em suma, reina instabilidade na equipa orientada tecnicamente pelo professor Chiby.


ACUSAÇÕES
Director-geral
defende presidente

O director-geral da Académica Petróleos Clube do Lobito, Duarte Adriano Kuatula “Esquerdinho”, considerou infundadas e eivada de injustiça atribuir responsabilidade ao presidente do clube (Luís Borges) pelo presumível fracasso da equipa no Girabola Zap2016.

De acordo com Duarte Esquerdinho, o presidente tem feito muito para manter vivo os interesses da Académica do Lobito, pelo que não faz sentido conotá-lo com coisas que nada tem a ver com a sua forma de estar e servir no clube.

O director-geral do grémio lobitanga garante que é na gestão de Luís Borges que o clube progrediu muito nas diferentes áreas da gestão desportiva e administrativa.

“A meu ver a falta de experiência de grande parte dos nossos atletas, muito deles em idade de juniores, tem contribuído na oscilação dos resultados em campo. Ainda assim, nada está perdido. A manutenção no Girabola continua a depender daquilo que for a nossa prestação nas próximas oito jornadas. Não é este o papel do presidente do clube. Cabe, sim, à equipa técnica, aos atletas e a direcção trabalharem no sentido de tornar possível o desejo alimentados os lobitangas, e isto passa por nos unirmos em torna da equipa e da sua direcção”, afiançou.

O dirigente do grémio lobitanga pediu aos adeptos do clube a manterem-se calmo e confiante no potencial e determinação  dos jogadores e dos membros da equipa técnica, bem como da direcção da agremiação que tudo têm feito para avivar a alegria e a glória do futebol na província, em geral, e do município, em particular.
JG