Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Manucho acredita no sucesso de Bianchi

Paulo Caculo - 23 de Março, 2017

Goleador angolano acredita no sucesso de Beto Bianchi no comando da selecção de honras

Fotografia: Jornal dos Desportos

O avançado Manucho Gonçalves deixou ontem expresso, antes da viagem para Maputo,  o desejo de ajudar a escrever com letras de ouro uma história diferente na nova era dos Palancas Negras. O angolano do Rayo Vallecano, de Espanha, confessou aos jornalistas estar muito feliz com o regresso à Selecção Nacional, quatro anos depois de ter capitaneado o grupo no CAN 2013, disputado na África do Sul.

"Não podia estar mais feliz", apressou-se a desabafar o camisola 9 dos Palancas, para em seguida agradecer o facto de ter gozado de nova oportunidade para representar as cores nacionais, num momento que considera importante para a carreira que protagoniza ao serviço do clube espanhol.

"Penso que já era tempo. Estava ansioso para regressar e assim aconteceu. Agradeço o facto de o seleccionador (Beto Bianchi) confiar em mim, porque já estava muito tempo ausente da selecção e era tempo de regressar.

A minha ausência teve um pouco a ver com a federação passada", justificou. O avançado, que pode voltar a envergar a braçadeira de capitão, em virtude de ser um dos mais experientes e com histórico relevante na selecção, não escondeu a satisfação também pelo facto de ter encontrado um treinador brasileiro atento ao evoluir dos atletas angolanos em outros campeonatos.

Destaca o grupo jovem que encontrou, mas enaltece a importância do conjunto corrigir os erros do passado."Este grupo é jovem e penso que tem a responsabilidade de obter os melhores resultados. É hora de olharmos para o presente e atacar o futuro com maior ambição, trabalharmos melhor e corrigirmos os erros do passado", disse.

Manucho considera, no entanto, ter sido muito bem recebido pelo grupo, mas sobretudo ter sentido um "feeling" por parte do seleccionador, a quem deposita total confiança e acredita que vai ajudar a acrescentar muito de novo à táctica e modelo de futebol da selecção nacional.

"Acho que o treinador vai dar muito a esta selecção. Acredito ter sido uma escolha acertada, porque é um treinador que já conhece os jogadores que estão a jogar no campeonato angolano. Penso que esta selecção promete muito", referiu.

PREPARAÇÃO
Selecção Nacional
treina em Maput
o

Os Palancas Negras realizam hoje à tarde a primeira de duas sessões de treinos, em Maputo, de antecâmara ao jogo com Moçambique, agendado para sábado, às 16h00 (15h00 em Angola), no estádio nacional de Zimpeto. O médio Pirolito, por doença, e o lateral Isaac, por lesão, são as duas grandes contrariedades enfrentadas pelo seleccionador Beto Bianchi.

Apesar de ter conseguido colmatar a ausência de apenas um dos dois jogadores, com a chamada de Mira, à última hora, para ocupar o vazio deixado por Isaac, o seleccionador nacional garante ter esperanças de vir a formar um grupo equilibrado.

"Queremos uma selecção equilibrada e é o que estamos à espera. Devo agradecer a estes jogadores, porque muitos deles fizeram um grande esforço reforço para estar aqui. Acho que foi um bom gesto deles e que devo agradecer", disse.

Questionado sobre a avaliação que faz à selecção de Moçambique, Beto Bianchi foi peremptório ao afirmar que já observou alguns jogos dos Mambas e ficou com a impressão de que terá pela frente um adversário que "gosta de jogar muito no contra-ataque", mas também que "aposta muito nas jogadas de bola parada", talvez porque tem bons executantes.