Jornal dos Desportos

Director: Matias Adriano
Director Adjunto: Policarpo da Rosa
Futebol

Mário Soares antevê prova mais equilibrada

Benigno Narciso - Lubango - 01 de Fevereiro, 2018

Mário Soares vaticina uma participação envolta de inumeráveis dificuldades.

Fotografia: Edições Novembro

O técnico do Desportivo da Huíla alertou há dias nesta cidade aos sócios e adeptos do clube para não colocarem a fasquia muita alta em relação a prestação da equipa no Girabola Zap 2018.
Mário Soares vaticina uma participação envolta de inumeráveis dificuldades.
“Chamar atenção à massa associativa e alertar de que esperamos por um campeonato difícil e bastante equilibrado”, afirmou, sem receio, que a equipa do ano passado não é a mesma.
“Vamos partir do zero. O plantel do Desportivo que o ano passado fez uma segunda volta acima da média, não vai começar o campeonato conforme terminou em 2017 com o mesmo ritmo, porque é sempre impossível, por isso deixo este alerta”, revelou.
O técnico admitiu que alguns adversários apresentaram uma organização abaixo do exigido e com planteis longe da qualidade  para uma alta competição. Reconheceu que esses clubes reorganizaram-se para efectuarem um campeonato melhor em 2018.“Será um campeonato muito equilibrado e difícil.
Porque há equipas que em 2017 tiveram uma organização que ficou aquém das qualidades dos referidos plantéis e daquilo que habitualmente nos têm apresentado.
Acredito que  estão a preparar-se para fazer um campeonato melhor”, perspectivou.  


DESAFIO
“Vamos potenciar
o nosso plantel”


Mário Soares indicou as equipas do Petro de Luanda, Recreativo do Libolo, Interclube, Kabuscorp do Palanca, Bravos do Maquis, Sagrada Esperança e o campeão nacional em título, o 1º de Agosto, como os principais opositores do Desportivo da Huíla.
“Estou a falar do Recreativo do Libolo e do Kabuscorp que tiveram um início bom em 2017, mas terminaram da forma que terminou, o Interclube que reforçou a estrutura já de acordo com as pretensões do treinador”, referiu.
“O Bravos do Maquis por aquilo que ouvimos reforçou-se e de que maneira com jogadores bastante experimentados. Adiciono a estas equipas os habituais e crónicos candidatos ao título, nomeadamente o 1º de Agosto e o Petro de Luanda, incluindo agora o Sagrada Esperança. Penso que teremos um campeonato muito mais equilibrado”, descreveu. O técnico disse estar ciente da obrigação de dar o seu melhor em prol dos resultados positivos para a concretização do objectivo imposto pela direcção, que passa pela manutenção da equipa na primeira divisão.
“Apesar de partirmos com uma equipa do ponto zero, com novos métodos de trabalho e com uma concepção de jogo que sofreu alguns retoques, espero que os jogadores compreendam e assimilem a nossa forma de estar e trabalhar” justificou.
Mário Soares apostou que a equipa técnica trabalha para crescer e potenciar o plantel na perspectiva de dotá-la de argumentos suficientes para alcançarem os objectivos.
“Vamos trabalhar, procurar crescer e potenciar os jogadores para satisfazer ao máximo o que a direcção pretende, a massa associativa e o público amante do futebol dessa província de um modo geral”, comentou.
Benigno Narciso, no Lubango