Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Miroslav Maksimovic o novo tcnico do Petro de Luanda

Jorge Neto - 03 de Novembro, 2010

Substituto de Bernardino Pedroto mostrou ser bastante ambicioso

Fotografia: Jornal dos Desportos

O sérvio Miroslav Maksimovic, 60 anos de idade, apresentado ontem, como novo técnico da equipa do Petro Atlético de Luanda, em substituição do português Bernardino Pedroto, ambiciona conquistar a próxima edição do Girabola e chegar às meias-finais da Liga dos Clubes Campeões de África em 2012. Com um contrato válido por dois anos, Miroslav Maksimovic ambiciona igualmente a conquista da Taça de Angola.  

“Fui contactado pelo senhor Luís Gomes que me disse que o Petro é um bom clube e tem algum prestígio em África. Esse clube faz sucessos. O objectivo é ser campeão e de chegar às meias-finais da Champion na época seguinte”, disse o técnico em conferência de imprensa os motivos que fizeram com que aceitasse o convite para trabalhar em Angola.

Miroslav Maksimovic esteve presente no passado domingo no estádio 11 de Novembro, onde assistiu o último jogo dos petrolíferos no Girabola, contra o Recreativo da Caála, e considerou que os actuais jogadores lhe dão garantias de fazer um bom trabalho à frente dos tricolores.

“Os jogadores me dão garantias de fazer um bom trabalho, sabemos que temos muito trabalho pela frente, mas acredito que tudo vai correr bem. A nível do futebol angolano conheço alguns jogadores, como o Manucho Gonçalves, o Flávio, o Gilberto e o Jesus”, mostrou conhecer alguns jogadores nacionais.

O técnico não abriu muito o jogo quando questionado sobre a sua forma de jogar, referindo apenas que gosta de golos e que pretende trabalhar com os actuais jogadores. “Quero trabalhar com estes jogadores que estiveram com o técnico Pedroto e vou transmitir a minha experiência. Amo os golos e gosto de ver um bom jogo. No mundo moderno mudam-se os sistemas de jogo em poucos minutos. Actualmente a equipa joga no 4x3x3, tanto podemos manter como alterar, isso vai depender”, referiu-se aos sistemas tácticos.

Títulos
Miroslav Maksimovic nunca foi campeão pelas equipas onde passou, com destaques para a Jordânia (FC Ramtha), Egypt (Asmaily) e Líbia (Al Hilal). Esta última, foi a equipa que o técnico sérvio orientou em 2008 e até à altura em que os tricolores o contrataram estava sem clube. O sérvio Miroslav Maksimovic terá como adjuntos técnicos nacionais.  

Curriculum
Nascido aos 9 de Agosto de 1950, em Belgrado, República da Sérvia, casado e pai de dois filhos, o novo técnico do Petro Atlético de Luanda, Miroslav Maksimovic, que enquanto jogador representou alguns clubes do seu país, da Áustria e do Egipto, entre os quais o Rapid de Viena, iniciou a sua carreira como treinador em 1975.

A sua primeira experiência foi com o FC Bludenz, da Áustria, isto na categoria de juniores, clube em que trabalhou até 1979. Entre 1990 e 1992 treinou a equipa principal do FC Hajduk. Ao serviço do FC Ramtha venceu duas Taças Árabe, em 2000 e 2001, e com o Ismaily do Egipto foi finalista da Taça do Egipto e Árabe, em 2002 e 2003, respectivamente. Miroslav Maksimovic treinou igualmente o FC Etehad Al-Ramtha da Jordânia (2004), FC Muharraq Club do Bahrein (2004-2005), FC Arab Contractor do Egipto (2007) e FC Al-Hilal da Líbia (2008).

Experiência africana pesou na escolha do sérvio

O presidente do Petro de Luanda, Cardoso Pereira, disse que a escolha recaiu para o técnico sérvio devido a vasta experiência que tem a nível do futebol africano. “Tem bastante experiência por passar em vários países africanos. Tivemos quatro anos com o professor Bernardino Pedroto, mas acabou o seu ciclo e estamos muito agradecidos com o trabalho por ele desenvolvido.

Nós definimos os objectivos em cada início de época, este ano não alcançamos nenhum, partimos então, para uma nova relação e fruto da sua experiência pensamos que teremos um bom futuro”, disse Cardoso Pereira que se mostrou surpreso com os dados sobre o clube que o técnico apresentou.

 “Fiquei surpreso com a estatística que ele nos apresentou no primeiro contacto que tivemos, onde mostra as performances últimos 10 anos do Girabola”, avançou o presidente tricolor. O técnico sérvio expressa-se em inglês, alemão e árabe, situação que o vice-presidente para o futebol tricolor, Tomás Faria acredita não constituir um grande problema, pois já passaram por experiências similares.

“A língua, apesar de ser um factor importante, não é tão relevante. Já tivemos experiências iguais com os técnicos Goiko Zec e Jan Brouwer. Apesar dele não falar português, fala espanhol e pensamos que os jogadores se vão adaptar sem grandes problemas, porque a língua do futebol é universal. A estatística que ele nos mostrou demonstra, se calhar, que conhece melhor o Girabola que muitos técnicos nacionais”, mostrou-se surpreso Tomás Faria com os dados apresentados pelo novo técnico da equipa tricolor. JN

Tomás Faria confirma regresso de ex-juniores

Tomás Faria defendeu que o clube não vai fazer grandes contratações e confirmou o regresso de alguns atletas formados nas escolas do Petro. O vice-presidente para o futebol dos tricolores considera que a contratação de um jogador estrangeiro terá de obedecer a critérios bem definidos e tem de ser uma mais-valia para a equipa.

“As contratações devem obedecer a um perfil. Se tivemos de contratar alguém de fora será para manter no “banco” os jogadores que temos, porque teoricamente temos os melhores atletas do mercado. Posso dizer apenas que regressam quatro jogadores formados pelo clube, Buá, Kêmbua, Miguel e Mano, depois de fazerem uma rodagem que permitiu o seu regresso. Teremos uma mexida na posição de guarda-redes, mas é algo que ainda temos de confirmar”, revelou Tomás Faria.

O vice-presidente para o futebol petrolífero fechou-se em copas sobre os nomes dos atletas que estão na lista de dispensa neste fim de temporada, dizendo apenas que eles (jogadores) serão os primeiros a saber e que vão socorrer-se dos dados estatísticos. “Em termos de dispensas, os jogadores serão os primeiros a saber. Para isso, vamos recorrer aos dados estatísticos que temos disponíveis em todas as competições, tanto nacionais como internacionais, ou seja, nos 41 jogos que os atletas realizaram ao longo da época”, finalizou.

Após a conferência de imprensa, o técnico sérvio Miroslav Maksimovic dirigiu-se ao Catetão, onde em companhia dos membros da direcção do Petro Atlético de Luanda foi apresentado ao técnico português Bernardino Pedroto e aos seus novos pupilos. O sérvio viaja na próxima sexta-feira para o seu país, regressando duas semanas depois para começar a trabalhar com a sua nova equipa. JN